Especialista alerta sobre a doença falciforme, que acomete quase uma centena de itabiranos

Atualmente, 92 pessoas em Itabira passam por tratamento contra a doença falciforme. Em todo estado de Minas Gerais, são cerca de 7,5 mil pacientes com a enfermidade. Em passagem por Itabira, a presidente da Associação de Pessoas com Doença Falciforme e Talassemia de Belo Horizonte e Região Metropolitana (Dreminas), Maria Zenó Soares da Silva, alerta que o diagnóstico e tratamento da doença carecem de atenção do poder público.

por Wesley Rodrigues no De Fato Online

Maria Zenó foi à Câmara de Vereadores de Itabira nessa terça-feira, 20 de junho, a convite de Ronaldo Capoeira (PV). Por iniciativa do parlamentar, ocorre na cidade a Semana de Conscientização sobre a Doença Falciforme (a Semana foi instituída em projeto de lei aprovado em 2016).

Na Câmara, Zenó usou a tribuna e chamou a atenção para a doença pouco difundida, apesar de atingir um número expressivo de pessoas. Ela defende que se fortaleçam nos municípios as ações de esclarecimento, informação, intensificação do diagnóstico e tratamento humanizado.

A anemia falciforme é uma doença hereditária caracterizada pela alteração genética na hemoglobina, proteína que ajuda no transporte do oxigênio pelo corpo. Pode causar intensas crises de dor e problemas como úlceras e acidente vascular cerebral. É responsável por um número elevado de mortalidade precoce no país.


Presidente de entidade usou tribuna na Câmara e chamou atenção para o problema                           Foto: Wesley Rodrigues/DeFato

A enfermidade atinge, predominantemente, a população negra. Maria Zenó acredita que esteja nesse fato a razão de pouco se falar sobre a doença, haja vista um “racismo institucionalizado”.

Um avanço no tema, a seu ver, é que exames para identificar essa anemia foram incluídos no teste do pezinho e, além disso, o Sistema Único de Saúde (SUS) fornece os medicamentos que compõem a rotina de tratamento.

Conforme Zenó, um desafio a ser superado está nos serviços médicos de urgência e emergência, para que possam atender pacientes com a doença mais rapidamente. Segundo ela, em crises de dor, que surgem de uma hora para outra, pacientes lidam com um atendimento lento e demorado por talvez, pouco conhecimento de profissionais sobre a doença.

“Se o município priorizar o atendimento de urgência e emergência principalmente na época do frio, que é a época das maiores internações, com certeza vidas poderão ser salvas”, argumentou ela. Especialista em saúde pública, Zenó também é coordenadora-geral da Federação Nacional das Associações de Pessoas com Doença Falciforme (Fenafal).

leia também:

Anemia Falciforme, você sabe o que é?

+ sobre o tema

TV pública é TV laica

Por: Eugênio Bucci Na área desalentadora das emissoras...

Narrativa Krenak: O eterno retorno do encontro

A narrativa de Ailton “O Eterno Retorno do Encontro”...

Ministério da Saúde e ANS publicam regras para estimular parto normal na saúde suplementar

Operadoras terão que disponibilizar informações para a gestante e...

para lembrar

Fundo Brasil vai doar R$ 800 mil a 21 projetos de direitos humanos

Propostas foram escolhidas por meio de um rigoroso processo...

Inspirado em Mandela, começa Fórum Mundial de Direitos Humanos

Na abertura, ministra Maria do Rosário lembrou que "legados...

Hoje na História, 10 de Dezembro, dia dos Direitos Humanos

por Navi Pillay "Milhões de pessoas têm ido às...

TORTURA: Juiz muda atestado de óbito de perseguido político

  O juiz Guilherme Madeira Dezem, da 2.ª Vara de...
spot_imgspot_img

Evento do G20 debate intolerância às religiões de matriz africana

Apesar de o livre exercício de cultos religiosos e a liberdade de crença estarem garantidos pela Constituição brasileira, há um aumento relevante de ameaças...

Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

A participação de Geledés - Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13,...

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...
-+=