Guest Post »

Diretores negros fazem história em lista de filmes mais lucrativos de 2018

O movimento de diversidade e inclusão em Hollywood deu resultados em 2018, quando 14% dos 100 filmes mais lucrativos do ano nos Estados Unidos foram dirigidos por cineastas negros, de acordo com estudo da USC Annenberg Inclusion Initiative. O número é 270% maior do que no ano passado.

Do Jovem Pan

“Pantera Negra”, de Ryan Coogler, foi um dos 100 filmes mais lucrativos de 2018 nos Estados Unidos (Cena do filme Pantera Negra)

Alguns dos filmes que entraram na lista foram “Pantera Negra“, de Ryan Coogler, “Infiltrado na Klan”, de Spike Lee, e “Creed II”, de Steven Caple Jr. Além de sucessos comerciais, os longas também agradaram a crítica, tanto que os dois primeiros concorrem ao Globo de Ouro de melhor filme de drama neste domingo (6).

Outro filme muito importante na lista é “Uma Dobra no Tempo”, de Ava DuVernay. Apesar de não ter sido um grande sucesso comercial, o longa é o primeiro dirigido por uma mulher negra a faturar mais de US$ 100 milhões em bilheteria.

Nem tanta inclusão assim

Por outro lado, as mulheres seguem com pouca representatividade no cinema. Dos 100 filmes mais lucrativos de 2018 nos Estados Unidos, apenas 4 foram dirigidos por mulheres: “Não Vai Dar”, de Kay Cannon, “Sexy por Acidente”, de Abby Kohn, e “Meu Ex é um Espião”, de Susanna Fogel, além de “Uma Dobra no Tempo”, de Ava DuVernay.

De 2007 a 2018, só 4,3% dos 1.200 filmes mais lucrativos foram assinados por mulheres. Isso significa que a cada filme dirigido por uma mulher que entra na lista, há outros 22 dirigidos por homens.

Para mulheres que não são brancas, a conta é pior ainda. Desses 1.200 filmes, apenas cinco foram dirigidos por negras, três por asiáticas e só um foi feito por uma diretora latina.

Artigos relacionados