Escritor Jeferson Tenório relata ataques racistas e ameaça: ‘CPF cancelado’

Enviado por / FonteSplash

O escritor Jeferson Tenório, vencedor do Prêmio Jabuti 2021 com “O Avesso da Pele“, denunciou ataques e ameaças de morte recebidas nas redes sociais por causa de uma palestra a alunos de uma escola de Salvador, na Bahia.

Tenório informou ontem, em publicação no Instagram, que registrou boletins de ocorrência para a apuração do caso. “Nas ameaças anônimas diziam que se caso eu fosse na escola eu teria ‘meu CPF cancelado’, ou que ‘teria de fugir do país’ para não ser metralhado”, relatou.

“Decidi tornar estas ameaças públicas para me proteger e também para que estas pessoas saibam que elas não podem cometer esses crimes e acharem que tudo ficará por isso mesmo. Não ficará”, acrescentou o autor.

Segundo o escritor, prints das ameaças e ofensas foram encaminhados à polícia da Bahia e todas as medidas judiciais estão sendo tomadas.

“Por mais que saibamos que o Brasil se tornou um lugar de intolerância e discursos de ódio, para mim ainda é difícil compreender porque um escritor é atacado e ameaçado dessa forma tão violenta por falar de literatura numa escola”, disse Tenório.

Reportagem do jornal O Globo informou que as ameaças foram dirigidas ao vencedor do Jabuti após o anúncio de uma palestra dele na Land School, escola na capital baiana.

Sem garantia da segurança física do escritor, o evento aconteceu de forma virtual. Ao jornal, Tenório disse que realizou a conversa com os alunos e que não houve nenhum incidente.

Vencedor do Prêmio Jabuti do ano passado, “O Avesso da Pele” conta a história de Pedro, que, após a morte do pai – assassinado numa desastrosa abordagem policial -, sai em busca de resgatar o passado da família e refazer os caminhos paternos.

Em entrevista ao UOL em novembro, Jeferson Tenório explicou que a obra também é sobre si mesmo e as experiências sofridas por outras pessoas negras.

“Um corpo negro em um espaço público sempre é um corpo em risco. Não importa se estuda, tem doutorado ou mestrado, se carrega Dostoiévski na pasta. Diante de um policial, vai ser um corpo negro. É uma ameaça, precisa ser eliminado.”

Manifesto de autores apoia escritor ameaçado

Em manifesto, o grupo “Literatura & Liberdade”, composto por mais de 200 personalidades, condenou as ameaças sofridas por Jeferson Tenório e prestou solidariedade ao autor. O coletivo reúne nomes como Chico Pinheiro, Gregório Duvivier, Julia Lemmertz, Juca Kfouri, Zeca Camargo, entre outros.

Leia abaixo:

O Grupo “Literatura & Liberdade”, composto por mais de 200 escritores, cientistas, jornalistas e artistas vem aqui prestar solidariedade e proteção ao escritor Jeferson Tenório pelas ameaças de morte que sofreu, pelas redes sociais, por ocasião de palestra em uma escola na Salvador, Bahia, terra da liberdade.

O momento de ataque sistemático pelo qual passam as artes, a universidade, a ciência e toda fruição intelectual brasileira exige posição enérgica e duradoura na defesa da vida e da liberdade de expressão.

Jeferson, estamos do seu lado”

+ sobre o tema

Joyce Ribeiro formaliza denúncia por racismo

Jornalista do SBT esteve na Delegacia Geral de Polícia...

Estudante de Direito é vítima de racismo na PUC de São Paulo

A estudante do último ano de direito da...

Rainha do Carnaval denuncia que sofreu racismo ao sair de clube

Juliana Santos foi ofendida durante um aniversário de família,...

para lembrar

MPT e agências fazem pacto pela igualdade racial

No próximo dia 23 de setembro, em São Paulo,...

Aluno da UFRJ é encontrado morto dentro do campus do Fundão, Rio

Crime de ódio teria causado morte do estudante, segundo...

Eu era menino quando os da caserna confundiram-me com um comunista

Eu tinha pouco mais de dois anos quando raiou...
spot_imgspot_img

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....
-+=