quinta-feira, outubro 29, 2020

    Tag: COVID-19

    Foto: Agência Brasil

    Ao menos 5 mil crianças sofreram violência doméstica durante a pandemia em SP

    A cidade de São Paulo registrou ao menos 5 mil casos de violência doméstica contra crianças durante o isolamento social da pandemia do coronavírus. O número foi contabilizado pela Secretaria Municipal da Saúde por meio de atendimentos em unidades de saúde ou hospitais desde março. Segundo a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Berenice Maria Giannella, os casos identificados envolvem tanto agressões físicas quanto psicológicas. “A gente suspeitava que isso pudesse acontecer durante a pandemia, porque a maior parte da violência contra criança e adolescente, no Brasil, é praticada dentro da família”, afirma, em entrevista ao jornal Agora. Uma das alternativas da prefeitura, sob gestão de Bruno Covas (PSDB), foi a reabertura dos Centros Criança e Adolescentes (CCAs), que estavam fechados por causa da pandemia. Os centros acolhem crianças de 6 a 14 anos e que vivam em vulnerabilidade social. Os locais oferecem atividades culturais e esportivas no contraturno das escolas. ...

    Leia mais
    Jorge Aragão — Foto: Léo Queiroz / Divulgação

    Jorge Aragão recebe alta e volta para casa

    Por uma mensagem nas redes sociais, o cantor e compositor Jorge Aragão, de 71 anos, confirmou que foi para casa após passar por uma internação por causa do coronavírus. Ele afirma que se recupera em casa da doença. “Vencemos mais essa batalha. Já estou em minha casa desde o último domingo e em plena recuperação. Fica aqui a minha reverência e gratidão aos profissionais da saúde e a todos vocês pelas mensagens positivas”, afirmou Aragão. Jorge Aragão foi internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Unimed, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, no dia 13 de outubro. No último dia 20 de outubro, a assessoria do cantor confirmou que ele foi transferido para um quarto. Mesmo durante a pandemia, Jorge Aragão lançou trabalhos. Na segunda parte do álbum o álbum Jorge Aragão 70 – Ao vivo em São Paulo, apresentada na sexta-feira, 23 ...

    Leia mais
    Foto: Diêgo Holanda/G1

    Proporção de negros nas prisões cresce 14% em 15 anos, enquanto a de brancos cai 19%, mostra Anuário de Segurança Pública

    Em 15 anos, a proporção de negros no sistema carcerário cresceu 14%, enquanto a de brancos diminuiu 19%. Hoje, de cada três presos, dois são negros. É o que revela o 14º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado neste domingo (18) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Dos 657,8 mil presos em que há a informação da cor/raça disponível, 438,7 mil são negros (ou 66,7%). Os dados são referentes a 2019. Percentual de negros tem aumentado ano a ano — Foto: Elcio Horiuchi/G1 Segundo o Anuário, as prisões no país estão se tornando, ano a ano, espaços destinados a um perfil populacional cada vez mais homogêneo. “No Brasil, se prende cada vez mais, mas, sobretudo, cada vez mais pessoas negras.” “Existe, dessa forma, uma forte desigualdade racial no sistema prisional, que pode ser percebida concretamente na maior severidade de tratamento e sanções punitivas direcionadas aos negros”, ...

    Leia mais
    Reprodução/Facebook

    Começa agora a terceira etapa do Programa Convida do Instituto Moreira Salles

    Diante da situação de vulnerabilidade causada pela pandemia de covid-19 na sociedade brasileira, e particularmente na produção das artes, o Instituto Moreira Salles lançou em abril deste ano o Convida, um programa de apoio à criação artística que já passou por duas etapas – anunciadas em abril e em julho – e que agora entra em sua terceira fase. Nas duas primeiras, o projeto disponibilizou R$ 1.000.000,00 para comissionar cerca de 120 projetos de artistas e de coletivos, apresentados no site e nas redes sociais do IMS. A terceira etapa do Programa Convida tem início agora. O IMS continua apoiando a produção artística e os artistas, que seguem em situação de vulnerabilidade devido às restrições trazidas pela pandemia. A reabertura limitada dos espaços culturais faz com que sejam pequenas as possibilidades de encontro e de fruição conjunta de obras de arte ou de eventos artísticos em contato com seus possíveis ...

