Coronavírus: por que alguns pacientes já recuperados voltam a ter teste positivo para covid-19, segundo OMS

Enviado por / FonteBBC

Algumas pessoas estão testando positivo mais de uma vez em exames do novo coronavírus, explica a Organização Mundial da Saúde (OMS), agregando que isso não significa necessariamente que elas voltaram a adoecer da covid-19.

“O que estamos vendo em algumas pessoas é que, depois de ter dado positivo para covid-19, passada uma semana ou duas, ou até mesmo mais tempo, elas testam positivo de novo”, explica à BBC a médica Maria Van Kerkhove, epidemiologista da OMS. “O que acontece na verdade é que, enquanto os pulmões se curam, algumas células mortas do pulmão são expulsas. São esses fragmentos de pulmão que levam ao teste positivo.”

Os testes de reação em cadeia da polimerase — com os quais se “amplificam” ou copiam pequenos segmentos de DNA — são os recomendados pela OMS para confirmar os casos de covid-19, uma vez que detectam diretamente o ácido ribonucleico (RNA), ou seja, o material genético do vírus, nas amostras tiradas de secreções respiratórias do paciente.

Assim, o resultado positivo em segundos exames, mesmo depois que o paciente estiver recuperado da covid-19, “não é (sinal da presença do) vírus infeccioso, não é uma reinfecção, não é uma reativação (da doença), mas sim parte do processo de cura do corpo, que é registrado na amostra que dá positivo”, explicou Van Kerkhove no programa da BBC The Andrew Marr Show.

A grande dúvida: uma pessoa pode pegar o vírus mais de uma vez?
Ao ser questionada se um paciente recuperado da covid-19 pode voltar a se contaminar com o novo coronavírus, a técnica da OMS apontou que essa é uma das perguntas ainda sem resposta definitiva.

“O que sabemos até agora é que, quando uma pessoa pega a covid-19 desenvolve anticorpos e tem uma resposta imune entre uma e três semanas depois da infecção”, descreveu.

“O que estamos tentando entender agora é essa resposta do sistema imunológico: quer dizer que (o paciente) ganha imunidade? Quer dizer que ele tem uma proteção mais forte contra uma reinfecção? E, se for esse o caso, quanto tempo dura essa proteção?”

+ sobre o tema

CRM absolve médicos condenados por venda de órgãos

  Carlos Eduardo Cherem Os médicos Cláudio Rogério...

O racismo é fator determinante para o adoecimento das mulheres negras

por Vera Daisy Barcellos Buscar garantir o direito à saúde...

Evangélicos miram comissões que têm poder de barrar temas sensíveis à igreja

Frente parlamentar da qual faz parte o pastor Marco...

Deputado mais rico vira réu por trabalho escravo

João Lyra, dono do Grupo João Lyra, é acusado...

para lembrar

OMS declara epidemia de ebola emergência sanitária internacional

Países afetados terão que vigiar fronteiras, aeroportos e portos. A...

Aranha recebe prêmio de direitos humanos por enfrentar o racismo

A manhã desta quinta-feira certamente não será esquecida por...

Atual projeto de nação não tem lugar para povos indígenas, diz indígena e doutor em antropologia

Após manifesto de funcionários da Funai por um plano de ...
spot_imgspot_img

Evento do G20 debate intolerância às religiões de matriz africana

Apesar de o livre exercício de cultos religiosos e a liberdade de crença estarem garantidos pela Constituição brasileira, há um aumento relevante de ameaças...

Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

A participação de Geledés - Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13,...

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...
-+=