domingo, setembro 25, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaEntretenimento“Cidade Correria - Um Bando de Artistas” estreia no Circuito Spcine nesta...

“Cidade Correria – Um Bando de Artistas” estreia no Circuito Spcine nesta quinta-feira (22)

Dirigido e roteirizado por Juliana Vicente e co-dirigido por Washington Deoli, documentário mergulha no processo criativo do Coletivo Bonobando, grupo de teatro contemporâneo e revolucionário do Rio de Janeiro

Escrito e dirigido pela cineasta Juliana Vicente, idealizadora da Preta Portê Filmes, e co-dirigido por Washington Deoli, o documentário “Cidade Correria – Um Bando de Artistas” estreia em São Paulo com exibições  gratuitas no Circuito Spcine a partir desta quinta-feira (22). 

O longa-metragem acompanha o processo de criação do grupo teatral Bonobando, coletivo carioca que une diretores e criadores experientes a jovens atores em construção. Esta transposição do palco para as telas do cinema possibilita uma ampliação das vozes desses artistas revolucionários, que se revelam em cena por meio de entrevistas que convidam o espectador a acompanhar um fio condutor de vivências pessoais e relatos ficcionalizados. 

A formação de jovens atores, questionamentos sobre a nossa sociedade, o direito de se ocupar todos os lugares, o bom humor, a importância da arte em diversos espaços e o reflexo de diferentes perspectivas sobre a cidade do Rio de Janeiro ganham destaque na narrativa durante os mais de 80 minutos de projeção. O elenco numeroso traz nomes como Daniela Joyce, Hugo Bernardo, Igor da Silva, Jardila Baptista, Karla Suarez, Livia Laso, Marcelo Magano, Patrick Sonata, Thiago Rosa, Vanessa Rocha, Adriana Schneider, Lucas Oradovschi. 

A ideia de levar obra do grupo teatral Bonobando para o cinema surgiu de uma inquietação da realizadora Juliana Vicente quando teve contato com o espetáculo em 2014:

“Assisti à peça em sua estreia na Arena Dicró, na Penha, e fui completamente arrebatada por esta montagem realizada por um coletivo de pessoas de diferentes espaços da cidade, na convergência da diversidade e complexidade dos pontos de vista. Mesmo sem conhecer os atores em cena, pedi para compreender esse processo que os levou àquela obra que tanto me tocou. Tinha certeza que havia ali algo que deveria investigar mais a fundo, então pedi para entrevistá-los muito mais como registro e forma de compreender um caminho”, explica Juliana.

O resultado dessa rica conversa foi visto pela primeira vez em outubro de 2020, quando o documentário “Cidade Correria – Um Bando de Artistas” foi apresentado pela primeira vez na edição on-line do do Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas, no Rio de Janeiro, em 2020. Desde então, o longa foi exibido no 5º Festival de Cinema de Petrópolis e na 7ª Mostra de Cinema de Gostoso, no Rio Grande do Norte.  

O documentário integrou ainda a programação da 6ª edição do MEXE – Encontro Internacional de Arte e Comunidade, que aconteceu nos meses de setembro e outubro de 2021 nas cidades de Lisboa e do Porto, em Portugal. “Cidade Correria –  Um Bando de Artistas” chega agora às salas do Circuito Spcine para apresentar ao público paulistano esse coletivo tão fascinante, que se expande do palco para o mar, do mar para a cidade e da cidade para as telas. 

Confira as salas e os horários de exibição abaixo: 

Centro de Formação Cultural da Cidade Tiradentes

(Avenida Inácio Monteiro, 6900, Cidade Tiradentes – São Paulo – SP)

22 e 23 de setembro – 17h

24 e 25 de setembro – 16h

27 e  28 de setembro – 17h

CEU Meninos

(Rua Barbinos, 111, São João Clímaco – São Paulo – SP) 

29 de setembro –  17h

02 de outubro – 16h

05 de outubro – 17h

CEU Vila Atlântica

(Rua José Venâncio Dias, 840, Jardim Nardini – São Paulo – SP) 

29 de setembro –  17h

02 de outubro – 16h

05 de outubro – 17h

CEU Perus

(Rua Bernardo José de Lorena, s/n, Perus – São Paulo – SP) 

29 de setembro –  17h

02 de outubro – 16h

05 de outubro – 17h

Sinopse 

Cidade Correria é Brasil pulsante e radicalmente coletivo. Por dentro do processo do espetáculo, o encontro com o transbordamento das urgências cotidianas, contradições, alegrias, delírios, feridas e potências através da voz e nascimento do Coletivo Bonobando, grupo inspirador que se expande do palco pro mar, do mar pra cidade, da cidade pra tela. 

