Conexões diaspóricas: mobilização da Marcha das Mulheres Negras no mundo

Mulheres negras de 21 países da América Latina, Caribe e da Diáspora presentes na Primeira Cumbre de Lideresas Afrodescendientes de las Américas, na Nicaragua assinam documento de apoio a Marcha das Mulheres Negras Brasileiras Contra o Racismo, a Violência e Pelo Bem Viver, que acontecerá dia 18/11, em Brasília.
  

Carta da Primeira Cumbre de Lideresas Afrodescendientes de las Américas em apoio à Marcha de Mulheres Negras Brasileiras

Nós, mulheres afrodescendentes da América Latina, Caribe e da Diáspora, reunidas em Manágua, Nicarágua de 26 a 28 de junho de 2015, na Primeira Cumbre de Lideresas Afrodescendientes de las Américas com representação de 22 países da região, apoiamos a realização da Marcha das Mulheres Negras Brasileiras Contra o Racismo, a Violência e pelo Bem Viver, a ser realizado em Brasília (Brasil), no dia 18 novembro de 2015, com o objetivo de visibilizar as lutas das mulheres negras.

A Marcha das Mulheres Negras no Brasil é uma reação coletiva das afro-brasileiras contra o racismo e todas as formas de opressão que as atinge. É um movimento construído e protagonizado por mulheres negras das áreas urbana e rural e de diferentes segmentos com o objetivo de construir um processo político, que fortaleça positivamente a condição de ser mulher negra no Brasil, e o bem viver para todas.

Neste processo de articulação internacional pró-marcha somamos esforços à luta das mulheres negras brasileiras entendendo que o resultado da Marcha vai impactar as mulheres negras de todo o continente e contribuirá, significativamente, para a construção de uma sociedade justa, igualitária, sem violência, onde todos e todas possam viver com dignidade, prazer e pleno exercício de sua cidadania, sem preconceito e discriminação de qualquer natureza.

Assinam esta carta as 270 representantes dos 22 países América Latina, Caribe e da Diáspora, que compõe a Associacíon Red de Mujeres Afrolatinoamericanas, Afrocaribeñas y de la Diáspora presentes na Primeira Cumbre de Lideresas Afrodescendientes de las Américas.

Manágua, 28 de junho de 2015

+ sobre o tema

Su poesía llama la atención a todos los hombres negros que odian a las mujeres negras

¡Todas las mujeres merecen respeto! Crystal Valentine y Aaliyah Jihad...

Quase 50 anos depois, clássico da literatura negra chegará ao Brasil

Clássico da literatura negra chegará ao Brasil: chegará às...

Grace Passô, a melhor atriz do Brasil

Apesar de desconhecida pelo grande público, ela é incensada...

Rebeca Andrade fica em 5º lugar no solo com Baile de Favela nas Olimpíadas

Um passo. Foi isso que separou Rebeca Andrade de...

para lembrar

Beatriz Nascimento, atlântica

Sem perder a atualidade, a poetisa e intelectual continua...

A primeira juíza mulher da NBA e sua história de resistência

“Eu sabia que todo mundo estava esperando que eu...

Pela primeira vez Boeing 737 é pilotado apenas por mulheres

A história da aviação ganhou um novo capítulo na...

Maria Júlia Coutinho será a primeira mulher negra a apresentar o Jornal Nacional

Jornalista entra para o rodízio de apresentadores do noticiários...
spot_imgspot_img

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Comida mofada e banana de presente: diretora de escola denuncia caso de racismo após colegas pedirem saída dela sem justificativa em MG

Gladys Roberta Silva Evangelista alega ter sido vítima de racismo na escola municipal onde atua como diretora, em Uberaba. Segundo a servidora, ela está...

Uma mulher negra pode desistir?

Quando recebi o convite para escrever esta coluna em alusão ao Dia Internacional da Mulher, me veio à mente a série de reportagens "Eu Desisto",...
-+=