Curitiba – Campanha na capital diz “não ao racismo”

 

A partir desta sexta-feira até o fim do mês, Curitiba será palco da campanha “Diga não ao racismo e a todas as formas de discriminação”, promovida pelo Conselho Municipal de Políticas Étnico-Raciais (Comper). A iniciativa, além de ter um cunho educativo, é uma reação à ação judicial que questiona o feriado municipal no Dia da Consciência Negra, em 29 de novembro, aprovado pela Câmara Municipal.

A campanha terá início com a divulgação de materiais educativos em escolas e no Calçadão da Rua XV, no centro de Curitiba. De acordo com o presidente do Comper, Saul Dorval da Silva, entidades de classe já se comprometeram em realizar, no dia 29 de março, aniversário da cidade, um ato público em defesa do novo feriado municipal.

Na visão da Associação Comercial do Paraná (ACP), a lei é ilegal, porque o município não poderia instituir feriados civis, que é uma prerrogativa da União. A entidade, junto com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon), entrou com uma ação direta de inconstitucionalidade no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ).

Ainda não há prazo para julgamento da ação. Em despacho do dia 20 de fevereiro, o desembargador José Carlos Dalacqua intimou a Câmara Municipal a prestar informações em 30 dias.

“Não somos contra a ACP, mas sim contra a atitude que ela tomou. Esse tipo de posicionamento acaba manchando a imagem de Curitiba”, afirma Silva.

A ACP não comentou o assunto ontem. Em outras ocasiões, a associação destacou que cada dia parado representa prejuízo de R$ 160 milhões para o comércio local.

 

Fonte: Gazeta do Povo

+ sobre o tema

Em autobiografia, Martinho da Vila relata histórias de vida e de música

"Martinho da Vila" é o título do livro autobiográfico...

MG lidera novamente a ‘lista suja’ do trabalho análogo à escravidão

Minas Gerais lidera o ranking de empregadores inseridos na...

Violência sexual em espaços noturnos e responsabilização de agressores

As recentes notícias de que duas mulheres teriam sido...

para lembrar

Após sofrer racismo na escola, Kheris Rogers de 10 anos cria linha de roupas empoderadora

Você precisa conhecer Kheris Rogers, uma menina de 10...

A Discriminação de Boris Casoy: Isso é uma vergonha

Neste vídeo o apresentador da Band, Boris Casoy declara...

RACISMO NA ITÁLIA: Mais um capítulo do racismo na Itália

O prefeito de Brescia, Adriano Paroli, do PDL, informou...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=