quinta-feira, abril 22, 2021

Tag: coronavírus

Sem tomar a segunda dose da vacina contra a covid-19, a proteção fica incompleta (Foto: GETTY IMAGES)

Covid-19: os riscos de não tomar a segunda dose da vacina

Num café da manhã com jornalistas realizado na última terça-feira (13/04) em Brasília, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que mais de 1,5 milhão de brasileiros não voltaram aos postos de saúde para receber a segunda dose da vacina contra a covid-19. De acordo com o Ministério da Saúde, São Paulo é o estado com o pior índice, com mais de 343 mil atrasados. Na sequência, aparecem Bahia (148 mil) e Rio de Janeiro (143 mil). Queiroga disse que pretende reforçar as campanhas para que todos completem o esquema vacinal. Para isso, vai contar com o apoio do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass). A informação do ministro foi complementada pela coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fantinato. A especialista pediu que todos aqueles que tomaram a primeira dose e já esperaram o intervalo mínimo necessário retornem até o local de vacinação mais próximo para completar ...

Leia mais
Tumulo no cemitério Vila Formosa, das quadras onde foram sepultados a maior parte das vitimas do Covid-19 (Foto: Lalo de Almeida/ Folhapress)

Brasil completa 17 dias de recorde de média móvel de mortes por Covid, com 1.275 óbitos em 24 h

O Brasil registrou 1.275 mortes pela Covid nesta segunda-feira (15). O país completa 17 dias consecutivos de recordes na média móvel de óbitos, que agora chegou a 1.855. O recorde anterior, do último domingo (14), era de 1.832. O país também também registrou 42.446 casos da doença. Com os dados dessa segunda, o Brasil chegou a 279.602 óbitos e a 11.525.477 infecções desde o início da pandemia. Mesmo com um registro elevado, acima de mil mortes, aos domingos, segundas e feriados, os dados sobre a Covid no país costumam ser menores, por causa de atrasos nas notificações em secretarias de saúde. O Brasil, que vive o pior momento da pandemia, também chega ao seu 54º dia de média móvel de mortes acima de 1.000. Essa média é um instrumento estatístico que busca amenizar grandes variações nos dados (como costumam ocorrer nos finais de semana e feriado). Os dados do país, ...

Leia mais
Oscar Vilhena Vieira, professor e cientista político (Foto: Jardiel Carvalho /Folhapress)

Flagelo presidencial

Ninguém resolve um problema negando a sua existência. Desde as primeiras mortes causadas pela Covid-19 no Brasil, há exatamente um ano, o presidente se negou a reconhecer as ameaças do novo vírus e a necessidade imperativa de colocar em prática um plano nacional de combate à pandemia. Pior do que isso, ao longo deste flagelo o presidente não perdeu uma oportunidade para conspirar contra a saúde e a vida dos brasileiros. Promoveu aglomerações, atacou as medidas de distanciamento social, ridicularizou o uso de máscaras e incitou a população a agir contra as medidas preventivas propostas pela comunidade científica e determinadas por diversos prefeitos e governadores dotados de algum senso ético ou, ao menos, de responsabilidade política. Em vez de se dedicar à aquisição e produção de vacinas em número suficiente para atender a população brasileira, empenhou-se na produção e distribuição de medicamentos sem qualquer comprovação científica, além de insultar países ...

Leia mais
Imagem: Getty Images

Boletim de Análise Político-Institucional nº 26, março 2021

No dia 14 de maio eu saí por aí Não tinha trabalho, nem casa, nem pra onde ir Levando a senzala na alma eu subi a favela Pensando em um dia descer, mas eu nunca desci.6 Lazzo Matumbi e Jorge Portugal A pandemia de Covid-19 trouxe condições trágicas para a humanidade. Além do contingente impressionante de mortos,7 provocou o adoecimento de outras dezenas de milhões de pessoas, levando a medidas de distanciamento social e ao tensionamento e expansão abrupta dos sistemas de saúde. Entre os efeitos da crise estão também a revisão de estratégias nacionais e internacionais de proteção social e desenvolvimento tecnológico e a reorganização de sistemas produtivos. Em que pesem, no entanto, a vivência global da pandemia e as visões românticas sobre um futuro comum mais humanizado, esses efeitos são compartilhados de modo desproporcional entre países, grupos sociais e comunidades. Recentes acontecimentos têm intensificado o debate sobre o ...

