Documentário Elza Infinita é finalista do New York Film Festivals

Cineastas negras Natara Ney e Erika Candido, da Kilomba Produções, são as diretoras do filme. Indicação mostra a potência do audiovisual das mulheres negras brasileiras.

O documentário “Elza Infinita” segue sua trajetória de sucesso e acaba de ser escolhido para a fase eliminatória do New York Film Festivals 2022, um dos principais festivais de arte e mídia do mundo. Com direção de Natara Ney e Erika Candido, da Kilomba Produções, o documentário das cineastas negras apresenta um recorte musical da caminhada artística, política e espiritual da cantora Elza Soares, que faleceu em janeiro deste ano. O anúncio final dos trabalhos premiados pelo New York Film Festivals será no dia 26 de abril, em Nova Iorque. 

“De toda imensidão que foi este projeto a imagem retida na minha memória é o olhar de Elza. Ao mesmo tempo que é uma benção é também um chamado para a luta. Foram dias intensos, entrevistamos mulheres negras poderosas, ouvi e aprendi com elas, as histórias se entrelaçam. Elza é um prisma multifacetado, cada uma de nós está ali refletida, espelhada”, define Natara Ney.

A Kilomba Produções foi fundada em 2018 com o objetivo de criar e desenvolver conteúdo audiovisual para diversas plataformas. Um dos principais compromissos das realizadoras é fomentar ecossistemas e cadeia produtiva no audiovisual negro. Além da direção das kilombas Natara Ney e Erika Candido, “Elza Infinita” tem roteiro de Dione Carlos e foi exibido no canal GNT e no Globoplay, a partir de uma coprodução com a Sarau Agência. 

“Já produzi na correria, mas este projeto superou muitas coisas. Fizemos um filme inteiro em cinco dias de filmagem, em apenas uma locação. Desafio? Temos. Minha primeira direção e estamos já indicadas para um festival tão importante. Não é a premiação que importa, mas a possibilidade de homenagear essa mulher do fim do mundo em todos os mundos”, ressalta Erika Candido.

Outras 30 produções realizadas em parceria com a Globo estão na lista de finalistas do New York Film Festivals 2022. Entre elas a série “Janaínas: Deusas do Mar”, a minissérie “Passaporte para a Liberdade”, as novelas “Quanto mais vida, melhor!” e “Um Lugar ao Sol”, além da série “Sessão de Terapia”.

Saiba mais sobre as diretoras

Erika Candido, 38 anos

Uma das mais requisitadas produtoras do país, com premiações em Rotterdam, Sundance, Cannes, além dos maiores festivais nacionais. Assina a produção dos filmes “A Vida Invisível”, “O Estopim”, “3 verões”, dos premiados “Kbela” e “Uma Paciência Selvagem me trouxe até aqui”. Fundou a Kilomba para ter um espaço de criação e formação de profissionais negros. Em 2021, foi responsável pela direção de produção do especial “Isso é coisa de preta”, para o canal GNT. Ela também assinou seu primeiro longa-metragem “Elza Infinita”, atualmente disponível no catálogo da Globopay. Erika é carioca e cria de Vicente de Carvalho. 

Natara Ney, 54 anos

A primeira formação da cineasta foi no jornalismo, onde desenvolveu o talento para contação de histórias. No audiovisual ela encarou o desafio de montar mais de 20 longas metragens e séries. Recebeu diversos prêmios de montagem com os filmes “Divinas Divas”, “Mistério do Samba” e “Um Outro Ensaio”. Nos últimos anos se dedicou à criação de roteiros e à direção. Em 2022, estreia na direção com dois longas metragens “Cafi” e “Espero que esta te encontre”. Natara é pernambucana de Olinda.

+ sobre o tema

LeBron James bate recorde e é selecionado para time da NBA pela 16ª vez

O astro LeBron James estabeleceu uma nova marca na...

LeBron James recebe homenagem do Google por quebrar recorde de pontos na NBA

O Google realizou uma homenagem ao jogador de basquete LeBron James na última...

Estas fotos vintage recontam a história da Nigéria e dissolvem estereótipos

"Através da fotografia, nós conectamos as pessoas com a...

Projeto do YouTube mostrou que é importante valorizar a produção de youtubers negros

Neste mês da Consciência Negra, o Youtube organizou uma...

para lembrar

14 músicas de diferentes cantores indígenas brasileiros para conhecer

A música indígena reflete todo o espírito de um povo,...

Escola de Dança da FUNCEB abre inscrições para curso profissionalizante

Por Rosilda Oliveira Unidade do Centro de Formação em...

Obama canta em homenagem a Ray Charles na Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, comandou uma...
spot_imgspot_img

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=