Corpo de nazista Erich Priebke continua sem lugar para funeral

 

O criminoso de guerra nazista Erich Priebke continua sem lugar para o funeral, uma semana depois de morrer em Itália aos 100 anos.

“O lugar de Priebke não é aqui”, considera Klaus Kitzmann, um residente de Hennigsdorf, onde Priebke nasceu. “A nossa história já é suficientemente complicada”, adiantou o aposentado de 70 anos, que tem vivido neste subúrbio de Berlim desde há 54 anos, à AFP.

A Itália condenou Priebke em 1998, três anos depois de ter sido extraditado pela Argentina, para onde fugiu depois da II Guerra Mundial, por ter assassinado 335 civis num local próximo de Roma, durante o conflito.

“Priebke nasceu aqui, mas viveu fora a maior parte da sua vida”, acrescentou Kitzmann, dizendo que se ninguém quiser os seus restos mortais, “deve ser cremado e as suas cinzas espalhadas” em algum lugar.

Sentado a uma mesa no café Madlen, situado em frente de um monumento aos que foram assassinados nos campos de concentração nazis, Kitzmann parece expressar o sentimento geral dos residentes de Hennigsdorf.

 

Fonte: DCM

+ sobre o tema

“Perdi meu emprego por ser negra” conta gerontóloga Thádia Marques

A gerontóloga Thádia Marques, 30 anos, de São Paulo,...

Carta Aberta (afetiva) aos técnicos sociais de Medida Socioeducativa

Técnico Social é como está na carteira de trabalho....

Chamada de ‘neguinha’, estudante é barrada em casa noturna em SP

Jovem ainda enfrentou problemas para registrar ofensa racial em...

O mandato interrompido e o legado de Marielle Franco

Hoje, 14 de novembro, véspera das eleições municipais em...

para lembrar

As várias dimensões do racismo religioso

Em caso de racismo religioso, Prefeitura de Salvador desrespeita...

Athletico divulga mensagem contra o racismo, e Nikão cobra: “Quando isso vai acabar?”

Após o meia-atacante Nikão relatar ofensas de cunho racista,...

Dias Toffoli defende ações afirmativas para combater discriminação racial

O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e...
spot_imgspot_img

Racista é condenado a oito meses de prisão por ataques a Vini Jr

O Real Madrid anunciou, nesta quarta-feira, que um racista foi condenado a oito meses de prisão por ataques a Vinicius Junior e Rüdiger. As agressões foram...

Da neutralidade à IA decolonial

A ciência nunca esteve isenta das influências e construções históricas e sociais do colonialismo. Enquanto a Revolução Industrial é frequentemente retratada como o catalisador...

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...
-+=