Derrotado nas urnas, Netinho diz sair fortalecido e critica a imprensa

Para ele, que concorria ao Senado, cobertura da mídia foi ‘vergonhosa’.
Vereador diz não descartar hipótese de tentar a prefeitura de SP em 2012.

Mesmo derrotado nas urnas, o vereador Netinho de Paula (PCdoB) disse nesta terça-feira (5) ter saído “fortalecido” das eleições. Apesar disso, durante a coletiva convocada em seu gabinete na Câmara Municipal no Centro de São Paulo, não poupou críticas à imprensa, afirmando que a cobertura na campanha “foi vergonhosa”. Terceiro colocado, Netinho perdeu a vaga no Senado para Aloysio Nunes (PSDB) e Marta Suplicy (PT).

“Não me sinto injustiçado. Eu me sinto escolhido. Fui escolhido para falarem mal. Passei três meses de campanha falando de um fato da minha vida particular que aconteceu em 2005”, afirmou o vereador, comentando sobre o episódio de agressão à ex-mulher. Ele também reclamou do espaço que a mídia (ele não citou o nome dos veículos) deu à investigação sobre uma suposta fraude em sua declaração de bens.

No mês passado, a Polícia Civil esteve na casa de Netinho, em Alphaville, região nobre de Barueri, na Grande São Paulo. O então candidato é suspeito de não ter declarado a mansão em sua lista de bens. “Quando a Polícia Civil invadiu a minha casa, a imprensa dava a manchete: ‘Polícia Civil invade a casa de Netinho’ em pleno processo eleitoral. Isso é vergonhoso, escandaloso, feio”, atacou.

Netinho, que em alguns momentos elevou o tom das críticas, defendeu que “todas as denúncias” que surjam sejam apuradas, mas que isso seja feito não apenas com um candidato.

Com relação ao resultado nas urnas, o vereador afirmou ter saído “feliz” ao final da campanha. Ele não descartou a hipótese de disputar uma eleição para o cargo de prefeito de São Paulo em 2012, mas disse estar neste momento envolvido “de corpo e alma” na campanha da candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff. “Nos próximos 15 dias, quero viajar, fazer a campanha para ela.”

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Netinho teve 7,7 milhões de votos. Aloysio Nunes venceu a disputa com 11,18 milhões de votos, ante 8,31 milhões de Marta Suplicy.

“Eu saí muito feliz porque o povo correspondeu. A quantidade de votos é muito expressiva. Saio (da campanha) com um aprendizado grande e vontade de trabalhar”, disse Netinho. Ao comentar sobre Nunes, o vereador admitiu que houve erro de avaliação de seu núcleo de campanha. “Houve uma subestimação da possibilidade de crescimento do candidato do PSDB.”

Sobre o futuro, Netinho afirmou que pretende continuar se dedicando a seus projetos na Câmara Municipal – um dos citados por ele foi o que propõe a criação de mais albergues para dependentes químicos de baixa renda. No entanto, quando questionado, não fechou as portas para um possível cargo caso Dilma seja eleita. “Não estou pensando nisso agora. Posso e pretendo participar da forma que a Dilma achar melhor.”

Fonte: G1

+ sobre o tema

Salário menor na advocacia é mais frequente entre mulheres e negros

A proporção de advogados na menor faixa salarial da...

Lei que implantou escola cívico-militar em SP fere modelo educacional previsto na Constituição, diz PFDC

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão...

Ação enviada ao STF pede inconstitucionalidade de escolas cívico-militares em SP

Promotores e defensores públicos encaminharam ao Supremo Tribunal Federal...

para lembrar

Lula ganha apoio de Angela Davis e Danny Glover para Prêmio Nobel da Paz

Duas personalidades norte-americanas de peso subscreveram o manifesto liderado...

Fatecs abrem inscrição para vestibular nesta sexta-feira

  As 49 unidades oferecem 10.030 vagas em todo...

Você consegue diferenciar opinião e mensagem de ódio?

Muitos interpretam opiniões com críticas feitas por terceiros como...

Nova identidade tem CPF como número principal, QR code e abriga dados de outros documentos

O governo federal quer acelerar a corrida para digitalizar a identidade dos brasileiros. A nova CIN (Carteira de Identidade Nacional) representa o fim do RG e da impressão...

ONU pede que Brasil legalize aborto e denuncia ‘fundamentalismo religioso’

Alertando sobre o avanço do que chamou de "fundamentalismo religioso" no Brasil, um dos principais órgãos da ONU que lida com a situação da...

Trump se torna 1º ex-presidente condenado em ação criminal na história dos EUA

Donald Trump se tornou o primeiro ex-presidente considerado culpado pela Justiça em uma ação criminal na história dos Estados Unidos. O veredicto, divulgado nesta quinta-feira (30),...
-+=