Leia mais
Vacinação contra a Covid-19 dos Quilombolas da comunidade Sucurijuquara, região isolada do Distrito de Mosqueiro, no Pará (Foto: FramePhoto / Agência O Globo)

Covid-19: maioria da população, negros foram menos vacinados até agora

Apenas 19% dos quase 5 milhões de vacinados no Brasil registrados pelo Ministério da Saúde até sexta-feira eram pretos ou pardos, segundo análise do GLOBO dos dados divulgados pela pasta. O percentual está muito abaixo da parcela da população que se identifica dessa forma: de acordo com o IBGE, 56% da população é negra (preta ou parda). Segundo a pasta, não há registro sobre a cor de 26% dos vacinados — ou seja, mesmo que todos eles fossem pretos ou pardos, o percentual de negros vacinados ainda seria menor que o da população brasileira. Os dados apresentam indícios de que as desigualdades econômicas do país que fizeram dos negros um dos grupos mais desproporcionalmente afetados pela Covid-19 podem estar influenciando também para que pretos e pardos não apareçam entre os primeiros vacinados, sobretudo pela prevalência de profissões em que não se encontram muitos negros, como no campo da medicina. De ...

Leia mais
Divulgação / Unisc Jornalista

Pesquisa revela que Bolsonaro executou uma “estratégia institucional de propagação do coronavírus”

A linha de tempo mais macabra da história da saúde pública do Brasil emerge da pesquisa das normas produzidas pelo Governo de Jair Messias Bolsonaro relacionadas à pandemia de covid-19. Num esforço conjunto, desde março de 2020, o Centro de Pesquisas e Estudos de Direito Sanitário (CEPEDISA) da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP) e a Conectas Direitos Humanos, uma das mais respeitadas organizações de justiça da América Latina, se dedicam a coletar e esmiuçar as normas federais e estaduais relativas ao novo coronavírus, produzindo um boletim chamado Direitos na Pandemia – Mapeamento e Análise das Normas Jurídicas de Resposta à Covid-19 no Brasil. Nesta quinta-feira (21/1), lançam uma edição especial na qual fazem uma afirmação contundente: “Nossa pesquisa revelou a existência de uma estratégia institucional de propagação do vírus, promovida pelo Governo brasileiro sob a liderança da Presidência da República”. Obtida com exclusividade pelo ...

Leia mais
Foto: Getty Images

Governo de SP retira quilombolas de grupo prioritário da vacinação contra Covid-19; lideranças vão se reunir para recorrer da mudança

As mais de 50 comunidades reconhecidas como remanescentes de quilombos no estado de São Paulo não têm mais data para o início da vacinação contra Covid-19. A população quilombola, que pertencia ao grupo prioritário máximo, ao lado de profissionais de saúde e indígenas, segundo o plano publicado no início de dezembro pelo governo estadual, não consta mais na primeira etapa de prioridade de vacinação de São Paulo. Procurada pelo G1, a secretaria da Saúde disse, por telefone, que o grupo foi excluído da primeira etapa de vacinação porque a Anvisa não teria autorizado o uso emergencial da CoronaVac nesta população. A Anvisa, no entanto, nega a informação, e diz que não há nenhuma restrição deste tipo na autorização para uso emergencial da CoronaVac concedida no último domingo (17). No final de 2020, quando foi divulgado oficialmente pelo Ministério da Saúde, o Plano Nacional de Imunização também incluía quilombolas, comunidades tradicionais ...

Leia mais
Mônica Calazans tem 54 anos e trabalha na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas (Foto: Arquivo pessoal)

Corinthians celebra primeira vacinada no Brasil: “corintiana de Itaquera”

O Corinthians comemorou hoje a vacinação de Monica Calazans, enfermeira que foi a primeira pessoa a ser vacinada com a vacina contra covid-19 em território brasileiro. Em publicação, o Timão celebrou o momento e afirmou que a enfermeira ser corintiana é algo que "comove". "Parabéns, Mônica Calazans. Saber que a primeira brasileira vacinada contra a Covid-19 é uma enfermeira corinthiana de Itaquera é algo que comove a todos nós. A Fiel inteira te abraça no simbolismo e na esperança trazida por este momento. #VacinaJá", disse o clube paulista em publicação.   Ver essa foto no Instagram   Uma publicação compartilhada por Corinthians (@corinthians) O presidente do Corinthians, Duilio Monteiro Alves, convidou Mônica para visitar o Parque São Jorge e receber uma homenagem do clube. "Hoje, uma corinthiana de Itaquera fez história. Para a enfermeira Mônica Calazans, a 1a. pessoa vacinada contra o coronavírus no país, meu desejo de muita saúde ...

