Ditadura nunca mais!

Os coléricos gritos que partem de pequenos grupos de direita não devem ressoar no Brasil. Nossa jovem democracia possui pilares fortes, talhados no sangue, no sofrimento e na luta de milhares de cidadãos que combateram as forças da Ditadura. Lá estavam militantes do Partido Comunista do Brasil e de tantos outros partidos, movimentos de esquerda, democratas e cidadãos comuns que querem liberdade de expressão e o direito de ir e vir. Uma época jamais esquecida por todos nós.

Jandira Feghali* no Jornal do Brasil

É de uma minoria, uma minúscula parcela da sociedade, que partem estes sons guturais. Tentaram, no final de semana, dar corpo aos pedidos de impeachment da presidenta Dilma Rousseff – democraticamente eleita -, e apelaram, inclusive, pela intervenção das Forças Armadas contra nossa democracia, exalando todo tipo de discurso fascista. Ecoaram rancor pela perda nas urnas, rechaçando as regras mais republicanas de uma escolha popular. Ou seja, são maus perdedores.

Manifestações como essas expõem o lado sombrio e perverso das forças de direita que se escondiam no armário. Agora, derrotados, tentam espalhar mentiras sobre o processo eleitoral, distorcendo a realidade da votação e espalhando boatos sobre a “injusta” derrota de Aécio Neves, o candidato neoliberal representante do conservadorismo. Os reacionários estão fazendo de tudo para atropelar a Constituição. Querem lesar a democracia “no tapetão”!

As poucas mais de 2 mil pessoas que estiveram em São Paulo não representam nem de perto os milhões de eleitores, muito menos aqueles que optaram pelos tucanos. Nossa nação não sucumbirá novamente ao pensamento retrógrado de um regime militar. Enquanto nossos corações estiverem quentes e pulsarem o calor dos avanços progressistas, a atual e futuras gerações não permitirão uma volta à ditadura.

O caminho para solução dos problemas de nosso povo é e sempre será pela democracia. Com governos democraticamente eleitos, com projetos nacionais escolhidos pela maioria da população. É desta forma que nós, do PCdoB, nos mobilizamos junto a Lula e Dilma para reforçar projetos para melhor distribuição de renda e para a emancipação do cidadão. Luta constante pela melhoria da economia, saúde, educação, cultura e segurança de forma concreta e não utópica. Aspectos sociais de todas as esferas de governo e que, repetidamente, se mostram como os mais caros anseios da população.

É exigido de nós que de forma imediata ampliemos os instrumentos de liberdade e pluralidade de opiniões, avançando com a democratização da comunicação, ao mesmo tempo que devemos possibilitar a representação institucional ampla da sociedade, garantindo a reforma política sem o financiamento eleitoral de empresas privadas.

A juventude brasileira não cederá ao canto da sereia que parte de setores conservadores de nossa sociedade. A nação tem demonstrado claramente que não apoia este clamor pela intervenção militar, liderado por pop stars do atraso ou celebridades oportunistas. Nossa nação é muito mais do que isto e o capítulo da Ditadura foi condenado e encerrado para nunca mais voltar. Mesmo que marchem, não passarão!

 


 

*Jandira Feghali, Médica e líder do PCdoB na Câmara dos Deputados

+ sobre o tema

Após 3 meses, Anvisa decide que uso de máscaras volta a ser obrigatório em aeroportos e aviões no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu nesta...

Leonardo Boff: Dez lições da crise brasileira

Toda crise acrisola, purifica e faz madurar. Que lições...

Em pleno carnaval, Garis paralisam Rio de Janeiro – por Douglas Belchior

  De Douglas Belchior Haiti? África do Sul? Não. É Rio de...

Abolicionismo do século 21

Por: Edson França Completamos no dia 13 de...

para lembrar

Os golpistas precisam saber, em vida, que sua versão da História morreu

O golpe e a ditadura cívico-militar de 1964 ainda...

Se bate como homem, mulher tem que apanhar como homem, diz deputado

Fraga fez afirmação após Jandira Feghali discutir com Roberto...

História recente dez anos dos movimentos negros

Hamilton Cardoso Há uma década, apenas, em 1978 os movimentos...

‘Me sinto defendendo outro preso político’

Advogado Luiz Eduardo Greenhalgh, defensor do manifestante Fábio Hideki,...

Racismo, perseguição e assassinatos nas instalações da CSN nos anos da ditadura

Eram 6 horas da manhã do dia 1° de abril de 1964, quando João Alves dos Santos Lima Neto, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos,...

Racismo religioso, repressão e as memórias da Guerrilha do Araguaia

O Terecô, também chamado de Tambor da Mada, é uma religião afro-brasileira originária do interior do Maranhão. Embora seja menos conhecida nacionalmente em comparação,...

Livro narra perseguição da ditadura a Tony Tornado: ‘importou o gesto-símbolo do poder negro’

O livro "Dançando na mira da ditadura: bailes soul e violência contra a população negra nos anos 1970" vai mostrar como a juventude negra...
-+=