‘Ele batia nela’, diz mãe de mulher concretada na casa do ex no RS

Corpo de Jaciele dos Santos foi achado pela polícia na casa do ex-marido.
Mãe da vítima relata que ela sofria violência do homem, preso pelo crime.

Por Hygino Vasconcellos, do G1

O medo do ex-marido era um sentimento diário para Jaciele Daiane Silva dos Santos, de 22 anos, que morava em Horizontina, no Norte do Rio Grande do Sul. É o que conta a dona de casa Acilda Navete Silva dos Santos, 47 anos, mãe da jovem cujos restos mortais foram localizados pela polícia na noite da última quinta-feira (23) concretados nos fundos de uma churrasqueira na casa do homem, que está preso junto com o irmão por suspeita do assassinato.

O casal ficou cerca de cinco anos junto e foi justamente a violência do ex-marido o motivo para a separação, ocorrida há um ano e meio. “Ele batia muito nela, era bastante violento. (Ela) não podia viver junto com ele, que vivia a ameaçando”, relata Acilda.

Ela conta que a filha deixou de sair com as amigas ao final de semana e evitava circular pela cidade de pouco mais de 18 mil habitantes. Tudo para não esbarrar com o ex-marido. Tamanho resguardo, no entanto, não evitou a morte de Jaciele. “Ela vivia trancada. Quando ficava sozinha aqui em casa, não ficava com janelas e portas abertas.”

Segundo a mãe, Jaciele tinha procurado a delegacia e denunciado o homem pela Lei Maria da Penha. Quando ocorreu a primeira audiência sobre a separação no Fórum, eles já tinham se reconciliado. Mas em junho do ano passado, uma briga feia colocou fim no relacionamento. O casal trabalhava na ordenha de leite, no interior de Horizontina, e durante uma folga do trabalho passaram a discutir. Foram socos, tapas e pontapés. Dali, a mulher foi parar no hospital.

“Ele bateu muito nela. Quem me ligou avisando foi o patrão deles. Já o marido dela fugiu.” Depois de receber alta, a jovem ficou 15 dias com um dos olhos machucado.

Casa onde foi encontrado o corpo na cidade de Horizontina (Foto: RBS TV)
Casa onde foi encontrado o corpo na cidade de
Horizontina (Foto: RBS TV)

Acilda crê que entre os motivos para tanta violência está o ciúme doentio do homem, somado ao consumo de drogas. “Eu não sei o que ele usava, mas a gente percebia. Ele ficava bem agitado, bem nervoso. Ficava muito ansioso com tudo.”

Após a separação, a jovem voltou para a casa de sua mãe, na avenida principal de Horizontina, mas o homem rondava a casa à procura de Jaciele, que evitava dar demonstrações de que pudesse estar sozinha no local. Temia pelo pior.

Mas no dia 5 de outubro, ela deixou de lado a prudência. O homem entrou em contato com Jaciele às 8h. Tinha sido a última pessoa a ligar para ela no dia de seu desaparecimento, informação que a Acilda conseguiu levantar com a polícia na última sexta-feira (16). A jovem estava à procura de emprego naquele dia e resolveu mudar de planos com a ligação do ex-marido. Ele prometia dar um computador portátil novo para ela. O anterior tinha sido destruído por ele em uma briga do casal.

Mãe relata que Jaciele era agredida pelo ex-marido, preso pelo crime (Foto: Arquivo pessoal)
Mãe relata que Jaciele era agredida pelo ex-marido,
preso pelo crime (Foto: Arquivo pessoal)

A mãe só foi dar falta da jovem às 14 horas daquele dia. Uma irmã de Jaciele tinha passado mal e seria levada para o hospital. Acilda precisava de companhia. Na primeira ligação da dona de casa para a filha, chamou várias vezes. Alguém atendeu e desligou em seguida. Na segunda tentativa, a mesma coisa. “Eu disse alô e desligaram”, lembra. Na terceira vez, o telefone foi desligado, sem mesmo completar a chamada.

Em seguida, a família procurou a polícia, que sustentava a hipótese de desaparecimento. A mãe reclama do trabalho dos investigadores. “Eles me pediram para ter calma, que ela poderia ter viajado, estar se escondendo.” Mesmo sabendo que o pior poderia ter ocorrido, ela teve esperança que a filha aparecesse na segunda audiência organizada após a denúncia da Jaciele. Ela não foi. Entretanto, o homem compareceu, dizendo estar surpreso com a ausência da ex-mulher.

Leia Também: PLP 2.0 – Aplicativo para coibir a violência contra a mulher

Na noite de quinta-feira, Acilda recebeu uma ligação da delegada Beatrice Didier de Almeida. Relatava a localização de um corpo na casa onde moravam o ex-marido e o ex-genro da mulher. “Ela não me deixou ir até lá”, disse a mãe de Jaciele, que ficou esperando. “Retornei a ligação e ela me disse que acharam a Jaciele, morta. Fiquei em estado de choque. Eu esperava encontrá-la viva, não desse jeito”, lamenta.

Após serem retirados da residência do ex-marido, os restos mortais de Jaciele foram enterrados em um cemitério na Vila Cascata, interior de Horizontina. Em um das redes sociais, comentários lamentavam a morte da jovem. “Nem acredito que fizeram essa crueldade com você”, dizia uma das suas amigas.

+ sobre o tema

Servidor número 1

Inesquecível! Um fato histórico é tudo o que se...

Deputada Leci Brandão recebe medalha “Ruth Cardoso”

Leci Brandão recebeu no dia 26/3, a Medalha Ruth Cardoso,...

para lembrar

“Boca de Cachorro Louco” relato de uma mulher que conviveu com a dor travestida de amor

Escritora cearense lança livro sobre relacionamento abusivo   Um relato...

23 mulheres inspiradoras que tornaram 2016 um ano melhor

Listar as mulheres que mais me inspiraram em 2016...

Mulheres Negras e Indígenas de SP comemoram o 25 de julho com Marcha

Mulheres negras de várias regiões da cidade e indígenas...
spot_imgspot_img

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....

Conheça Luana de Noailles primeira manequim do Brasil

A baiana Luana não é muito conhecida no Brasil, mas na Europa ela é um ícone da moda há décadas. Considerada a primeira manequim negra...

Pesquisadora aponta falta de políticas para diminuir mortalidade materna de mulheres negras no DF

"O Brasil é um país muito difícil para uma mulher negra ser mãe, por diversos fatores, dentre eles as dificuldades de acesso a saúde pública,...
-+=