Deputada federal Áurea Carolina está entre os 100 jovens negros mais influentes do mundo na política

Ela foi incluída na lista Most Influencial People of African Descent. ‘Fiquei muito feliz. Achei grandioso demais estar entre as 100 pessoas mais influentes do mundo’, comemorou.

Por Por Humberto Trajano, do G1 Minas 

Áurea Carolina, mulher negra de cabelo black, sorrindo
Áurea Carolina está em lista das 100 pessoas jovens negras mais influentes do mundo (Foto: Patrick Arley/Divulgação)

Foi com uma “honra tremenda” que a deputada federal por Minas Gerais Áurea Carolina (Psol) recebeu a notícia de que é uma das 100 pessoas jovens negras mais influentes do mundo na área de política e governança. A sua inclusão na lista do Most Influencial People of African Descent (Mipad) – ou Pessoas Afrodescendentes Mais Influentes – foi comunicada nesta quinta-feira (21) – quando é celebrado o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial.

“Fiquei muito feliz. Achei grandioso demais estar entre as 100 pessoas mais influentes do mundo. Recebo esta indicação como uma confirmação de um trabalho, da relevância pública”, comemorou a deputada. Ela ainda destacou o trabalho realizado pela Gabinetona – Iniciativa política do Psol em Minas, de mandato compartilhado e coletivo, que começou na Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) e hoje está presente também na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e na Câmara Federal.

A seleção também destaca a atuação de homens e mulheres negras nos temas: Negócios e Empreendedorismo, Mídia e Cultura, Religião e Trabalho Humanitário. O Most Influencial People of African Descent é realizado por um grupo de empresários, políticos e influenciadores negros de diversos países em apoio à Década Internacional de Afrodescendentes 2015/2024, proclamada pela ONU como momento crucial para promover ações de reconhecimento, justiça e desenvolvimento para as populações negras do mundo.

Áurea ainda destacou a importância de estar na categoria política e governança. “É legal ressaltar isso porque temos pouquíssimas referências de negros de destaque na política institucional no nosso país. As pessoas existem, precisam ser conhecidas, para encorajar crianças e jovens a ocupar a política”, afirmou.

Sobre

Áurea Carolina está em seu segundo mandato, o primeiro como deputada federal para a legislatura 2019/2023. Antes, foi vereadora, a mais votada, em Belo Horizonte entre 2017 e 2018. Como deputada, ela foi a quinta mais votada, com 162 mil votos, e a primeira entre as mulheres na eleição passada em Minas Gerais.

Áurea tem 35 anos, é natural do Pará, mas vive em Belo Horizonte onde se formou na convivência com movimentos sociais, incluindo o hip-hop, desde a adolescência. É cientista política, graduada em Ciências Sociais, pela Universidade Federal de Minas Gerais; tem especialização em Gênero e Igualdade – Administração Pública Local, Universitat Autònoma – UAB, Barcelona; e é mestre em Ciência Política, também pela UFMG.

E seu site, ela destaca a atuação em lutas pela construção dos direitos da maioria da população, na busca por igualdade. E diz que, dedica-se às causas das mulheres, da negritude, LGBT, das juventudes, dos povos e comunidades tradicionais e das pessoas que vivem nas periferias.

Com relação ao novo trabalho que começou este ano em Brasília, Áurea citou a participação da comissão externa do desastre de Brumadinho, onde, segundo ela, os deputados estão empenhados na produção de um conjunto de projetos de lei relacionados à mineração. “Vamos instituir o dia 25 abril como o Dia nacional de Mobilização pelos Direitos dos Atingidos por Barragens”. Neste dia também projetos de leis já devem estar prontos para votação, afirmou.

+ sobre o tema

Sobre cabelos, relacionamentos e outras coisas!

Após uma atividade na minha universidade em celebração ao...

Mãe preta pode ser? Mulheres negras e maternidade

Débora Silva Maria, do Movimento Mães de Maio, há...

Quem vestiu a Globeleza?

Enviado para o Portal Geledés Engana-se os que acham que...

para lembrar

Mortalidade materna de mulheres negras é o dobro da de brancas, mostra estudo da Saúde

Assim como outros indicadores de saúde, a mortalidade materna é...

Presidenta Dilma Rousseff recebe lideranças do Movimento Negro

Educação, saúde, democratização da comunicação e enfrentamento à violência...

Ilê Aiyê promove a Semana da Mãe Preta em homenagem à mulher negra

A Associação Cultural Ilê Aiyê promove a partir da...

Para ministra, igualdade racial deve ser vista como questão estratégica

  A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da...
spot_imgspot_img

‘Questão do racismo tem a ver com a sobrevivência do capitalismo’, diz Diva Moreira, intelectual negra de MG

"A despeito da rigidez da estrutura de dominação, eu sou uma mulher de muita esperança." É assim que a jornalista, cientista política, ativista e...

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...
-+=