Cuba rejeita acusações de racismo de líderes negros dos EUA

O Governo de Cuba afirmou nesta sexta-feira que são “falaciosas” as acusações de racismo feitas nesta semana por aproximadamente 60 líderes e intelectuais americanos negros contra a ilha.

 Do Terra 

 

Um comunicado distribuído por veículos de comunicação oficiais afirma que as acusações são “delirantes”. Os dirigentes negros disseram que, em Cuba, ainda persiste um “insensível desprezo” e que há restrição das liberdades civis “por razões de raça”.

 

O comunicado, assinado por oito funcionários e intelectuais ligados ao Governo de Havana, afirma que os críticos americanos tentaram impor “uma imagem distorcida da sociedade cubana contemporânea”, apoiados pelos “círculos políticos mais intolerantes e pelos veículos de comunicação mais poderosos”.

O documento destaca ainda que, com as acusações, “fica evidente a intenção de somar respeitáveis vozes da comunidade afro-americana à campanha anticubana, que pretende destruir nossa soberania e identidade”.

Para negar que exista racismo hoje na ilha, as autoridades lembram que “mais de 350 mil voluntários cubanos combateram junto a seus irmãos africanos contra o colonialismo” há décadas, e que “mais de dois mil combatentes de Cuba morreram naquele continente”.

“Uma personalidade de indiscutível destaque no contexto internacional, (o líder sul-africano) Nelson Mandela, reconheceu o papel desses voluntários na quebra definitiva do regime do apartheid”, destaca o documento.

Entre os americanos que denunciaram que há racismo em Cuba estão o ex-pastor Jeremiah Wright, da Igreja que Barack Obama frequentava em Chicago, e Cornell West, professor da Universidade de Princeton.

A réplica de Havana foi assinada, entre outros, pelo escritor Miguel Barnet, presidente da União de Escritores e Artistas (ligada ao governo), e a poetisa negra Nancy Morejón, presidente da Associação de Escritores de Cuba.

Matéria original

+ sobre o tema

No Brasil, africanos sofrem racismo e perseguição da polícia

São raros os empregos para os imigrantes africanos,...

Quilombolas

Demorou, mas saiu. O IBGE divulgou, em 27 de...

Rodolfo, do Lokomotiv, faz coro com Zico e reclama do racismo no futebol russo

Fonte: Írohín Jornal Online O técnico Zico, do CSKA Moscou,...

O PNLD Literário e a censura

Recentemente fomos “surpreendidas” pela censura feita por operadoras da...

para lembrar

MPL ataca ‘pauta conservadora’ em protestos e aceita partidos em ato

Após os diretórios municipais e estadual do PT chamarem...

Racismo e imigração: de que cor devem ser nossos imigrantes?

  O Brasil gosta de se imaginar uma...

Polícia e racismo nas escolas públicas do DF

Fonte: Infância Hoje -       Adolescentes...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=