Desabafo de vítima de abuso sexual em ônibus de Curitiba: ‘Ele não apenas se encostou. Ele ejaculou em mim’

Dona de um sistema de transporte considerado modelo para o Brasil, Curitiba virou notícia nas últimas horas nas redes sociais por uma razão nada exemplar. Uma estudante universitária foi vítima de um ‘encoxador’ – que sujeito criminoso que se aproveita de ônibus e trens lotados para abusar sexualmente de mulheres – e resolveu não se calar.

no Brasil Post

n-ABUSO-CURITIBA-large570

O incidente, relatado na página da jovem na noite desta terça-feira (5), aconteceu em um ônibus biarticulado da linha Centenário/Campo Comprido, que liga dois extremos da capital paranaense. Era horário de pico e, de acordo com a vítima, ela procurou ficar em um cantinho do coletivo, quando foi alvo do agressor.

“Guardei o celular na bolsa e foi então que eu percebi que ele estava ali. Parado bem nas minhas costas, aproveitando de cada curva para se esfregar em mim. Tentei dar um passo pra frente mas ele acompanhou, continuando encostado. Não bastasse ele começou a respirar muito forte por cima do meu ombro, chegando a gemer baixinho. Tentei empurrá-lo com o cotovelo, ir para outro lugar mas não tinha jeito. Ele continuou ali, se esfregando e gemendo”.

A evidente agressão fez a jovem descer em uma estação que não era a sua, justamente na tentativa de escapar do abuso sexual. Ela chegou a chamar a atenção, ao descer do ônibus, do “velho nojento” que “deveria se envergonhar de agir desse modo em qualquer lugar que seja”. Entretanto, uma constatação ainda pior estava por vir.

“Ao descer percebi que ele não havia apenas se encostado e insinuado, ele havia ejaculado na minha saia, e então eu desabei. Agora, chegando em casa, não estou feliz por tirar essas botas quentes. Agora, chegando em casa, estou limpando de mim mais um dia difícil de se chegar em casa”.

Até a manhã desta quarta-feira (6), a postagem na página da estudante, nascida no interior de São Paulo, contava com quase 34 mil compartilhamentos. A postagem, porém, já não se encontra mais disponível. Entre os muitos comentários e amigos e desconhecidos que prestavam apoio a triste constatação de que ela integra uma lista lamentável, que não é exclusiva de Curitiba.

“Eu não quero mais ligar pra minha mãe chorando, eu não quero mais ter medo de andar na rua, eu não quero mais me culpar por ser a vítima, eu não quero mais ter que pensar no tamanho da minha saia antes de sair de casa, eu não quero ter que limpar a sujeira dos outros. Desculpem o texto e a imagem mas eu tô cansada, irritada e triste, e se eu tivesse a opção desejaria nunca ter que falar sobre essas coisas. Desejaria que essas coisas nunca acontecessem”.

o-ABUSO-570
Postagem de jovem vítima de abuso em ônibus de Curitiba contou com quase 34 mil compartilhamentos, antes de sair do ar (Reprodução/Facebook)

A reportagem do HuffPost Brasil tentou entrar em contato com a estudante, para obter mais detalhes e saber se ela prestou queixa quanto ao abuso, mas não obteve retorno. Bastante ativa nas redes sociais, a Prefeitura de Curitiba também não se pronunciou até o momento sobre o caso.

leia também: Em meio a gritos de “estupra”, jovem sofre abuso coletivo no Metrô

+ sobre o tema

Brasil é o 2º entre os piores destinos para mulheres viajarem no mundo

Brasil aparece em 2º lugar em lista dos destinos...

Como poder ser amada?

Como um trovão ela vem.Não sei como pode ter...

Sagrado Feminino , os riscos para as rodas de mulheres.

Rodas de sagrado feminino estão acontecendo em cada esquina...

para lembrar

Stephanie Ribeiro: Nicholle Kobi ilustra as mulheres negras no auge de sua elegância

Dez ilustrações da francesa Nicholle Kobi que ajudam a...

Se eu olhasse só o debate nas redes sociais, sairia correndo, afirma Patricia Hill Collins

Sair da lógica da destruição do oponente, aprender a...

Pandemia COVID-19 e as mulheres

Todos sabemos apontar e compreender, mesmo com as muitas...

Tributo à Professora Eunice Prudente

“… há caminhos, dentro das sutilezas do imaginário, nos...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=