    Leia mais
    Flávia Oliveira (Foto: Arquivo/ O Globo)

    A urgência da fome

    Por uma porção de conveniência política e um punhado de incompetência técnica, o governo de Jair Bolsonaro adiou para depois das eleições 2020 a decisão sobre a política social no pós-pandemia. Na prática, ficará para 2021, já que o segundo turno do pleito municipal está marcado para 29 de novembro. Assim, ignorou-se descaradamente a regra número um de quem se ocupa do combate à extrema pobreza: quem tem fome tem pressa. A frase eternizada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, deu na cruzada brasileira pela erradicação da miséria; desaguou no Fome Zero, no primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva; emendou no Bolsa Família. Rendeu a saída do Brasil do Mapa da Fome da ONU, no início desta segunda década do século XXI, que chega ao fim com o recrudescimento da insegurança alimentar. O aumento da vulnerabilidade social mundo afora, durante a pandemia da Covid-19, explica o Nobel ...

    Leia mais
    Comércio reabriu em junhona capital do Amazonas (Foto: MÁRIO OLIVEIRA/SEMCOM)

    Coronavírus: como desigualdade entre ricos e pobres ajuda a explicar alta de casos de covid-19 em Manaus

    Em resumo, dados e especialistas apontam que o vírus chegou à cidade com as classes mais abastadas em rotas internacionais e nacionais e depois se espalhou com força pelos bairros mais pobres. Hospitais públicos e cemitérios ficaram lotados. As mortes em casa mais que dobraram. Quando passou o pico da doença, que matou quase 3 mil pessoas, e a cidade se reabriu, foram os mais abastados que começaram a encher leitos de hospitais privados em proporção cada vez maior porque lhes faltam duas coisas: distanciamento social, que antes os salvou mas depois deixaram de praticar, e anticorpos, que o isolamento inicial impediu que desenvolvessem. Mas para entender como a cidade chegou a uma tragédia que agora se repete, é preciso voltar ao início da pandemia. O primeiro caso oficial na capital do Amazonas surgiu em 13 de março. Uma mulher de 39 anos que voltou infectada de Londres e procurou ...

    Leia mais
    Imagem ilustrativa

    Violência contra mulheres: a “pandemia na sombra” da Covid-19

    Nos últimos meses, aumentaram os casos de violência, abuso sexual e feminicídios em África e no mundo. E este aumento pode estar, em parte, ligado à Covid-19. A Organização das Nações Unidas (ONU) já chama-de "pandemia na sombra" à violência contra mulheres. No primeiro semestre de 2020, a Libéria registou um aumento de 50% nos casos de violência de género: só entre janeiro e junho registaram-se mais de 600 casos de violação; em todo o ano de 2018 tinham sido 803. Na Nigéria, a violência sexual também aumentou durante o confinamento: em junho, os casos de duas jovens violadas e mortas chocaram o país. Já no Quénia, segundo a imprensa local, quase 4 mil estudantes engravidaram durante o encerramento das escolas, alegadamente por terem sido violadas por familiares ou agentes da polícia. "A situação já era má para as mulheres mesmo antes do coronavírus. A pandemia apenas levantou o véu sobre ...

    Leia mais

    A pesquisa: “O direito à educação de crianças e adolescentes em tempos de pandemia” estará disponível para preenchimento até o dia 11 de outubro!

    A pesquisa "O direito à educação de crianças e adolescentes em tempos de pandemia" estará disponível para preenchimento até o dia 11 de outubro. Sua contribuição é fundamental! Participe pelos links abaixo: Para famílias  https://pt.surveymonkey.com/r/ZSN5W3S Para professoras/es https://pt.surveymonkey.com/r/ZRDBDCJ Para organizações da sociedade civil  https://pt.surveymonkey.com/r/ZSWGKH7

    Leia mais
    Getty Images

    As mães demitidas durante a pandemia: “Tentei conciliar trabalho com meu bebê, mas perdi o emprego”

    A pandemia chegou quando a advogada Nádia Silva, de Goiás, estava em seu segundo mês de licença-maternidade. Mãe solo (embora receba pensão do pai da criança), ela pretendia juntar um mês de férias à licença e aproveitar o período para encontrar um berçário para deixar o bebê quando voltasse ao trabalho. O plano não deu certo: os berçários continuam fechados, e a empresa exigiu a volta dela sem conceder as férias. A analista de contratos tentou equilibrar tudo - cuidados com o bebê, trabalho em tempo integral em home office e cuidados com a casa -, mas a situação ficou insustentável. "Às vezes eu acordava às 4h da manhã para terminar meu trabalho antes de o bebê acordar. E também fazia todo o trabalho doméstico", conta à BBC News Brasil. "Dois meses depois, pedi para a empresa um novo arranjo e um aumento, para eu poder pagar uma babá. Acho ...

    Leia mais
    Josimar Priori (Arquivo Pessoal)

    Não parem de trabalhar!!!

    No dia 14 de agosto deste ano um homem morreu durante o trabalho numa rede multinacional de hipermercados. A morte ocorreu por volta das 8h da manhã, o corpo foi ocultado por guarda-sóis e tapumes até ser recolhido pelo Instituto Médico Legal em torno das 12h enquanto a loja permaneceu aberta ao público. Em tempos de pandemia, este caso parece ser apenas mais uma gota no acúmulo de catástrofes. Olhamos, perplexos e impotentes, insensíveis talvez, o encadeamento de tragédias: uma criança morta ao cair do 9° andar enquanto a mãe cuidava do pet da patroa, a empregada doméstica morta depois de contrair o coronavírus na casa em que prestava serviço; as mortes por Covid-19, por seu turno, já ultrapassam o número de 131 mil, mas parece que não são mais do que partes inevitáveis de paisagem social em que a produtividade, em vez servir, se tornou mais importante que a vida. O ...

    Leia mais
    Logo da ONU em sede de Nova York (Imagem: Lucas Jackson)

    Defesa de agenda doméstica por Bolsonaro na ONU mostra como Brasil apequenou política externa

    O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da 75ª Assembleia Geral da ONU, realizado virtualmente na manhã desta terça-feira (22), mais uma vez mostra como o Brasil apequenou sua política externa ao fazer uso de uma das tribunas mais importantes do mundo para defender sua gestão ambiental e de combate à pandemia de Covid-19. Diante da comunidade internacional, Bolsonaro minimizou a gravidade da crise ambiental, responsabilizou indígenas pelas queimadas e atacou organizações da sociedade civil por uma suposta campanha de difamação cujo objetivo seria minar a liderança brasileira na produção de alimentos. No quesito pandemia, embora ainda defenda publicamente a cloroquina —uma medicação sem eficácia científica comprovada contra o novo coronavírus—, o presidente adota a tese de que a Justiça delegou aos governadores a responsabilidade de agir no combate à doença, quando na verdade o presidente se uniu ao seleto grupo de chefes de estado negacionistas, agindo ativamente contra ...

    Leia mais
    Carteira de trabalho e previdência social - Gabriel Cabral/Folhapress

    Desemprego diante da pandemia tem alta de 27,6% em quatro meses no país, aponta IBGE

    O Brasil encerrou o mês de agosto com cerca de 12,9 milhões de desempregados, 2,9 milhões a mais que o registrado em maio, o que corresponde a uma alta de 27,6% no período. É o que apontam os dados divulgados nesta quarta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já a população ocupada no mercado de trabalho foi estimada em 82,1 milhões de pessoas, acumulando redução de 2,7% em relação a maio, quando este contingente somava cerca de 84,4 milhões de pessoas. País encerrou agosto com o maior número de desempregados desde que o IBGE começou a analisar o desemprego na pandemia — Foto: Economia/G1 Com isso, a taxa de desocupação ficou em 13,6%, a maior no acumulado mensal desde então. Entre as cinco regiões do país, as maiores taxas foram observadas no Nordeste (15,7%), no Norte (14,2%) e no Sudeste (14,0%). Já as ...

    Leia mais
    Foto Observatório do 3o. Setor

    Será que é castigo?

