terça-feira, agosto 4, 2020

    Tag: coronavírus

    (Foto: Spencer Platt/Getty Images)

    Por que a COVID-19 é mais mortal para a população negra? – Artigo de Edna Araújo e Kia Caldwell

    O Brasil e os Estados Unidos têm muito em comum quando se trata do coronavírus. Ambos estão entre os países mais atingidos do mundo, onde centenas morrem diariamente. O poder público máximo dos dois países possui opiniões semelhantes sobre a forma de lidar com a pandemia e têm sido criticados por isso. E em ambos os países o vírus está afetando desproporcionalmente os negros, resultado do racismo estrutural que remonta à escravidão. Desigualdades raciais O Brasil moderno nunca legalizou a discriminação racial como as leis Jim Crow nos Estados Unidos, mas as desigualdades raciais estão profundamente arraigadas. Apesar do persistente mito do Brasil como uma integrada “democracia racial”, a discriminação no mercado de trabalho caracterizada por menores salários para brasileiros pretos e pardos mesmo quando eles têm a mesma formação educacional de brasileiros brancos, assim como . segregação residencial , que determina que as pessoas negras, em sua maioria, residam ...

    Leia mais
    Foto: EPA

    Quatro mulheres negras à frente de pesquisas sobre a covid-19

    A professora e pesquisadora da Universidade Federal Fluminense (UFF) Andrea Alice da Silva fez pós-doutorado na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, em 2019, e retornou ao Brasil em fevereiro deste ano. Pouco tempo depois, sua vida teve uma mudança radical. Com a chegada do novo coronavírus, ela mudou sua linha de pesquisa e passou a se dedicar a ajudar no diagnóstico da doença. “A covid atropelou tudo. As minhas linhas de pesquisas originais estão todas paralisadas”, conta. Uma das brasileiras à frente dos estudos sobre a covid-19 no país, ela faz parte do diminuto universo de 23% de docentes negras no ensino superior do país, segundo o mais recente Censo de Ensino Superior do Inep, de 2018. Brancas são maioria (76%). A principal linha de pesquisa da professora da UFF é a hepatite C, na qual investiga como novos tratamentos para a doença são conduzidos no Brasil, já que ...

    Leia mais
    Banco de Imagens Pixabay

    Especialistas apontam caminhos para o combate à pandemia no segundo semestre

    Investir pesadamente em estratégias de vigilância em saúde que possibilitem identificar e isolar rapidamente pessoas com sintomas de COVID-19 e seus contatos próximos. Manter as escolas fechadas pelo menos até o fim deste ano. Fazer campanhas para conscientizar a população sobre a necessidade de respeitar medidas de proteção, como uso de máscaras e distanciamento social, até que se tenha uma vacina eficaz. Parar de minimizar a importância da pandemia ou de transmitir a ideia de que o pior já passou. Uma vez que os índices de isolamento social vêm caindo em todo o país e há cada vez menos clima político para a adoção de medidas rígidas de contenção do novo coronavírus – como por exemplo a adoção de lockdown –, essas seriam as medidas mínimas a serem tomadas pelos gestores de todas as esferas governamentais para garantir que os brasileiros atravessem o segundo semestre de 2020 com alguma segurança. ...

    Leia mais
    Foto: Agência Brasil

    Após projeção de aumento de mortes por Covid-19 entre crianças, governo de SP pede para comitê reavaliar volta às aulas

    O centro de contingência contra o coronavírus, comitê do governo de São Paulo que delibera sobre a quarentena no estado, vai reavaliar a volta às aulas programada para o início de setembro. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (16) após o coordenador-executivo do grupo, o médico João Gabbardo, ser questionado sobre uma projeção matemática que estima até 17 mil mortes entre crianças com a retomada das escolas em todo o Brasil. “Em função dessas novas informações, a gente pediu para que o centro de contingencia, que tem discutido isso com o secretário da educação, faça uma reavaliação daquilo que já foi definido. Tão logo nós tenhamos essas informações, a gente vai trazer aqui para a entrevista coletiva”, disse Gabbardo. A afirmação ocorre dois dias depois do seminário da Fapesp sobre coronavírus no qual o matemático Eduardo Massad, professor titular da Escola de Matemática Aplicada Fundação Getúlio Vargas (FGV), criticou a ...