Leia mais
Clientes e comerciantes sem utilizar máscaras de maneira correta em lanchonete na av. Álvaro Ramos, na Água Rasa (Foto: Zanone Fraissat - 08.jan.2021/Folhapress)

Zona leste tem cinturão de bairros que concentram mortes por Covid-19

O recrudescimento da pandemia de Covid-19 na cidade de São Paulo tem feito mais vítimas na zona leste da capital. Dos dez distritos com mais mortes por 100 mil habitantes nos meses de novembro e dezembro de 2020, seis ficam na região. A concentração de óbitos está localizada em um cinturão formado por Água Rasa, Vila Prudente e São Lucas —colados em Sapopemba, região recordista de mortes em números absolutos na cidade, onde o coronavírus já fez 642 vítimas fatais desde março do ano passado. Entre as áreas mais afetadas, juntam-se ainda os distritos de Aricanduva, Vila Matilde e Tatuapé, bairro de alto padrão da zona leste. Mortes por Covid-19 nos distritos da capital 642 é o número de mortos pelo coronavírus em Sapopemba, região que reúne mais óbitos da doença na cidade.  Fonte: Pro-Aim (Programa de Aprimoramento das Informações de Mortalidade), da Prefeitura de São ...

Leia mais
Mônica Calazans tem 54 anos e trabalha na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas (Foto: Arquivo pessoal)

Primeira a ser vacinada é mulher, negra e enfermeira do Emílio Ribas em SP

A primeira pessoa escolhida para tomar a Coronavac, vacina desenvolvida pela chinesa Sinovac em parceria, no Brasil, com o Instituto Butantan, é mulher, negra e enfermeira. Ela receberá o imunizante depois que a Anvisa aprovar o seu uso emergencial. Será a primeira, fora dos ensaios clínicos, a ser vacinada. Mônica Calazans tem 54 anos e trabalha na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo. A instituição é referência no tratamento de doenças infecciosas. Ela deu plantão neste domingo (17) na UTI do hospital. A enfermeira foi imunizada minutos depois do aval da agência sanitária, numa estratégia do governador de São Paulo, João Doria, de aplicar a primeira vacina antes do governo de Jair Bolsonaro. O presidente da República tentou importar às pressas a vacina desenvolvida por Oxford/Astrazeneca da Índia para se antecipar a Doria. Mas o país não permitiu a exportação. Do grupo de risco, ela é ...

Leia mais

Carta para Isabela

Filha minha, O menino nasceu e com ele uma mãe, um pai, três avós, três avôs, muitas tias, muitos tios — sim, é um arranjo familiar complexo, que ele vai precisar de tempo para dominar. No coração, a matemática é simples: multiplicam-se os aparentados, unifica-se o clã. Martin é produto de dois ramos de oliveira aproximados pelo amor. É Oliveira ao quadrado, de mãe e pai. Por causa dele, toda essa gente tornou-se comunidade, aldeia, tribo. Do dia para a noite, é tudo sobre ele. É dele nossa torcida; dele nossa fé, reza e devoção. Por ele, festa e preocupação; descanso e despertar. Para ele, amor. Na derradeira segunda-feira deste ano que encerra a segunda década do século XXI, tambores e sinos ecoaram para anunciar a mudança em nossas vidas. Eu ouvi. Era dia de Exu, orixá que é palavra e movimento; e das Santas Almas Benditas, representação de nossos ...

Leia mais

81 lideranças de movimentos negros de todo país gravam mensagem ao povo brasileiro

Neste ano de 2020, o povo negro brasileiro gritou em alto e bom som: “Enquanto houver RACISMO, não haverá DEMOCRACIA!” Será um ano lembrado pela luta e resistência do movimento negro, que ocupou o debate público como nunca antes. Em 2021, a luta contra o racismo e pelas vidas negras continua! Este é o MANIFESTO da COALIZÃO NEGRA POR DIREITOS Neste 2020, o povo negro brasileiro gritou em alto e bom som: “Enquanto houver RACISMO, não haverá DEMOCRACIA!”. Será um ano lembrado pela luta e resistência do movimento negro, que ocupou o debate público como nunca antes. Em 2021, a luta contra o racismo e pelas vidas negras continua! Assista esse vídeo gravado por 81 lideranças de movimentos negros de todo país com uma forte mensagem ao povo brasileiro. Este é o MANIFESTO da COALIZÃO NEGRA POR DIREITOS. Assine: https://comracismonaohademocracia.org #ComRacismoNãoHáDemocracia  Participam do vídeo: Abner Sótenos – Coletivo de ...

