Todos os pretos se parecem, feat. Serena Williams

A tenista e sua irmã Venus, presentes no Oscar deste domingo, foram confundidas pelo "New York Times"

Acontece quando te dizem que você é parecida com a Chimamanda, mas depois – olhando melhor – comentam que seus traços têm tudo a ver com a Zezé…, apesar de que, no final das contas, seu jeitinho é mais o da Maju, e a Lupita bem que poderia ser a sua irmã.

Acontece quando juram que te viram em lugares onde seria improvável que estivesse, em atividades na qual não tem o menor interesse, em horários impossíveis. Que até te fizeram um tchauzinho, mas – veja só – foram ignorados. Também acontece em versão invertida: lá vem o aceno de um desconhecido, e você olha para trás e não há ninguém, o negócio é contigo mesmo.

É um fenômeno muito conhecido entre os negros e que em casa ainda na infância me lembro que alcunhávamos – entre o pesar, a indignação e o sarcasmo-de-sobrevivência – de “todos os pretos se parecem”.

E aconteceu até com Serena Williams, a tenista mais famosa do mundo e que, ao lado da irmã Venus, será uma das apresentadoras do Oscar neste domingo, 27. A história de infância das duas, pontuada pelo sacrifício dos pais, é a tônica de “King Richard: Criando Campeãs”, cinebiografia indicada a seis estatuetas, incluindo melhor filme, ator (Will Smith) e canção original (Beyoncé e Darius Scott Dixson).

Mudar a narrativa

A vencedora de 23 Grand Slams divulgou no início deste mês mais um empreendimento, Serena Ventures, dedicado a impulsionar startups a partir de um fundo de capital de risco comprometido com o fomento à diversidade no universo financeiro e tecnológico.

O “New York Times” tratou da iniciativa em uma reportagem, mas o texto repercutiu muito além do esperado por outro motivo: em vez de uma fotografia de Serena, o diário estampou um retrato da não menos conhecida Venus.

“Não importa o quão longe tenhamos chegado, somos lembradas que não é o suficiente”, comentou Serena logo depois, em sua conta de Twitter, com uma reprodução do texto – e da foto – no jornal.

“Foi por isso que eu angariei US$ 111 milhões para o @serenaventures. Para apoiar empreendedores que são ignorados por sistemas arraigados, lamentavelmente inconscientes de seus preconceitos. Porque até eu sou ignorada”, escreveu. E finalizou com um recado ao periódico: “Vocês podem fazer melhor do que isso”.

publicação admitiu o erro e afirmou que a imagem equivocada havia saído apenas na edição impressa e que seria corrigida.

Em uma entrevista à Bloomberg TV na última segunda-feira (21), a tenista retomou o assunto e classificou o episódio como uma “oportunidade” para evidenciar a invisibilização de mulheres e negros. “Por isso quero fazer a diferença, porque podemos. Precisamos de pessoas como eu e minha equipe para assinar os grandes cheques e mudar essa narrativa.”

+ sobre o tema

Ministério Público vai investigar atos de racismo em escola do DF

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT)...

Desigualdade ambiental em São Paulo: direito ao verde não é para todos

O novo Mapa da Desigualdade de São Paulo faz...

Nath Finanças entra para lista dos 100 afrodescendentes mais influentes do mundo

A empresária e influencer Nathalia Rodrigues de Oliveira, a...

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do...

para lembrar

Spike Lee irá boicotar Oscar 2016 por falta de diversidade nas indicações

“Não é na premiação da Academia que a verdadeira...

Cada vitória de Serena Williams vem acompanhada de racismo e sexismo revoltantes

Texto de Jenée Desmond-Harris. Publicado originalmente com o título: ‘Every Serena...
spot_imgspot_img

Don Cheadle explica por que ele não gosta tanto do Oscar

Don Cheadle foi indicado ao Oscar de Melhor Ator em 2005 por “Hotel Ruanda”, mas ele não está muito interessado em comparecer à cerimônia. “Você...

Da’Vine Joy Randolph vence o Oscar de Melhor atriz coadjuvante

Uma das favoritas da noite do 96º Oscar, Da'Vine Joy Randolph se sagrou a Melhor atriz coadjuvante da principal premiação norte-americana do cinema. Destaque...

‘Ficção Americana’, com Jeffrey Wright, é a grande surpresa do Oscar

"Ficção Americana" não é um título ao acaso. Ele trata, em forma de comédia, da crença que os Estados Unidos criou e dissemina de que se...
-+=