    Leia mais
    Teste para coronavírus aplicado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal — Foto: Matheus Oliveira/Saúde-DF

    Negros são maioria dos mortos por coronavírus no DF, apontam dados da Secretaria de Saúde

    Os negros são maioria entre as pessoas mortas pelo novo coronavírus no Distrito Federal. Segundo dados da Secretaria de Saúde (SES-DF), o grupo representa 53,9% das vítimas. Não negros são 43,9%, e 2,2% não tiveram a raça informada. As informações foram divulgadas na terça-feira (7), em um estudo da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan). Os dados constam do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) da Secretaria da Saúde e são referentes às 358 mortes contabilizadas na plataforma até 29 de junho. O número traz apenas parte dos 559 óbitos por Covid-19 que já haviam sido confirmados até a data. Eles seguem a mesma tendência do levantamento do Ministério da Saúde que apontou que 1 em cada 3 mortos por Covid-19 é negro. O registro das demais mortes no DF não havia sido inserido no sistema até 6 de julho. Segundo a secretaria, "a defasagem observada se deve às ...

    Leia mais
    (Foto: Marta Azevedo)

    Freio na solidariedade

    Na esteira da pane no mercado de trabalho, da queda de renda das famílias, das dificuldades financeiras das empresas e da precipitada flexibilização do isolamento social nas principais metrópoles brasileiras, diminuiu o volume de doações que viabilizam ações humanitárias em favelas e periferias. Projetos de entrega de cestas básicas, kits de higiene, água potável e até de produção de máscaras de proteção individual (agora de uso obrigatório nas cidades) perceberam o freio na solidariedade, a partir do terceiro mês da crise decorrente da pandemia da Covid-19. É sinal preocupante, porque a vulnerabilidade das famílias que perderam trabalho, renda ou provedores segue imensa. E ainda não tem prazo para terminar. Os principais coletivos de favelas do Rio de Janeiro que, na primeira hora da crise sanitária, se organizaram para socorrer os lares lançados subitamente à extrema pobreza notaram a partir de junho o encolhimento das doações. Aconteceu no Gabinete de Crise ...

    Leia mais
    (Foto: Abari Rosa/ Gazeta do Povo)

    Jovem negro de 28 anos preso com 10g de maconha morre de covid-19 em MG

    Preso desde 2018 pelo porte de 10 gramas de maconha, o jovem negro Lucas Morais de Trindade, 28, morreu no último sábado (4) vítima da covid-19, no presídio de Manhumirim, em Minas Gerais. A informação foi confirmada pelo advogado de Lucas, Felipe Peixoto, e pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública). Ele estava sendo processado desde dezembro de 2018 por tráfico de drogas. Neste período, a defesa impetrou dois habeas corpus para tentar soltar Trindade, mas os magistrados negaram. Em contato com a reportagem, a Sejusp informou que a morte está sob investigação. No atestado de óbito de Lucas, no entanto, consta o coronavírus como causa da morte, com confirmação via teste rápido. A própria secretaria afirma que ele foi diagnosticado com o vírus no último dia 25. Atestado de óbito de Lucas Morais de Trindade (Foto: Arquivo Pessoal) "Até a última sexta-feira ...

    Leia mais
    Teste para Covid-19 — Foto: Ethan Miller / Getty Images via AFP

    COVID-19 dispara números de normativas publicadas pela União

    Entre janeiro e maio de 2020, o governo do presidente Jair Bolsonaro e outros órgãos federais editaram um total de 1.236 normas jurídicas durante a pandemia de Covid-19. O número geral inclui portarias (705), resoluções (65), medidas provisórias (32) e decretos presidenciais (14), entre outros. Esse é um dos resultados do estudo inédito elaborado pelo Cepedisa (Centro de Pesquisa e Estudos sobre Direitos Sanitário) da Faculdade de Saúde Pública da USP (Universidade de São Paulo) em parceria com a Conectas Direitos Humanos. A partir de pesquisa no Diário Oficial da União e outras publicações oficiais, o projeto “Mapeamento e análise das normas jurídicas de resposta à Covid-19 no Brasil” pretende analisar todas as normas jurídicas de resposta à pandemia de Covid-19 no país nos âmbitos federal, estadual e municipal em boletins publicados quinzenalmente. A primeira edição do Boletim Direitos na Pandemia, que contemplou o período de 1º de janeiro a ...

