CMS aprova projeto que institui Dia em Memória aos Mártires da Revolta dos Búzios

A Câmara de Vereadores aprovou na última quarta-feira (2) um projeto que institui o 8 de novembro como Dia Municipal em Memória aos Mártires da Revolta dos Búzios. O texto é de autoria de Marta Rodrigues (PT), e homenageia Luís Gonzaga das Virgens Veiga, João de Deus do Nascimento, Manuel Faustino dos Santos Lira e Lucas Dantas de Amorim Torres, todos enforcados e esquartejados exatamente no dia 8 de novembro de 1799, na Praça da Piedade.

por Matheus Caldas, do Bahia Noticias

Foto: Reprodução / etniabrasileira.com.br

“A criação de um dia para homenageá-los é uma forma de diminuir o processo de invisibilização ao qual o povo negro foi submetido desde o descobrimento do Brasil”, explicou a parlamentar. “Até hoje, os livros de história do país continuam a recusar o protagonismo do povo negro na luta pela justiça social e pelo fim da escravidão por causa do olhar colonizador que toma conta do país. Leis como esta contribuem para valorizar a nossa verdadeira história”, acrescentou.

HISTÓRIA
Também conhecida como Revolta dos Alfaiates ou Conjuração Baiana, o movimento, influenciado pela Inconfidência Mineira e com inspirações no Iluminismo, tinha seis pautas principais: abolição da escravatura, proclamação da República, diminuição dos impostos, abertura dos portos, fim do preconceito e aumento salarial.

Após investigações, os quatro foram condenados à morte. Pela sentença, eles tiveram os seus nomes e memórias considerados como “malditos” até à terceira geração. Após isto, partes dos corpos dos mártires foram expostas durante cinco dias em quatro pontos da cidade – a Lucas Dantas ficou espetada no Campo do Dique do Desterro; a de Manuel Faustino, no Cruzeiro de São Francisco; a de João de Deus, na Rua Direita do Palácio (atual Rua Chile); e a cabeça e as mãos de Luís Gonzaga ficaram pregadas na forca, levantada na Praça da Piedade.

 

Leia Também:

Revolta dos Búzios

Hoje na História, 1798, Revolta de Búzios ou Conjuração Baiana

+ sobre o tema

ALBA decide consolidar soberania e avançar para o socialismo

Caracas, 20 abr (Prensa Latina) Os países da Aliança...

6 motivos para maratonar Betty, série da HBO sobre mulheres skatistas

Escondida no catálogo do streaming HBO Go e, possivelmente, pouco conhecida...

Museu Afro Brasil celebra centenário de Carybé

  Para homenagear o centenário de nascimento do mais baiano...

Ilu Obá de Min abre carnaval paulistano com ópera de rua

O bloco Ilú Obá de Min abre hoje (17)...

para lembrar

Famosos contam o que acham do preconceito

Até celebridades passam por situações constrangedoras. O ator Jonathan...

É significativo que 13 de maio não seja feriado

Não que o Brasil precise de mais um feriado,...

A Era uma vez o Mundo cresceu e vai além

A gente pensa com delicadeza na formação da identidade...

Oposição ao regime em Cuba é negra, diz Carlos Moore

Salvador - Na condição de único dissidente exilado no...
spot_imgspot_img

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=