    Quando a pandemia do novo coronavírus começou a ameaçar a sociedade brasileira surgiram vários discursos, provenientes de igrejas cristãs, atribuindo o pavor que a humanidade experimenta no momento a um castigo divino. Vários religiosos que seguem a mesma orientação teológica desse que vos escreve se empenharam a desconstruir essa narrativa tentando esclarecer que não é vontade de Deus castigar a humanidade de forma tão cruel. Primeiramente porque nos identificamos com a face de Deus apresentada no Salmo 102: “o Senhor é bondoso, paciente, compassivo e carinhoso”. Portanto um Deus com essas características é muito ágil pra perdoar e lento para castigar. Além disso, aprendemos do Novo Testamento que a vida de seres humanos jamais deverá ser dada como sacrifício depois de Jesus ter derramado seu sangue na cruz. Isso não implica eliminar o castigo do horizonte da aventura humana, mas tão somente reconhecer que os castigos mais cruéis que a ...

    Leia mais
    Lancellotti tem 71 anos, dos quais quase 36 dedicados à causa da população em situação de rua e outros grupos marginalizados - (Foto: Rafael Stedile)

    Padre Júlio Lancellotti: “Existir no Brasil já é uma rebeldia”

    Conhecido como rebelde, o Padre Júlio Lancellotti tem usado as redes sociais para lutar contra o fascismo e pedir solidariedade endêmica em tempos de coronavírus. Sem medo de censura, o Padre Júlio Lancellotti, da arquidiocese de São Paulo, usa as redes sociais para combater o avanço do fascismo no Brasil. Em seu canal no Youtube todos os domingos, durante a homilia, ele fala das desigualdades sociais e da importância da empatia para atravessarmos esse momento difícil da pandemia da COVID-19. Com 35 anos de ordenação, antifascismo para ele é mais que um rótulo, é uma prática cotidiana e necessária. “Em um País que está vivendo o neofascismo que estamos vivendo todo tipo de resistência, rebeldia, desobediência é um sinal de sanidade mental”, avalia. Nascido em 1948 na cidade de São Paulo, Padre Júlio Lancellotti dedicou sua vida na Igreja Católica a trabalhar com jovens encarcerados, portadores de HIV, população LGBTQIA+, sem teto e diversos outros segmentos de pessoas em situação de risco social e econômico. Durante a pandemia do novo ...

    Leia mais
    (Foto: Reprodução/Getty Images)

    Negacionismo científico: a produção política e cultural de desinformação

    Antes restrito a grupos articulados em torno de interesses religiosos ou econômicos específicos e aos amantes de teorias da conspiração, o negacionismo científico tem ganhado corações e mentes nos últimos anos por intermédio das redes sociais. Com a chegada da COVID-19, o fenômeno se intensificou e o que era a contracorrente tornou-se, em alguns casos, discurso oficial e política de Estado. Teria esse processo de institucionalização do negacionismo na figura de líderes políticos comprometido a eficácia das medidas de combate à pandemia em países como Brasil, Estados Unidos e Reino Unido? Essa é a hipótese que vem sendo investigada pelo pesquisador da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP) Renan Leonel, em parceria com colegas da Columbia University (Estados Unidos) e da University of Vienna (Áustria). O projeto, intitulado Viral agnotology: COVID-19 denialism amidst the pandemic in Brazil, United Kingdom, and United States (Agnotologia viral: negação da COVID-19 ...

    Leia mais
    Adobe

    Pesquisa: O direito à educação de crianças e adolescentes em tempos de pandemia

    Geledés - Instituto da Mulher Negra está realizando a pesquisa O direito à educação de crianças e adolescentes em tempos de pandemia com professoras/es, famílias e organizações da sociedade civil da cidade de São Paulo. Se você leciona ou tem filhas/os matriculadas/os em escolas públicas da educação básica desta cidade (municipal, estadual, técnica ou federal), ou faz parte de alguma organização que atua em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, pedimos sua colaboração. Para professoras/es - https://pt.surveymonkey.com/r/ZRDBDCJ Para famílias - https://pt.surveymonkey.com/r/ZSN5W3S Para organizações da sociedade civil - https://pt.surveymonkey.com/r/ZSWGKH7 Sua contribuição é fundamental para o desenvolvimento deste trabalho. Se você tiver dúvidas ou dificuldades para responder o questionário, escreva para um dos contatos abaixo que uma pessoa entrará em contato para fazer a entrevista. WhatsApp: (11) 94826-8455 E-mail: [email protected]

    Leia mais
    Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo/Arquivo

    Dia Internacional da Alfabetização: impacto da Covid-19 sobre a igualdade na educação