    Leia mais
    Banco de Imagens Pixabay

    As ruas e a Covid-19: novas e velhas expressões das desigualdades sociorraciais durante a pandemia

    Em janeiro de 2020, a OMS declarou que o surto de Sars-Cov-2 (novo coronavírus) constitui uma emergência de saúde pública de importância internacional. Em poucos dias, a Covid-19 foi caracterizada como pandemia. Até maio de 2020, já foram diagnosticados mais de quatro milhões e meio de casos e mais de trezentas mil mortes. Em poucos meses, a América do Sul se despontou como epicentro da crise, destacando-se o Brasil pela velocidade da transmissão do vírus e pela flexibilização das medidas restritivas, produzindo sua interiorização. Foram as elites do país que inicialmente adquiriram o vírus, trazendo-o através de viagens aéreas internacionais. Em meio ao negacionismo, relativismo e minimização dos efeitos da pandemia pelas classes médias, como apontado pelo Psicólogo e redutor de danos Iago Lôbo (2020), é o conjunto das trabalhadoras e trabalhadores braçais negras/os, frequentemente em situação de informalidade e destituídas de direitos trabalhistas (faxineiras, porteiros, entregadores e prestadoras de ...

    Leia mais
    (foto: Gomez)

    Morra quem morrer, o Brasil mostra que não está nem aí para o coronavírus

    Acabou. O Brasil decidiu mostrar a cara, sem proteção alguma, ao inimigo que matou 63 mil pessoas em pouco mais de três meses. Essas vidas perdidas para o novo coronavírus já superam em muito o total de brasileiros vítimas de mortes violentas por ano — em torno de 41 mil, segundo estudos mais recentes. De nada adiantou o sofrimento das famílias e amigos que perderam pessoas queridas e nem puderam se despedir. Tornou-se inglória a luta constante dos profissionais de saúde, que põem a vida em risco, enfrentam jornadas extenuantes, muitas vezes em condições dificílimas, para atender a doentes que exigem tratamento por horas, dias, semanas a fio. Caíram no vazio os alertas do ministro Mandetta; o “fique em casa”, recomendação seguida em todas as partes do mundo; ficaram na memória as entrevistas coletivas, diárias e transparentes, nas quais assistíamos a um esforço de conscientizar a população sobre os riscos ...

    Leia mais
    iStock

    A nova etapa do mapeamento da covid-19 em São Paulo mostra duas epidemias

    Por mais que a gente pudesse supor que seria assim, não dá para encarar a dura realidade dos números trazidos pelo SoroEpi MSP sem entrar em choque. O projeto, envolvendo médicos e cientistas da Universidade de São Paulo, do Grupo Fleury e do Ibope Inteligência — e que conta ainda com o apoio do Instituto Semeia e do Todos Pela Saúde —, criado para medir a proporção de indivíduos que já têm anticorpos contra o Sars-CoV 2 no município de São Paulo, mostra que a maior cidade da América Latina vive, no mínimo, duas epidemias que se propagam em velocidades bem diversas. Em uma delas, 6,5% das pessoas já tiveram contato com o vírus e seu organismo produziu anticorpos para se defender. A outra, porém, é bem mais cruel, porque nessa espécie de universo paralelo o coronavírus já infectou nada menos do que 16% da população. É, sim, o mesmíssimo ...

    Leia mais
    Imagem retirada do site Revista Marie Claire

    Após anos de luta pela emancipação feminina no campo, Covid ameaça direitos conquistados

    Quando os primeiros casos de Covid-19 foram registrados no Brasil, em março, eles se concentravam nas metrópoles, principalmente São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Com o aumento gradual dos infectados, o vírus começou a se espalhar por outras capitais e criou uma rota de contaminação para o interior do país, o que levou, inclusive, pesquisadores da Unesp (Universidade Estadual Paulista) a elaborarem um estudo sobre a “interiorização do vírus”. "Somente a partir do final de maio que os municípios tipicamente rurais, com cidades-sede com poucos habitantes, começaram a ser atingidos. Daqui para frente, eles serão sim mais impactados. Há agora uma preocupação do acesso que a população desses lugares terá aos serviços hospitalares para atendimento de casos mais graves que exigirão internação em UTI. Tratam-se de regiões que não possuem hospitais e terão de deslocar pacientes por ambulância até centros distantes (em alguns casos, mais de 200 km)", prevê Raul Guimarães, professor ...