Classificação indicativa 

Livre 

Ficha técnica 

Direção e Roteiro: Juliana Vicente

Co-Direção: Washington Deoli

Produção Executiva: Juliana Vicente, Diana Costa

Direção de Produção: Diana Costa

Direção de Fotografia: Cristiane Cotrim, Betinho Casas Novas

Montagem: Willem Dias, Washington Deoli

Cor: Alexandre Cristófaro

Trilha Sonora: Ricardo Cotrim

Edição de Som e Mixagem: Rafael Sartori

Tradução e Legendagem: Elisa Oliveira

Distribuição: Preta Play

País: Brasil

Classificação Indicativa: Livre

Personagens: Daniela Joyce, Hugo Bernardo, Igor da Silva, Jardila Baptista, Karla Suarez, Livia Laso, Marcelo Magano, Patrick Sonata, Thiago Rosa, Vanessa Rocha, Adriana Schneider, Lucas Oradovschi.

Biografia do autor, diretor(es) e produtor. 

Juliana Vicente é cineasta e fundadora da Preta Portê Filmes, produtora criada há 11 anos. Realiza conteúdos de relevância social e artística, propondo-se a formar e aprimorar profissionais do audiovisual e a criar novas narrativas afro indígenas e LGBTQIA+. Proposta refletida não somente na diversidade de sua equipe, como também em novas formas de produção para a construção de um conteúdo autêntico de alcance internacional. 

Como cineasta constantemente figura entre as diretoras de maior relevância do cinema contemporâneo brasileiro. Em 2015, foi convidada como diretora para participar do Berlinale Talents e recebeu o prêmio Camera D’Or com a coprodução “A Terra e a Sombra”, no Festival de Cannes. No mesmo ano foi indicada ao Prêmio Claudia, maior prêmio feminino da América Latina, na categoria Cultura, por sua contribuição ao cinema brasileiro. 

Em 2017 criou e dirigiu a série documental “Afronta!”, atualmente disponível na Netflix nos cinco continentes onde a plataforma está presente. Em 2018 dirigiu a 13ª temporada da série “Espelho”, de Lázaro Ramos, exibida no Canal Brasil. Já em 2020, a convite do Instagram, realizou a direção geral da campanha pró diversidade para a plataforma: o documentário “Viva Nossa Voz”, uma produção da Preta Portê Filmes. 

É diretora de “Cores e Botas”, curta que é marco para uma geração de meninas negras, exibido em mais de 100 festivais no Brasil e no mundo, no qual inicia sua pesquisa sobre a ascensão do negro na sociedade brasileira. Dirigiu também o documentário “Leva”, ganhador do New York Film Festivals (2012, Social Issues). Participou do programa internacional Why Poverty? com o documentário “Mauá: Luz ao Redor”, uma coprodução Brasil/África do Sul, exibido no TIFF, IDFA, entre outros, e distribuído em mais de 60 canais de televisão pelo mundo. 

Realizou o clipe “Marighella”, dos Racionais MC´s, vencedor do Clipe do Ano na MTV, 2012, e atualmente desenvolve um longa-metragem documental sobre a carreira do grupo.

Como produtora, realizou mais de 40 filmes entre curtas, médias e longas-metragens. Com mais de 100 prêmios nos principais festivais do mundo. Seus próximos lançamentos serão o longa-metragem “Diálogos com Ruth de Souza”, selecionado pelo Rumos Itaú Cultural, e o documentário “Racionais MC’s- Das Ruas de São Paulo para o Mundo”, na Netflix. 

Washington Deoli é diretor, montador e roteirista. Formado em Audiovisual, atua na área desde 2010. É o diretor do documentário “Motriz – Roda de Afeto”, vencedor do Pitching 11 Doc Futura e em exibição no canal. Na Produtora Preta Portê Filmes atua ativamente em inúmeras produções, onde destacam-se os seus trabalhos, em parceria com Juliana Vicente, como montador na série “Afronta!” (2017) – disponível na Netflix mundialmente, na assistência de finalização no documentário “As Minas do Rap” (2015) e na co-direção do longa documental “Cidade Correria – um Bando de Artistas” (2020). Também na produtora participou da assistência de montagem no curta “Vaca Profana” (René Guerra, 2017) , da coordenação de pós produção na série “Nós Negros” (Ana Paula Mathias, 2019) e no momento está em montagem e assistência de direção em dois longas-metragens. 

Diana Costa é graduada em Administração, e direcionou sua formação para produção em projetos culturais e audiovisuais. Realiza trabalhos nas áreas de assistência de direção, produção, coordenação de produção e produção executiva. Alguns dos seus trabalhos incluem a Coordenação de Produção no Canal Futura em projetos como Acerte o passo (Projeto em parceria com SEBRAE, em série audiovisual sobre negócios); Tempo da Terra (Série documental exibida no canal); Recortes do Brasil (Parceria com Itaú Social); Produção da cobertura da Olimpíada de Língua Portuguesa; Ubuntu – a partilha quilombola (Série documental exibida no Canal); liderança do projeto Telas Abertas (Parceria com Instituto Votorantim). Atuou como Assistente de Redação e de Direção no Programa Greg News – HBO Brasil nas temporadas de 2017 e 2018. Em 2018, foi Assistente de Direção no Programa Espelho – Canal Brasil. Em 2020 realizou a produção executiva do filme Cidade Correria.

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench