Deputada pede retirada de cápsula do amor instalada no circuito Barra-Ondina

A deputada estadual Fabíola Mansur (PSB), presidente da Comissão dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa da Bahia, quer impedir que a cápsula do amor, promovida pela marca de camisinhas Durex, seja colocada no circuito Barra-Ondina, no Carnaval de Salvador. A cápsula, chamada de “trepódromo” pela marca, oferece aos foliões 10 minutos de prazer a dois. No Facebook, Mansur disse que a campanha promovida pela marca é “pouco pedagógica” ao instalar um “motel voador” no circuito do Carnaval de Salvador. Para a deputada, ao invés de fortalecer as campanhas favoráveis ao sexo seguro, a fabricante de preservativos apenas reforça a ideia largamente difundida segundo a qual seria Salvador uma das rotas preferenciais do turismo sexual no Brasil. “Um quarto de motel suspenso no céu de Salvador, em meio ao nosso Carnaval, é uma imagem surreal. Acontece que toda essa criatividade termina por colaborar com o uso da imagem do Carnaval da Bahia como ambiente de turismo sexual. Neste caso, mais uma vez é a imagem da mulher que fica desvalorizada”, diz a deputada. Mansur pontua que não se trata de “moralismo barato”, mas do reconhecimento da exploração da imagem da Bahia como lugar de turismo sexual. Segundo ela, a Comissão da Mulher exige que a organização do Carnaval retire o equipamento, “sob o risco de consideramos que há cumplicidade na promoção de uma estratégia de marketing que subvaloriza a mulher e submete nosso Município ao constrangimento público de partilhar, com seu silêncio, de um empreendimento sem qualquer conteúdo educativo”. A parlamentar ainda pede a manifestação das secretarias municipais de Turismo e de Defesa da Mulher, já que a prefeitura autorizou a instalação do “motel voador”. Fabíola Mansur diz que seria melhor a Durex promover uma campanha de sexo seguro, de sexo com amor, diante do cenário atual, do Brasil ser visto como rota de turismo sexual.

Por Samuel Celestino no Bahia Noticias

+ sobre o tema

Efeito Zé Mayer: O impacto da denúncia de famosas sobre assédio na capa da Veja

Nojo e medo são algumas das palavras usadas pelas...

Chile reconhece união civil de homossexuais

O Congresso do Chile aprovou, na última quarta-feira (28),...

Brasileira vai a ONU para denunciar casos de racismo no país

A brasileira Lúcia Xavier, coordenadora geral da ONG Criola,...

7 frases do papa Francisco que incomodam as mulheres

Este mês, quando o papa Francisco quis dar destaque...

para lembrar

‘Não sou a ré, sou a advogada’: a mulher que combate o racismo e a ignorância na Justiça

"Não espero ter que justificar constantemente minha existência no...

Líder do Boko Haram promete vender jovens raptadas na Nigéria

Em vídeo, homem se intitula Abubakar Shekau e diz...

Pacto contra o racismo

A filósofa Djamila Ribeiro aponta caminhos construtivos para uma...

As professoras do meu filho

Rita Lisauskas: 'Ter diversidade no corpo docente é apenas...
spot_imgspot_img

Instituto Mãe Hilda anuncia o lançamento do livro sobre a vida de matriarca do Ilê Aiyê

O livro sobre a vida da Ialorixá Hilda Jitolu, matriarca do primeiro bloco afro do Brasil, o Ilê Aiyê, e fundadora do terreiro Acé...

Centenário de Tia Tita é marcado pela ancestralidade e louvado no quilombo

Tenho certeza que muitos aqui não conhecem dona Maria Gregória Ventura, também conhecida por Tia Tita. Não culpo ninguém por isso. Tia Tita é...

Julho das Pretas: celebração e resistência

As mulheres negras brasileiras têm mais avanços a celebrar ou desafios para travar? 25 de julho é o Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-americana e...
-+=