    Leia mais
    Foto: Pedro Moraes/GOVBA

    Mercado de trabalho e informalidade no Brasil pós-Pandemia

    Introdução: Dias muito difíceis. Além da pandemia do Coronavírus, há o ambiente de crise política, e a tragédia de termos hoje um governo inepto e a economia paralisada. Esse é o cenário atual do Brasil. Já somos o país com maior incidência de mortes diárias pelo Covid-19. A equipe econômica está amedrontada e sem uma linha de ação traçada para esse momento. Cúmplice dos interesses dos bancos, evitam se desviar de sua política econômica, totalmente descolada da atual realidade. A cantilena da responsabilidade fiscal, fumaça e fogo para a implantação do Estado Mínimo e retirada das conquistas sociais históricas, não cabe no panorama atual. No momento de crise, a ação positiva do Estado é fundamental, até porque, nenhum empresário vai querer arriscar-se. Como sempre acontece, é o Estado o grande instrumento de enfrentamento da realidade mais perversa. Políticas keynesianas de aumento de gastos públicos e de reativação de setores-chave, potencialização ...

    Leia mais
    Crédito: Marta Ortiz/iStock

    Sem controle de surto no país, brasileiros serão impedidos de entrar na UE 

    Com o segundo maior número de casos no mundo e caminhando para também se transformar no segundo lugar com maior número de óbitos pelo coronavírus, o Brasil ficará de fora da primeira lista de países que poderão voltar a entrar nos 27 países da UE. Nesta quinta-feira, num comunicado, a Comissão Europeia indiciou que recomenda aos seus países que suprimam as fronteiras internas até 15 de junho de 2020 e prolonguem até 30 de junho de 2020 a restrição temporária às viagens não essenciais para a UE. Mas, para países de fora do bloco, a abertura será gradual e uma primeira lista de nacionalidades começará a vigorar a partir de 1 de julho, quando as fronteiras externas do bloco serão reabertas de forma parcial. O critério principal para a inclusão de um país é o de saber se o governo controla ou não o surto e se a taxa de ...

    Leia mais
    Ao redor do mundo, lideranças femininas estão a frente de algumas das melhores estratégias já vistas até aqui no combate ao novo coronavírus (Imagem retirada do site BBC)

    Coronavírus: por que países liderados por mulheres se destacam no combate à pandemia?

    E estas lideranças estão sendo elogiadas na mídia e nas redes sociais por suas atitudes, bem como pelas medidas que introduziram em face da atual crise global de saúde. Um artigo recente da colunista Avivah Wittenberg-Cox na revista Forbes as considerou "exemplos de verdadeira liderança". "As mulheres estão se colocando à frente para mostrar ao mundo como gerenciar um caminho confuso para a nossa família humana", escreveu. As mulheres representam 70% dos profissionais de saúde em todo o mundo. Já no mundo político, em 2018, elas eram apenas dez dos 153 chefes de Estado eleitos, de acordo com a União Interparlamentar. Apenas um quarto dos membros dos Parlamentos do mundo são mulheres. Embora também haja outros fatores sociais e econômicos que favoreçam estes países no enfrentamento à pandemia, analistas acreditam que as trajetórias sociais das mulheres — e não qualquer condicionamento biológico — tornem sua conduta como líderes também diferentes. ...

    Leia mais
    Divulgação

    Boletim de Olho Corona!

    MORADORES RELATAM AS DIFICULDADES NO ATENDIMENTO DAS UNIDADES DE SAÚDE Esta 5ª edição do Boletim “De Olho no Corona!” apresenta relatos de moradores da Maré, com sintomas de infecção pelo novo coronavírus, sobre a dificuldade de acesso ao atendimento nas unidades básicas de saúde (UBS), clínicas da família, unidades de pronto atendimentos (UPA) e hospitais da região. Os principais problemas identificados foram a falta de acolhimento e acompanhamento das pessoas com sintomas leves – resultando, em alguns casos, no agravamento do quadro e no óbito – e a ausência de leito nos hospitais levando à peregrinação por várias unidades de saúde. Tais impressões foram compiladas a partir da análise dos dados coletados e das entrevistas sociais online, ambas, frentes da campanha Maré diz NÃO ao Coronavírus, da Redes da Maré. Leia o Boletim De Olho Corona! completo

    Leia mais
    UTI exclusiva para pacientes da Covid-19 no Hospital Copa Star, em Copacabana Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo

    ‘População foi liberada para ir ao abatedouro’, diz integrante do portal Covid-19 Brasil sobre redução do distanciamento

    Os municípios brasileiros que reduziram o distanciamento social esta semana podem ter em dez dias um aumento de 150% no número de infectados e mortos pelo coronavírus. A projeção é de um grupo de cientistas de universidades de São Paulo, que alerta para o risco da explosão no Brasil. O especialista em modelagem computacional Domingos Alves, do portal Covid-19 Brasil, que reúne cientistas e estudantes de várias universidades brasileiras, explica que as projeções são baseadas nos números oficiais e nas taxas de crescimento de casos registradas em cidades que afrouxaram o distanciamento, como Blumenau (SC), no Brasil, e Milão, na Itália, em fevereiro, o que levou a Covid-19 a explodir na Itália em março. Em Blumenau, o número de infectados aumentou 160% cinco dias após a reabertura de shoppings e lojas de rua. Segundo Alves, os municípios do Rio de Janeiro e de Guarulhos têm a situação mais crítica devido ...

    Leia mais
    Foto: GCIS

    As lições que África do Sul pode dar ao Brasil na crise do coronavírus

    Desde o início da pandemia, a África do Sul vem se destacando pelo rigor adotado nas políticas de enfrentamento ao coronavírus. Menos de um mês após o primeiro registro da doença no país, que ocorreu em 05/03, o governo decretou estado de desastre nacional, com um severo lockdown que iniciou em 26/03. Agora, após dois meses do fechamento total do país, os sul-africanos se preparam para retomar sua rotina. A partir de 1/6, a África do Sul passa para o estágio 3 do confinamento e quase todas as atividades serão reabertas. Enquanto isso, o Brasil se aproxima cada vez mais da posição de epicentro da pandemia. Mas o que explica que países com tanta similaridade socioeconômica apresentem números tão diferentes com relação ao coronavírus? Até esta quinta-feira (28/05) a África do Sul registrou 27.610 casos com 580 mortes por Covid-19, enquanto o Brasil tem 418.608 casos com 25.935 mortes. Quando ...

    Leia mais
    Foto: Agner Rebouças

    O caminho da informação sobre a Covid-19 nas comunidades

    A Covid-19 já matou mais de 20 mil pessoas no Brasil, sendo quase 5 mil óbitos só no Estado de São Paulo, epicentro do novo coronavírus no País. Foi pensando na tentativa de ajudar a salvar milhares de vidas, frear o avanço descontrolado de casos do coronavírus e levar informação para as comunidades que nasceu o projeto “Diálogos Afrurbanos”. A iniciativa pretende produzir campanhas em vídeos com linguagem simples e acessível para socializar com as redes periféricas de sete favelas brasileiras. Cerca de 630 mil pessoas serão impactadas pelo projeto no complexo da Maré e Alemão, no Rio de Janeiro; Nova Constituinte, Beiru e Valéria, em Salvador; e em Vitória, no Espírito Santo, o projeto atuará na comunidade Território do Bem. Recebem também esta iniciativa, Paraisópolis e Vila Brasilândia em São Paulo, capital. Os vídeos com duração de cerca de 1 minutos abordarão os seguintes temas: necessidade de proteção para evitar o contágio ...

    Leia mais
    Adobe

    Pele Negra, Máscaras Brancas

    Enquanto a pandemia do coronavírus segue vitimando centenas de pessoas, todos os dias ao redor do mundo; o avanço da doença, que causa infecção respiratória grave expõe as contradições sociais no centro e na periferia do capital. O vírus que chegou ao Brasil vindo de avião, por meio das pessoas que vivem uma situação privilegiada no país, afetou primeiro as classes sociais com alto poder econômico. Agora no entanto a SARS-CoV-2, sigla em inglês que significa Severe acute respiratory syndrome coronavirus, alastra-se entre entre os pretos e pobres. Uma festa de casamento em Itacaré, no sul da Bahia, pode ter sido o foco dos primeiros casos de coronavírus no país. O cenário paradísiaco de Itacaré, com altar montado num pier e tendo como horizonte o lindo oceano Atlântico, expunha o luxo e a riqueza dos mais abastados; que infectados com o vírus espalhava-o para os demais convidados majoritariamente brancos, e ...

    Leia mais
    Página 1 de 14 1 2 14

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist