Ciclo de eventos Outubro Negro. Confira!

Debater condições de vida e saúde da população negra no Brasil é o principal objetivo do “Outubro Negro”, a ser realizado na Faculdade de Saúde Pública da USP. Protagonizado por artistas, ativistas e pesquisadores negros, esse ciclo de eventos responde também à demanda de estudantes da área da saúde por maior contato com as contribuições de afrodescendentes para os campos científico, político e cultural.

enviado por Érica Peçanha para o Portal Geledés

Todas as atividades são gratuitas, abertas ao público e com direito a certificado de participação.

Arte: Rodrigo Kenan

PROGRAMAÇÃO

3 de outubro
17h30 às 18h30 – Sarau das Pretas
19h às 21h – Mesa 1: Raça e saúde na perspectiva de intelectuais negros: contextos de pesquisa na FSP/USP
Com Alexandre da Silva (docente Unicsul e Fac. Medicina de Jundiaí) e Mônica Mendes (psicóloga e pesquisadora)

10 de outubro
16h às 18h – Oficina: Efeitos psicossociais do racismo
Com integrantes do Amma Psique e Negritude
19h às 21h – Mesa 2: Racismo estrutural, racismo institucional e ativismos negros
Com Celso Monteiro (consultor da SMS São Paulo) e Dina Alves (advogada e feminista negra abolicionista)

17 de outubro
16h às 18h – Oficina: Inclusão do quesito cor na área da saúde
Com Angelita Garcia (socióloga e articuladora social/ Aliança Pró-Saúde da População Negra)
19h às 21h – Mesa 3: Tradições alimentares afro-brasileiras: comidas para o corpo e para a alma
Com Regina Nogueira (médica e empreendedora social) e Rodney William (antropólogo e babalorixá)

19 de outubro
16h às 18h – Conferência: Intersecções entre raça, gênero e sexualidade na América Latina
Com Mara Viveros Vigoya (antropóloga/Universidad Nacional de Colombia)

26 de outubro
16h às 18h – Oficina: Coletivo negro na FSP/USP
Com Coletivo Negro Carolina Maria de Jesus – FSP/USP
19h às 21h – Mesa 4: População negra e saúde: conquistas e desafios
Com Fernanda Lopes (pesquisadora NEPAIDS/USP) e Luis Eduardo Batista (GT Racismo e Saúde da Abrasco)

31 de outubro
16h às 18h – Oficina: Ciência, inovação e tecnologia por afrodescendentes
Com Carlos Eduardo Machado (historiador e professor da rede pública)
19h às 21h – Mesa 5: Nossas histórias e novas trajetórias: presença negra na academia
Com Deivison Faustino (docente UNIFESP)

Local: Faculdade de Saúde Pública da USP
Av. Dr. Arnaldo 715 (Metrô Clínicas)
Realização: Departamento Saúde, Ciclos de Vida e Sociedade e Coletivo Negro Carolina Maria de Jesus
Apoio: Comissão de Cultura e Extensão Universitária (Ccex/FSPUSP)
Informações: [email protected]

+ sobre o tema

Jornalista Luciana Barreto ganha prêmio ‘Sim à Igualdade Racial’

A jornalista Luciana Barreto, âncora da primeira edição do...

Renata Souza leva adiante as lutas de Marielle Franco

Rio - Ex-chefe de gabinete da vereadora assassinada Marielle...

Série fotográfica registra a beleza dos penteados da cultura nigeriana

A fotografia documental geralmente apresenta poucas cores e a...

para lembrar

O que faz o Brasil ter a maior população de domésticas do mundo

Se organizasse um encontro de todos os seus trabalhadores...

Museu da Pessoa apresenta: Maíra da Costa

Maíra da Costa conta na exposição Vidas Femininas sobre...

Após vivenciar violência contra mulher, jovem cria projeto fotográfico

Ensaio fotográfico, assistência social e psicológica fazem parte do...

Violência doméstica e os precipícios do machismo

Nas janelas, lenços brancos denunciam opressão. Surgem redes solidárias....
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=