Carnes adulteradas, segurança alimentar e recolonização do país

Desconhecemos todos os elementos que originaram a operação da Polícia Federal Carne Fraca, no último dia 17, motivada pela denúncia do auditor fiscal federal agropecuário Daniel Gouvêa Teixeira de que carnes estragadas e fora de padrão eram vendidas por frigoríficos da região de Curitiba, cuja fiscalização está sob comando do PMDB!

Por Fátima Oliveira Enviado para o Portal Geledés 

Corrupção no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para fazer “vista grossa” quanto à segurança alimentar é antiga, tanto que o denunciante, declarou: “Não adianta pensarmos que toda carne vendida no Brasil é ruim, que toda a fiscalização é corrupta, porque isso é mentira. Nosso produto é muito bom, e é por isso que somos destaque na importação. Não vamos criar algo que não existe”.

Carne fraca, segundo a operação, é carne adulterada pelo uso de carcaça e cartilagem no lugar da carne convencional; e uso de carnes vencidas, chamadas “carnes verdes”, lavadas com produtos químicos em quantidade superior ao permitido por lei, como o ácido ascórbico (vitamina C). A terminologia “carne verde”, no lugar de “carne vencida ou podre” (que não são a mesma coisa), joga por terra um linguajar do médio sertão maranhense, onde “carne verde” significava carne novíssima, fresquinha…

Fiquei chocada com a notícia das carnes podres e demais fraudes por dois motivos. O primeiro, pelo Brasil — somos o segundo exportador mundial de carnes, logo um setor vital da economia; e o segundo, por mim – sou carnívora habitual e não gosto de carnes velhas (congeladas). Sou bisneta e neta de vaqueiros que se tornaram donos de um gadinho pé-duro no sertão por muitas gerações.

Meu avô virou também açougueiro, depois boiadeiro e, a cada dois meses, matava um garrote para consumo da família. Sem geladeira, a carne virava carne de sol, carne seca e carne de lata – assada ou frita na panela e conservada em latas na gordura de porco, que dura até seis meses, o célebre “confit” dos franceses… Fora as leitoas e os “capados” gordos, cabritos e galinhas do terreiro… Meus hábitos alimentares são muito sertanejos ainda: aprecio as carnes desidratadas e as frescas, sem nem passar pela geladeira! O sabor da carne fresca é um, e o da resfriada ou congelada é outro!

Conforme Miguel do Rosário: “Se a PF identificou, há mais de dois anos, que havia problemas no mercado de carne, deveria ter alertado o governo, as empresas e os cidadãos, para que ninguém tivesse prejuízo. A PF encontrou problemas em 21 empresas, num total de quase 5.000, e suspeita de crimes praticados por 33 servidores num universo de 11 mil funcionários do Ministério da Agricultura” (“Considerações e estatísticas sobre a operação Carne Fraca”, 19.3.2017).

A surreal mistura de “papelão” às carnes foi um “mal-entendido” da PF. Era a fala de um executivo sobre embalagem! E acarretará a perda de “vários bilhões de dólares a nossa economia”. Luis Nassif, em “Ação da PF contra setor de carnes ocorre após Brasil conquistar mercado nos EUA”, destaca a “coincidência” (?) de que a PF investigava havia dois anos e só publicizou “no momento em que o Brasil vinha abrindo mercado no plano internacional” (17.3.2017).

Os negócios no capitalismo não são oratórios nem casas de caridade, e lançam mão de uma série de artimanhas para dar vazão a suas ganâncias, até mesmo ignorando questões de biossegurança, segurança alimentar e nutricional. Devem ser punidos! Mas até onde as forças interessadas na transformação do Brasil numa colônia norte-americana estão envolvidas na desacreditação da carne brasileira?

+ sobre o tema

“É melhor morrer em pé do que viver de joelhos”

Quem ama as liberdades democráticas que se mire em...

Juízes levam caso do apê de Barbosa em Miami ao CNJ

Membros da Ajufe (Associação dos Juízes Federais do...

Peritos das Nações Unidas avaliam condições de vida dos africanos em Portugal

Por: António Pereira Neves Genebra, 14 mai...

para lembrar

‘O sonho da construção de um país mais justo acabou’, diz Iara Pietricovsky

Na semana passada, diversas organizações da sociedade civil estiveram...

NBA: Nenê quer ir com a selação do brasileira para Mundial da Turquia

Em sua segunda escala na viagem aos EUA, o...

Procuradora da Lava Jato que debochou da morte de neto de Lula se desculpa: ‘Errei’

Jerusa Viecili escreveu a colegas que eles deveriam se...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=