As Relações Sociais das Festividades N.S do Rosário dos Homens Pretos na Coroação do Rei Congo na década de 1840

Introdução

A presença de africanos no Brasil contribuiu maciçamente com religiosidade presente na em diversas regiões do país quando se trata de cultura de pessoas escravizadas compreendemos o legado desse povo na formação social e religiosa brasileira.

As festas do Rosário muitas vezes têm uma atmosfera festiva, com musica, dança, e comida tradicional, além de serem momentos importantes para as comunidades locais e reunirem em fé e devoção.  A construção do templo se deu por volta de 1662-1667 no século XVII autorização do Rei de Portugal Dom Afonso VI piedoso por esses irmãos do Rosário assim o fizeram e levantaram o templo dedicado a sua padroeira conhecida como protetora do escravizados. Nesses espaços de festa surgi então à coroação do Rei Congo no da festividade de N.S, do Rosário, palco de diversas disputas na eleição do cargo que ficava sob os cuidados na mesa regedora, onde se registrava tudo que acontecia na igreja.

O Orago de Nossa Senhora do Rosário: Minha Santa Padroeira 

Imagem principal da N.S do Rosário dos Homens Pretos , localizada no bairro de Santo Antônio do Recife -PE (Foto: Arquivo Pessoal/ Tiago dos Santos Silva)

A imagem de Nossa Senhora do Rosário foi testemunha dos festejos presentes nesse templo principalmente as coroações do Rei de Congo uma vez que foram coroados diversos reis e rainhas de muitas nações e saiam pelas ruas do Recife. O que chama a atenção é a bela imagem de Nossa Senhora do Rosário trazida de Portugal em meados do século XVII, possui policromia, está no altar principal da Rua Estreita do Rosário no bairro de Santo Antônio.

Além dessa citada a igreja possui outros santos de devoção em capelas lateral como Santa Ifigênia, São Elesbão, entre outros santos, algumas peças pertencentes à igreja fazem parte do acervo do permanente do MAPS de Pernambuco em Olinda, além de outros santos negros venerados por essas irmandades e confrarias do Rosário. Muitas irmandades de negros pardos possuíam capelas próprias, o que era extremamente valorizado, pois isso dava a elas maior autonomia e independência em suas tarefas do dia a dia (Viana, p, 2012.47). 

Conflitos na Coroação do Rei Congo na década de 1840

A coroação do Rei Congo é múltipla e diversa, também conhecida como Manikongo historicamente envolveu diversos conflitos religiosos, políticos e culturais devido à importância do Orago, ou seja, padroeira principal dentro de uma capela e igreja, venerada por irmãos e irmãs do Rosário dos Pretos.

Esses conflitos em torno da coroação do Rei Congo ocorriam muitas vezes envolviam disputas pelo trono tão cobiçado de diversas linhagens da realeza, principalmente quando se tratava das Nações africanas que eram diversas que aqui chegaram através do comercio de pessoas escravizadas oriundas da costa africana, muitas facções rivais, grupos de outras etnias ou até alguma interferência de outros países como Portugal, visto que essas coroações começaram na Europa.


REFERENCIAS 

BRASIL, Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira, Brasília, 2004.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC, 2017.  

KOSTER, Henry. Viagens ao Nordeste do Brasil.  Tradução, prefácio e comentários Luis da Câmara Cascudo. Volume 2, 12ª Edição.

SANTOS, Lídia Rafaela Nascimento dos. Das festas aos botequins: organização e controle dos divertimentos no Recife (1822 – 1850). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, 2011.

VIANA, Larissa Moreira. As festas Negras (p. 48, 49), In: ABREU, Martha; DANTAS, Carolina Vianna; MATTOS, Hebe. (org.). O negro no Brasil: trajetórias e lutas em dez aulas de história. 1ª ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012


Tiago dos Santos Silva

Graduado em História
Especialista em História e Cultura Afro Brasileira
Mestrando pelo Programa de Pós-graduação em História PPGH UNICAP
Professor da Rede Estadual de Ensino 2 ° grau Ensino Médio
Atualmente desenvolve pesquisa na área de História sobre As Festas de N.S do Rosário dos Homens Pretos do Recife no século XIX 


** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 

+ sobre o tema

Mulheres Negras Fumageiras: lutas de trabalhadoras no Recôncavo Baiano

Era segunda-feira e a cidade de São Gonçalo dos...

Todo Cientista é Branco? Não! Representações Contemporâneas sobre “Quem faz Ciência?”

As narrativas que se relacionam com o que compreendemos...

Mulheres de luta: as mães de ingênuos por força da Lei do Ventre Livre

Em 1880, um número considerável de mães solteiras escravizadas...

O Rio de janeiro continua… segregacionista

O samba de Gilberto Gil, intitulado de “Aquele abraço”...

para lembrar

Um olhar feminista e não branco sobre as Relações Internacionais

As Relações Internacionais (RI), no Brasil, foram concebidas por...

Nem senzalas, nem armarios: Reflexões sobre ser LGBTQI+ E NEGRE

Dia 17 de maio foi mais um dia internacional...

O racismo de mãos dadas com o vírus: desigualdade racial impera até na pandemia da Covid-19

Períodos difíceis tendem a evidenciar as maiores falhas ou...

Amanda Paranaguá Dória, a baronesa “morena” da abolição

Era aniversário da República naquela tarde de 15 de...

Uma Self com Filtro Feminista

Digamos que chegar numa cidade pela buceta é desafiador para qualquer uma. Que lufada embaraçosa! Não que eu seja totalmente contra constrangimentos, alguns até...

Vamos? … Como adiar o fim do mundo?

O fim do mundo sempre foi um tema recorrente na história da humanidade, seja por projeções de cunho religioso, (Apocalipse) politico bélico (guerra nuclear)...

Meu Corpo

Um corpo, apenas um corpo. Mas é muito mais que um corpo. Corpo humano, Corpo nu. Braços, pernas, cabeça, peitos, genitálias. Mulheres! Pela genitália me construíram...
-+=