Leia mais
FOTO: SIA KAMBOU/AFP

Uma homenagem da diáspora para Manu Dibango

A palavra “mano” não era uma palavra típica da nossa família. O “mano” chegou através de um irmão que viveu muitos anos no Rio de Janeiro, voltando pra Salvador o trouxe pra minha família e, volta e meia aqui na diáspora reencontro esse falar brasileiro. A gente gosta de irmandades. Mas o mano aqui é um grande irmão musical que não nasceu dentro da minha família sanguínea e sim dentro da minha família panafricana. Morando aqui na Alemanha é que vim conhecer esse “mano”, que é Manu Dibango. Nascido em Douala, maior cidade dos Camarões, ele veio ao mundo dia 12 de dezembro de 1933. Filho de um pai do grupo Yabassi e a mãe uma Duala. No ano de 1950 ele começa a aprender a tocar piano, mais tarde vai para a França para estudar música e lá começa a tocar nas noites de Paris o que traz grandes ...

Leia mais
Adobe

Mais de 60% dos países violaram direitos humanos na pandemia

Seis em cada dez países do mundo adotaram medidas problemáticas em termos de direitos humanos, ou de normas democráticas para enfrentar a pandemia de coronavírus - afirma um relatório publicado nesta quarta-feira (9) pela ONG International IDEA. O estudo, que envolve quase todos os países do mundo, conclui que 61% das nações adotaram medidas consideradas "ilegais, desproporcionais, sem limite de tempo, ou desnecessárias", em ao menos uma esfera relativa às liberdades democráticas. Embora 90% dos regimes autoritários tenham violado direitos fundamentais, a ONG, com sede em Estocolmo, especializada no estado da democracia no mundo, aponta que 43% dos países considerados democráticos também cometeram abusos. As conclusões eram previsíveis para os regimes autoritários, mas "o que é mais surpreendente é que tantas democracias tenham adotado medidas que são problemáticas", disse à AFP o secretário-geral da ONG, Kevin Casas-Zamora. A ONG examinou as diferentes medidas adotadas em todo mundo para determinar se eram problemáticas, ...

Leia mais
Foto: Scott Olson/Getty Images

Pandemia afeta a volta ao trabalho para a mulher negra

Análise do PNAD/IBGE de momentos distintos do cenário nacional aponta que o trabalhador negro sempre é o primeiro a perder a carteira assinada e o posto de trabalho em momentos de crise econômica no país. Em estudo elaborado por professoras de Economia da FACAMP (Faculdades de Campinas), os dados colocam em último lugar a mulher negra, como a que sofre as piores consequências. No caso da grave crise enfrentada pelo Brasil entre 2014 e 2019 (taxa de desocupação era de 11% no quarto trimestre de 2019 e a taxa de subutilização, 23%), com grandes percentuais de desemprego e perda de postos de trabalho, a mulher negra, mesmo neste contexto desfavorável, foi a que mais se movimentou em busca de oportunidades. No total do Brasil, nesse período, o número de mulheres ocupadas aumentou 5% (principalmente em conta-própria e em empregadoras), mas quando se analisa o recorte de cor da população (divisão ...

Leia mais

Pesquisa sobre ações de enfrentamento à pandemia COVID-19 na região metropolitana de São Paulo estará disponível para preenchimento até o dia 07 de dezembro!

Olá!   Nós, Geledés - Instituto da Mulher Negra, Rede Conhecimento Social e um grupo de coletivos e movimentos sociais, estamos realizando uma pesquisa sobre as formas de atuação e enfrentamento à pandemia da COVID-19 protagonizadas pela sociedade civil na região metropolitana de São Paulo. Buscamos identificar as problemáticas enfrentadas, as experiências, as ações e os desafios destas iniciativas. Este estudo é fundamental para visibilizar as formas de intervenção realizadas por grupos, coletivos, movimentos e instituições dos territórios, que podem trazer lições de impacto social imediato tanto para órgãos governamentais como para os organismos internacionais. É também importante por buscar deixar evidente quais são as emergências das comunidades da região em um momento de crise. A identificação das estratégias efetivas e bem-sucedidas de enfrentamento à pandemia e das necessidades dos diferentes grupos populacionais neste novo  contexto ajuda a reorientar as ações institucionais que buscam fomentar e dar suporte à atuação ...

