Coalizão Negra solicita à CPI que inclua o genocídio negro em seu relatório final

Enviado por / FonteDo Brasil 247

Coalizão Negra destaca que a gestão negligente e criminosa do governo Jair Bolsonaro foi um dos instrumentos mais eficazes para o avanço do genocídio negro no último século

A Coalizão Negra por Direitos, articulação que reúne 250 organizações, entidades e coletivos do movimento negro brasileiro, entregou nesta semana, ao relator da CPI, Senador Renan Calheiros um dossiê que relata os impactos sanitários, sociais e econômicos da pandemia à população negra brasileira.

Para a Coalizão Negra, a gestão negligente e criminosa do Governo Bolsonaro foi um dos instrumentos mais eficaz para o avanço do genocídio negro no último século. Os dados trazidos pelo dossiê apontam a maior letalidade da Covid-19 na população negra brasileira, e como se agravou nesse período o acesso dessa população à direitos humanos como alimentação, saúde, emprego, educação e saneamento básico. 

Para as organizações negras que compõe a Coalizão, é fundamental que conste no relatório da CPI da Pandemia a responsabilidade do Bolsonaro no genocídio negro e os impactos sociais e econômicos negativos que essa gestão pandêmica gerou à população negra e povos tradicionais (indígenas e quilombolas).

+ sobre o tema

para lembrar

PM envolvido na chacina de Osasco é condenado a 119 anos de prisão

Victor Cristilder Silva dos Santos foi acusado de ter...

Para especialistas, racismo ainda dificulta acesso da população negra à cidadania

Participantes de audiência pública na Comissão de Direitos Humanos...

A segunda morte da menina Ágatha

Ágatha Félix morreu atingida por tiro durante operação policial Por...
spot_imgspot_img

Movimentos sociais e familiares de mortos em operações policiais realizam ato em SP

Um ato para protestar contra a matança promovida pela Polícia Militar na Baixada Santista está agendado para esta segunda-feira, 18, às 18h,  em frente...

Massacre de Paraisópolis: policiais militares têm segunda audiência

O Tribunal de Justiça de São Paulo retoma, no início da tarde desta segunda-feira (18), o julgamento dos 12 policiais militares acusados de matar...

Câmara do Rio de Janeiro promove encontro entre familiares de vítimas da violência do Estado

Pela primeira vez, a Câmara Municipal do Rio de Janeiro promoveu o “Café das Fortes” que reúne mães e familiares de vítimas do genocídio...
-+=