Guest Post »
Conheça atitudes simples para combater o racismo na escola!
Créditos da foto: @PAULBONAFIDEEFERIANOR

Conheça atitudes simples para combater o racismo na escola!

Todos nós queremos que os estudantes se tornem cidadãos globais aderidos a um mundo cada vez mais diversificado. E há casos, como relatos recentes de racismo em jogos universitários,  que reforçam quão necessário é combater a intolerância desde cedo, nas escolas. Sendo assim, como combater o racismo, um dos principais inimigos de uma sociedade civilizada?

Por AMANDA AVELINO, do  Estante Mágica

@PAULBONAFIDEEFERIANOR

O ponto principal é nutrir o espírito de tolerância ao perguntar – e compartilhar – tradições culturais pessoais e outras características que tornam os indivíduos únicos.

Aqui estão orientações básicas e eficazes para desenvolver a tolerância cultural na sua escola, de forma a impedir problemas como o racismo no dia a dia:

Leve diversidade cultural para a sala

Integre “adereços” multissensoriais em lições para aprofundar o aprendizado sobre uma variedade de culturas.

Uma coisa é aprender sobre países da África a partir de um livro de estudos sociais.

Outra é permitir que os alunos vejam, ouçam, sintam e conheçam itens interessantes, como música, palavras e dialetos, contos populares, histórias pessoais de imigrantes, instrumentos musicais, obras de arte, artesanato, alimentos, fotografias, tecidos e joias.

Exponha os alunos a uma variedade de pessoas e ambientes

Quebrar barreiras começa com conhecer pessoas e passar tempo com elas. Se a escola puder administrar uma viagem de campo fora do local, experimente uma feira étnica ou um festival, uma vizinhança ou um restaurante étnico.

Antes, faça as crianças lerem ou pesquisarem sobre as culturas que serão exploradas durante a viagem de campo.

Incentive os alunos a fazer perguntas sobre as pessoas que encontrarem ou a organizar antecipadamente alguém em um desses locais que esteja disposto a passar alguns minutos conversando com os alunos.

Levar oradores negros e que possam abordar o assunto delicadamente com as crianças também pode ser uma opção. Peça aos alunos que preparem as perguntas com antecedência.

Até mesmo funcionários da escola e alunos podem atuar como palestrantes. Visitais a museus locais também são ótimos lugares de aprendizagem.

Artefatos, obras de arte e outros tesouros culturais são excelentes exemplos históricos para os estudantes entenderem a importância de combater o racismo e a aprenderam o valor da diversidade.

Garanta que a aprendizagem cultural vá além das comemorações

Festas, comidas e artes negras são importantes, mas não deixe de se aprofundar no assunto para ajudar as crianças a entenderem as experiências do dia a dia.

Aproxime-os de personalidades históricas e eventos que marcaram sobre a luta racial no Brasil e no mundo.

Para os alunos maiores, discuta como etnia, religião, cultura, geografia e status socioeconômico se cruzam, resultando em experiências de vida muito diferentes para diferentes grupos de pessoas.

Use livros para explorar tópicos difíceis

Falar sobre combater o racismo no Brasil é um assunto espinhoso, especialmente ao abordar a questão racial com crianças.

Por isso, nada melhor do que estocar a sala de aula com livros que compartilham as experiências pessoais de diversos indivíduos.

Envolva os alunos na discussão depois de ler em grupo ou peça às crianças que escolham um livro que lhes interessa e depois informe à turma sobre o que aprenderam.

Além disso, incluir outros tipos de arte também é uma ótima pedida para combater o racismo nas escola de forma eficaz.

Os alunos irão compreender de forma mais prático como pequenos atos ou falas podem perpetuar tal ideia. Por exemplo: é muito comum que algumas crianças sejam ensinadas que a cor bege na caixa de lápis de cor pode ser chamada de “cor de pele”.

A intenção é que o professor tente descontruir este conceito que parece bobo, mas irá dar um novo e valioso olhar sobre a questão da pluralidade de cor de pele existe no Brasil e no mundo.

O educador ainda pode levar para a sala de aula diversas “cores de pele” e pedir para os alunos fazerem seus autorretratos ou desenharem o colega.

Implemente lições explícitas sobre racismo e resolução de conflitos

Quando ensinamos sobre culturas diferentes, mas evitamos conversas sobre os aspectos desafiadores das diferenças humanas, a mensagem que os estudantes podem tirar é que “porque todas as culturas são interessantes e divertidas, todos se dão bem”.

Em vez disso, reserve tempo para lições completas e concretas sobre como combater o racismo e lidar com mal-entendidos culturais, maus tratos e confrontos. Mostre exemplos que retratam que o problema ainda existe e é essencial eliminá-lo.

Ensine sobre justiça social

Ensine sobre o trabalho de organizações e movimentos que trabalham para promover a tolerância e a compreensão em todo o mundo.

Discuta opções de carreira que envolvam esse tipo de trabalho. Envolva as crianças em todo o trabalho escolar e social da justiça social.

Assim como o bullying, o racismo é um ato que é muito comum em ambientes escolares e que pode ser combatido com um bom trabalho social.

A imersão de todos os envolvidos, desde os pais e familiares aos funcionários da escola e da comunidade local resulta em um belo trabalho de conscientização.

Atividades e iniciativas usadas no Dia do Índio, por exemplo, também podem servir de inspiração para retratar sobre o assunto na sala aula com os alunos.

Essas sugestões levarão a novos olhares sociais, valorização da autoestima de crianças negras, indígenas, entre outras, na escola e a reconhecer os comportamentos desiguais, os preconceitos e a enxergar que as coisas podem ser diferentes.

É um assunto difícil e que muitas vezes não é aprofundado nas escola, mas que os pais e professores devem sempre se empenhar em levar até os seus alunos.

Inclua como pauta nas reuniões pedagógicas, busque sempre atualizações e atente-se às situações cotidianas que podem reproduzir o problema.

Vamos trabalhar juntos para combater o racismo desde cedo nas escolas?

Artigos relacionados