Cidade de Goiás recebe o II Encontro de Tambores’ no fim de semana

Evento debate manifestações da cultura afrodescendente.

Dez anos do Título de Patrimônio da Humanidade da cidade é comemorado.

 

Acontece de sexta-feira (28) a domingo (30) o II Encontro de Tambores, na cidade de Goiás, a 136 km de Goiânia. O evento tem a proposta de combater a reprodução do preconceito étnico-racial, a intolerância religiosa e os diversos tipos de resistência às manifestações afro-descendentes.

O II Encontro de Tambores reúne a comunidade local e convidados para comemorar os dez anos do Título de Patrimônio da Humanidade, concedido à antiga capital do estado de Goiás pela Unesco – Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura – e celebrar o Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes.

O Encontro busca ainda repensar o que a sociedade reconhece como bens culturais, dando visibilidade ao Patrimônio Cultural Imaterial, sobretudo às práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais associados – que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos, reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural.

Segundo um dos organizadores do evento e coordenador do bloco de Afoxé Pilão de Prata, Paulo Sérgio Gomes Ferreira, o Encontro de Tambores contribui também para promover a sustentabilidade do Patrimônio Cultural. “Trata-se de mais um importante momento das nossas histórias, que revela de forma legítima os diversos segmentos da cultura popular e afrobrasileira presentes na Cidade de Goiás”, destaca.

Paulo Sérgio lembra ainda que as atividades são importantes para evidenciar o valor dos bens culturais. “Vamos reunir grupos e comunidades intimamente ligados pelos tambores, ritmos, cores, comidas e cânticos, de forma que se possa perceber a importância do repensar de papéis, individual e coletivamente, como contribuição para a preservação desses bens”.

Grupos e comunidades de percussionistas dos Afoxés, grupos de Capoeira Angola e Capoeira Regional, Congo, cururu de prato, blocos de carnaval e outras formas de expressão do patrimônio cultural em que a percussão é referência de identidades participam do evento. Estão confirmadas as presenças dos mestres Lua Rasta (Salvador – BA); Cabello (Centro de Capoeira Angola da Fazenda Ouro Verde – BA; Guaraná (Grupo Calunga- GO); Goyano (Grupo Barra Vento – GO); Chuluca (Grupo de Capoeira Meninos de Angola – GCAMA – GO); Nego (Escola de Samba Mocidade -GO); Jorge (Escola de Samba União – GO) e treinel Leninho (Fundação Internacional de Capoeira Angola – FICA- GO) e professor Gustavio Pinheiro (Grupo Quilombo de Angola – GO) com diversas oficinas de ritmo e percussão.

Encontro de Tambores

No sábado (29), a partir das 20 horas, acontece o ponto culminante e que dá nome ao evento, quando os instrumentos de percussão dos blocos, afoxés, capoeira, cururu de prato, coco, escolas de samba e outras manifestações presentes se reunirão na Praça do Coreto, e de lá seguirão em cortejo até a Igreja de Santa Bárbara.

Este momento de reunião será antecedido por uma apresentação do Bloco Arte do Bacalhau, formado por crianças da Cidade de Goiás que utilizam instrumentos confeccionados com reaproveitamento de materiais; num desejo de que se renove e perpetue o eco dos tambores vilaboenses. Após a chegada do cortejo de tambores na Igreja de Santa Bárbara, será vivenciado um momento de confraternização, no ritmo do Samba de Roda.

pilao de prata  patricia mousinho 1 620por423

Serviço

II Encontro de Tambores – Cidade de Goiás

Data: 28 a 30 de Outubro

Programação

Sexta-feira (28)

20h

Abertura do II Encontro de Tambores da Cidade de Goiás

Apresentação do cucuru de prato com mestre Puim

Filme curta metragem Bando Semeador

Roda de conversa

Apresentação do tema

A sustentabilidade do Patrimônio Cultural na Cidade de Goiás passa pelo reconhecimento e valorização das tradições de natureza afrobrasileiras como parte desse processo histórico.

Convidados

Doutora Glaucia Peclat, Núcleo de Arqueologia da Universidade Estadual de Goiás (NAEQ/UEG), Cidade de Goiás (GO)

Gislaine Valério, NARQ/UEG, Cidade de Goiás (GO)

Mestre Lua Rasta, Atelier Percussivo, Salvador (BA)

Mestre Chuluca, Meninos de Angola, Cidade de Goiás (GO)

Mestre Cabello, Centro de Capoeira Angola da Fazenda Ouro Verde, Serra Grande (BA)

Robson Max, espaço Cultural Vila Esperança, Cidade de Goiás (GO)

Gustavio Pinheiro, Quilombo de Angola, Cidade de Goiás (GO)

Frei Paulo Sérgio Cantanheide Ferreira, Paróquia de Sant’Ana – Cidade de Goiás (GO)

Marlene Velasco, Casa de Cora Coralina, Cidade de Goiás (GO)

Yaoloorisa Osunseiy Lili, Secretaria da Segurança Pública e Justiça do Estado de Goiás, Goiânia (GO)

Salma Saddi, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, GO

Gilvane Felipe, Agepel, GO

Apresentação de samba de roda com o bloco de afoxé Pilão de Prata da Cidade de Goiás (GO)

Coquetel

Local: Espaço Cultural do Rosário

Sábado, 29/10/11

8h às 10h: Oficina

A arte da percussão dos blocos

Responsável: mestre Lua Rasta, Atelier Percussivo, Salvador (BA)

Local: Quadra de Esportes do Colégio Estadual Professor Alcides Jubé

10h às 12h: Oficina

Cortejos que levam aos rituais das rodas de vadiação

Responsável: mestre Lua Rasta, Atelier Percussivo, Salvador (BA)

Local: Praça do Coreto – Centro Histórico

14h às 17h: Oficina

Oficina de experimentação percussiva – a bateria da capoeira de angola

Responsáveis: mestre Chuluca, Meninos de Angola, Cidade de Goiás (GO), mestre Guaraná, Calunga, Goiânia (GO)

Local: Espaço do Grupo de Capoeira Angola Meninos de Angola

Oficina de percussão

Responsável: treinel Leninho (Fundação Internacional de Capoeira Angola (FICA), GO

Local: Ponto de Cultura-Raio de Luz, Igreja de Santa Bárbara

Oficina de percussão – toques da tradição do candomblé

Responsável: mestre Goiano, Barra Vento, Goiânia (GO)

Local: Espaço Cultural do Rosário

Oficina de samba de roda

Responsável: Prof. Gustavio Pinheiro, Quilombo de Angola, Cidade de Goiás (GO)

Local: Espaço Cultural Vila Esperança

Oficina de percussão – bloco de afoxé Pilão de Prata da Cidade de Goiás

Responsáveis: Professor Paulo Sérgio Gomes Ferreira, Bloco de Afoxé Pilão de Prata, Cidade de Goiás (GO)

Mestre Cabello, Centro de Capoeira Angola da Fazenda Ouro Verde, Serra Grande (BA)

Local: Quintal da Casa de Cora Coralina

Oficina de percussão – ritmos da escola de samba com a Associação Atlética União Goiana (AAUG)

Responsável: mestre de Bateria Jorge, União Goiana

Local: Barracão da Associação Atlética União Goiana

Oficina de percussão – ritmos da escola de samba Mocidade Independente do João Francisco

Responsável: mestre de bateria Nêgo, Mocidade

Local: Casa de Pedra

18h às 20h

Apresentação de roda de capoeira angola

Local: Praça do Coreto – Centro Histórico

20h

O Encontro dos Tambores da Cidade de Goiás

Concentração:

Domingo, 30/10/11

8h às 11h

Visitação aos museus e espaços culturais da cidade.

11h

Apresentação das propostas dos gestores culturais e mestres

Local: Espaço Cultural do Rosário

 

Fonte: G1

+ sobre o tema

Ronaldinho Gaúcho diz que viveu seus melhores anos no Barcelona

Em carta à torcida, Craque se mostrou emocionado ao...

Ilú Obá De Min convida para 6ª edição do Heranças Africanas

    Olá amigos e amigas do Ilú Obá De Min,...

Willow Smith tenta emplacar mais um hit com o single 21st Century Girl

Willow Smith tenta emplacar mais um hit. Depois do...

para lembrar

Maracatus se reúnem para Noite dos Tambores Silenciosos em Olinda

  Várias nações de maracatus se reúnem nesta segunda-feira (28),...

Rituais e Ancestralidade: uma conversa inicial entre capoeira e cultura indígena

Tem como objetivo promover e participar da vivência...

“Negra, Pérola Mulher” – Império da Tijuca exalta a mulher negra em seu enredo

A Império da Tijuca vai celebrar os 125 anos da...
spot_imgspot_img

Saiba quem é Mayara Lima, a princesa de bateria que viralizou na internet

Mayara Lima, cujo vídeo ensaiando com a bateria da Paraíso do Tuiuti em perfeita sincronia viralizou na última semana, tem só 24 anos, mas mais da...

Semana de 22: clubes negros mostraram um Brasil além de A Negra, de Tarsila

O mês de fevereiro de 1922 foi bastante agitado em São Paulo por conta do início daquele que viria a ser o marco do...

Festival Perifericu celebra processos artísticos LGBTQIA+ realizados nas periferias

São Paulo, janeiro de 2022 - O Perifericu – Festival Internacional de Cinema e Cultura da Quebrada, evento que tem como objetivo valorizar as...
-+=