    Nesta semana (08/09) foi comemorado o Dia Internacional da Alfabetização. Para a ocasião, traduzimos abaixo artigo de David Archer, chefe de participação e serviços públicos da ActionAid, entidade que faz parte do Comitê Diretivo da Campanha. No texto, Archer descreve os desafios e possíveis soluções para impedir o aumento de desigualdades educacionais no contexto de pandemia. As escolas podem atuar como uma poderosa força equalizadora em qualquer sociedade, mas a pandemia de Covid-19 poderá aprofundar as desigualdades educacionais existentes. No auge da crise de saúde do coronavírus, 1,5 bilhão de crianças estavam temporariamente fora da escola. Para as crianças privilegiadas, isso significou um novo ritmo de fazer os trabalhos escolares online em casa, mas para as crianças que vivem na pobreza, muitas vezes significa uma suspensão completa de sua educação. À medida que as crianças voltam à escola este mês, dezenas de milhões enfrentarão novos e sérios desafios, seja porque ...

    Leia mais
    Adulto segura braço de criança em foto de arquivo — Foto: Marcos Santos/USP Imagens

    Denúncias de violência contra crianças e adolescentes caem 12% no Brasil durante a pandemia

    O número de denúncias de violência contra crianças e adolescentes no Brasil caiu 12% durante os meses da pandemia em 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado. Segundo dados do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, foram registradas 26.416 denúncias pelo canal “Disque 100” entre março e junho deste ano, contra 29.965 no mesmo período de 2019. O número de registros em 2020 é o segundo menor para o período em toda série histórica, iniciada em 2011. Ele só superou as 24.188 denúncias que foram feitas em 2018. (veja tabela abaixo). Para o advogado, especialista em direitos da infância e juventude e ex-conselheiro do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), Ariel de Castro, o fechamento das escolas por conta da quarentena obrigatória contra o coronavírus pode ter influenciado na diminuição das denúncias. “A subnotificação das denúncias acaba sendo um efeito colateral do isolamento ...

    Leia mais
    Reproução/Facebook/@joaoboscoterapeuta

    João Bosco Borba morreu nesta quarta por complicações da covid-19

    Presidente da Associação Nacional dos Coletivos de Empresários afro-brasileiros (Anceabra), João Bosco Borba, morre por complicações do novo coronavírus na noite desta quarta-feira (9/9), em São Paulo. A confirmação da morte foi dada pelo diretor da entidade, Mário Nelson Carvalho. Nas redes sociais, várias mensagens de carinho ao brasiliense que teve forte participação em movimentos negros no Distrito Federal e militante pelo Partido dos Trabalhadores (PT). "As pessoas são insubstituíveis em sua existência, e quando são especiais, além da falta que fazem àqueles que as amam, deixam o mundo mais pobre. Sem o nosso amigo, o mundo perde um pouco do seu brilho, alegria e cor. Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos. Pedimos a Deus que conforte o coração dos familiares e amigos neste momento de dor", diz uma das publicações. "Agradecemos a sua dedicação às causas sociais e pela luta incansável em defesa de uma sociedade digna, fraterna e ...

    Leia mais
    Empreendedores sociais da Rede Folha durante a cerimônia do Prêmio Empreendedor Social de 2019, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress,)

    Premiação mobiliza 33 parceiros de destaque na área socioambiental

    O Empreendedor Social do Ano em Resposta à Covid-19 é fruto da articulação de atores relevantes no ecossistema de impacto e inovação social no Brasil. O prêmio especial de 2020, realizado pela Folha e pela Fundação Schwab, uma das comunidades do Fórum Econômico Mundial, conta com 33 apoiadores, entre patrocinadores e sete parceiros estratégicos, 21 parceiros institucionais e de divulgação.​ Para lançar o concurso em um cenário tão desafiador, as premissas da edição especial foram traçadas após reunião de um conselho consultivo formado por 15 representantes da sociedade civil, do setor privado e do terceiro setor, responsável também pela formatação do prêmio em três categorias (Ajuda Humatária, Mitigação da Covid-19 e Legado Pós-Pandemia). Um dos patrocinadores da edição é a Ambev, que por meio de seu programa de voluntariado já colocou em prática diversas ações de combate aos efeitos da pandemia. “Fazer parte dessa edição especial do Prêmio Empreendedor Social ...

    Leia mais
    Página 1 de 17 1 2 17

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist