Cliente agredido em mercado em SP deve passar por cirurgia nesta semana

Enviado por / FonteJusBrasil

O vigilante Januário Alves de Santana, 39 –que acusa cinco seguranças do supermercado Carrefour, em Osasco (Grande SP), de agressão– sofreu uma fratura facial e deverá passar por uma cirurgia nesta quinta-feira (27), informou o advogado Dojival Vieira dos Santos.

De acordo com o advogado, ele sentia fortes dores no rosto desde o dia da agressão, em 7 de agosto e, nesta terça-feira, chegou a cancelar seu depoimento à polícia devido ao seu estado de saúde.

Hoje, ele procurou novamente um hospital, onde ficou constatado que havia sofrido uma fratura. De acordo com Santos, Januário terá de ser submetido a uma cirurgia no rosto nesta semana, porém, ainda não há detalhes sobre o procedimento.

“Isso só agrava a situação dos agressores. Independentemente do que for concluído no inquérito policial, está comprovado que ele sofreu uma violência grave”, disse o advogado à Folha Online.

Nesta quarta-feira (26), os advogados do vigilante pretendem entregar uma representação à polícia explicando detalhes do caso. Segundo eles, Januário não deve comparecer, mas estará à disposição da delegada responsável caso ela considere seu depoimento importante para a investigação.

Agressão

O vigilante registrou um boletim de ocorrência na polícia no qual afirma ter sido espancado após ser confundido com um assaltante. Segundo ele, a agressão ocorreu quando tentava entrar em seu carro –um Ford EcoSport– na noite do último dia 7. Santana, que é negro, afirma ter sido vítima de racismo.

“O negro com aparência humilde é o suspeito padrão. Mesmo ensanguentado, todo maltratado, ele foi tratado como suspeito até mesmo pelos policiais militares que atenderam a ocorrência, e teve que provar que o carro era seu para deixar o estacionamento”, disse Dojival à Folha Online.

Na semana passada, o Carrefour informou na última quinta-feira que afastou a gerência de sua loja em Osasco (Grande São Paulo) e substituiu a empresa que prestava serviços de segurança para o supermercado após o relato do cliente. Em nota, o supermercado afirma ainda que determinou o “máximo rigor na apuração dos fatos”.

A Polícia Militar afirma que abriu um procedimento interno para apurar se policiais que atenderam Januário foram negligentes na hora de prestar socorro ao vigilante após a agressão.

+ sobre o tema

Bang Bang da violência em SP gera medo de bandidos e policiais

Tiros na noite. O cinegrafista amador achou que os...

Familiares de Vinicius Júnior se manifestam após episódio de racismo

Familiares de Vinicius Júnior se manifestam após episódio de...

Eu Apoio o Tarifa Zero – Marilena Chaui

A professora e filósofa Marilena Chaui apresenta seus...

Ruim é o Racismo! – Movimento negro protesta em frente à escola acusada de racismo

Cerca de 50 pessoas representantes de ONGs e associações...

para lembrar

Entidade pede investigação de ação da PM em reunião de rappers no ABC

Polícia usou bombas de gás para dispersar 'batalha de...

Jornalista Joice Hasselmann, ofende e discrimina social e racialmente senadora negra dentro do senado Brasileiro

Por Mônica Aguiar Do Monicaa Guiarsouza Não existe palavras para responder...

Abandono

Deitado na calçada, um menino. Uma CRIANÇA. Profundamente adormecido....
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=