Leia mais
Dados do relatório indicam que um em cada três Yanomami já pode ter sido contaminado pelo novo coronavírus (Foto: Pieter Van Eecke/Clin d'Oeil Films)

Coronavírus avança 250% em três meses na Terra Yanomami e relatório cita ‘total descontrole’

Relatório inédito produzido por uma rede de pesquisadores e líderes Yanomami e Ye'kwana indica que a pandemia de coronavírus avançou 250% em três meses dentro da Terra Indígena Yanomami e um em cada três moradores da região pode ter sido contaminado. A situação é descrita como "total descontrole." Relatório inédito produzido por uma rede de pesquisadores e líderes Yanomami e Ye'kwana indica que a pandemia de coronavírus avançou 250% em três meses dentro da Terra Indígena Yanomami e um em cada três moradores da região pode ter sido contaminado. A situação é descrita como "total descontrole." O número de casos confirmados no território saltou de 335 para 1.202 entre agosto e outubro, conforme o documento intitulado "Xawara: rastros da Covid-19 na Terra Indígena Yanomami e a omissão do Estado". Monitoramento da ONG Rede Pró-Yanomami e Ye’kwana, que integra o relatório, contabiliza 23 mortes, entre confirmados e suspeitos de Covid-19, de ...

Leia mais
Foto: Getty Images

Após alta de internações por Covid em hospitais privados, rede municipal de SP mostra mesma tendência

A tendência de aumento de internações por Covid 19 já registrada em alguns hospitais privados de São Paulo começou a ser observada também na rede pública municipal nesta última semana. Segundo a Info Tracker, uma ferramenta desenvolvida por pesquisadores da Unesp e da USP que monitora o avanço da pandemia no estado, entre 7 e 13 de novembro, hospitais municipais de São Paulo tiveram alta de 9% nas internações (de 556 para 604). Na Baixada Santista, o aumento foi de 23% (de 180 para 222), e na região norte da Grande SP, de 37% (19 para 26). Segundo os pesquisadores, além do aumento das internações, observa-se também uma alta de 50% de casos suspeitos e da taxa de aceleração do contágio do coronavírus. Os dados vêm dos boletins epidemiológicos municipais e são processados por meio de modelagem matemática e inteligência artificial. “Não é uma pequena oscilação. É uma alta consolidada, ...

Leia mais
Alina Rosanova/ Adobe

O isolamento é um fantasma constante e contínuo: a escrita colaborativa versus a repressão acadêmica e o confinamento emocional na vida de estudantes negras

Compartilhar minha experiência como estudante de doutorado em Campo em meio ao confinamento social provocado pela epidemia do Coronavírus me leva diretamente a compartilhar essa experiência a partir da encruzilhada com a minha situação como imigrante nos EUA, como doutoranda negra, pobre, mãe ou qualquer outro identificador social que existisse nesse contexto de Pandemia. Se é verdade que a situação de isolamento social provoca efeitos sobre a escrita e a experiência da pesquisa de Campo que estamos vivendo, a Pandemia é apenas mais um marcador para estudantes não-brancos ficarem cada vez mais vistos como o “Outro”; a “Minoria” ou “Deficiente”. Trago breves vinhetas sobre minha experiência como estudante negra de doutorado em Campo e em processo de escrita da tese em meio a Pandemia. Enfatizo de antemão como o relacionamento com um grupo de mulheres negras de pós graduação me forneceu o apoio logístico, emocional e psicológico necessário para avançar ...

Leia mais
Empreendedores sociais da Rede Folha durante a cerimônia do Prêmio Empreendedor Social de 2019, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress,)

Premiação mobiliza 33 parceiros de destaque na área socioambiental

O Empreendedor Social do Ano em Resposta à Covid-19 é fruto da articulação de atores relevantes no ecossistema de impacto e inovação social no Brasil. O prêmio especial de 2020, realizado pela Folha e pela Fundação Schwab, uma das comunidades do Fórum Econômico Mundial, conta com 33 apoiadores, entre patrocinadores e sete parceiros estratégicos, 21 parceiros institucionais e de divulgação.​ Para lançar o concurso em um cenário tão desafiador, as premissas da edição especial foram traçadas após reunião de um conselho consultivo formado por 15 representantes da sociedade civil, do setor privado e do terceiro setor, responsável também pela formatação do prêmio em três categorias (Ajuda Humatária, Mitigação da Covid-19 e Legado Pós-Pandemia). Um dos patrocinadores da edição é a Ambev, que por meio de seu programa de voluntariado já colocou em prática diversas ações de combate aos efeitos da pandemia. “Fazer parte dessa edição especial do Prêmio Empreendedor Social ...

Leia mais
Página 1 de 15 1 2 15

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist