Comunidade negra comemora a construção da sede do Instituto Steve Biko

O dia 21 de março será lembrado pelo início oficial das obras da futura sede do Instituto Cultural Steve Biko. A instituição, que atualmente funciona em um imóvel alugado no Pelourinho, estará localizada no Campo Grande, coração do Centro Antigo de Salvador, oferecendo para os jovens um espaço para múltiplas vivências, como troca de saberes, formação e educação.

Do Steve Biko

Durante a cerimônia, militantes do movimento negro e dos direitos civis destacaram a importância das políticas de inclusão criadas pela instituição ao longo dos 25 anos de existência. “Fiquei emocionada quando vi a placa com o símbolo da Biko, essa casa que instigou o surgimento, no Brasil inteiro, de cursos pré-vestibulares, dando a oportunidade para pessoas negras estudarem e ingressarem numa faculdade tendo a consciência da sua trajetória, a Biko é uma das maiores obras do movimento negro nessas últimas décadas”, relatou Regina Ademi, ativista do movimento de mulheres negras, referindo-se as aulas de Cidadania e Consciência Negra, matéria chave de todos os projetos do Instituto.

A instituição ganhou visibilidade e apoio internacional. Um dos responsáveis por tamanha proporção é o norte americano Joe Beasley, que milita pelos direitos civis nos Estados Unidos. “Tinha ouvido falar que a maioria dos negros brasileiros estavam concentrados na Bahia, eu visitei a África do Sul no final do apartheid e sabia que Steve Biko havia doado a sua vida contra a opressão naquela nação, conhecer a instituição que carrega este nome fez com que eu viesse visitar o Instituto”, contou Beasley, que veio ao Brasil para participar do lançamento.

Tarry Cristina, diretora pedagógica da Biko destacou a importância da união para alçar novos voos e construir a Faculdade Steve Biko. “A gente vai crescendo nos nossos sonhos, o céu é o limite e é isso que hoje a gente tem que firmar aqui um laço de irmandade, de solidariedade, muita calma, cautela e tolerância entre os nossos, fundamental frente a tudo que está sendo implementado no Brasil, numa política que vai de encontro ao que nossos ancestrais nos colocaram, aqui é só uma pontinha do iceberg”, relatou emocionada.

A instalação da sede própria no Campo Grande, local de grande movimentação e rápido acesso, vai facilitar a circulação do conhecimento e será mais um ponto de interação da população negra que entrará para a história do Centro Antigo de Salvador.

+ sobre o tema

Curta baiano Odoyá é selecionado para o Festival Nacional Cine.ema

O curta-metragem baiano Odoyá, de Cristhyane Ribeiro e Victor...

Alemanha amplia indenização a sobreviventes do Holocausto

Em negociações com representantes judaicos, governo alemão...

Elicarlos se diz preparado para insultos racistas na Argentina

Fonte: Terra Notícias - Depois de ter acusado...

para lembrar

Curta em stop motion traz mito da criação do universo contado por Orixás

Produtora baiana reuniu artistas e técnicos especializados para a produção...

Debate discute o protagonismo no negro na sociedade nesta quarta-feira (17/06)

Evento conta com o lançamento do livro Gramática da...

Um bom ano para Mulheres Negras no Cinema

2013 foi um ano bastante interessante para as estrelas...
spot_imgspot_img

Grávida, Iza conta que pretende ter filha via parto normal: ‘Vai acontecer na hora dela’

Iza tem experienciado e aproveitado todas as emoções como mamãe de primeira viagem. No segundo trimestre da gestação de Nala, fruto da relação com Yuri Lima, a...

‘Bad Boys 5’ já está sendo discutido, afirma produtor

‘Bad Boys: Até o Fim‘ estreou há apenas uma semana, mas um 5ª filme para a franquia estrelada por Will Smith e Martin Lawrence já está sendo discutido. A...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=