Documentário ‘Ken Saro-Wiwa, Presente!’ retrata vida de ativista nigeriano

Em sua primeira exibição em São Paulo, nesta sexta (2), o documentário “Ken Saro-Wiwa, Presente!” ganha sessão única no Cine Afro e Capoeira, no Centro de Culturas Negras do Jabaquara, na zona sul.

O filme conta a história do escritor, produtor e ativista ambiental nigeriano Ken Saro-Wiwa, líder de um movimento não violento contra a degradação ambiental das terras e das águas na região do delta do Níger por petrolíferas transnacionais.

Em virtude de sua militância, Saro-Wiwa foi preso, condenado —através de um processo judicial considerado fraudulento— e enforcado em 1995.

Com entrevistas de artistas, ativistas e familiares do escritor, que apresentam sua história e o contexto de sua luta, o documentário aborda a exploração petrolífera na região do delta, o racismo e a relevância política e cultural dos projetos artísticos em Londres realizados em homenagem a Saro-Wiwa.

Após a exibição, acontece um debate com Elisa Dassoler, diretora do documentário, e o músico Tiê Alves, que assina a trilha sonora do filme.

Brasil, Reino Unido, Nigéria, 2017. Gênero: Documentário. Direção Elisa Dassoler. 82 min. Livre.
Rua Arsênio Tavolieri, 45, Jabaquara, tel. 5011-2421. Sex. (2): 20h às 22h. Entrada gratuita

+ sobre o tema

Hoje na História, 27 de maio de 1963, o líder pró-independência e ex-prisioneiro Jomo Kenyatta é eleito primeiro-ministro do Quênia

Jomo Kenyatta Presidente do Quênia de 1964 a 1978 20-10-1891, Ichaweri 22-8-1978, Mombaça Do...

Com Robinho, Manchester City encontra Nelson Mandela na África

Robinho se apresentou ao Manchester City a tempo de...

O maior legado de Nelson Mandela

O aeroporto de Johanesburgo, na África do Sul se...

O mundo voltou a ver Mandela numa aparição rara. E consentida?

Nelson Mandela não era visto em público desde a...

para lembrar

10 frases inspiradoras de jovens líderes africanos

Em 2010, o presidente dos EUA Barack Obama inaugurou...

Graça Machel e o protagonismo feminino em Moçambique

A luta pelo empoderamento feminino em Moçambique é um...

‘Aké’ é oportunidade de ler Wole Soyinka, um dos maiores nomes da África

Muitos autores, como Liev Tolstói, Graciliano Ramos e J. M. Coetzee, se debruçaram...

Cheikh Anta Diop derrubou o racismo cientifico, ao provar que o Egito antigo era uma civilização negra.

Cheikh Anta Diop (1923-1986) foi um polímata senegalês formado...
spot_imgspot_img

Após 120 anos, universidade britânica devolverá estátua de bronze à Nigéria

A Universidade de Aberdeen disse na quinta-feira (25) que devolverá uma estatueta do Bronze do Benim à Nigéria em algumas semanas. A universidade é uma...

‘Aké’ é oportunidade de ler Wole Soyinka, um dos maiores nomes da África

Muitos autores, como Liev Tolstói, Graciliano Ramos e J. M. Coetzee, se debruçaram sobre suas memórias de infância para construir grandes obras ficcionais e memorialísticas. Esse também é...

Amílcar Cabral: ideólogo e pedagogo da revolução

Se eu pudesse, fazia uma luta só com livros, sem armas.       - Amílcar Cabral   No dia 20 de janeiro de 1973 completará...
-+=