Estudante acusa Salvador Shopping de racismo: “Três seguranças armados me pararam”

Ele fez desabafo no Facebook e diz que carregava seu notebook no centro de compras

O racismo ainda atinge a capital com o maior número de pessoas negras do Brasil. Um estudante negro foi às redes sociais, nesta quinta-feira (07), desabafar sobre um ato de preconceito racial que sofreu. Segundo ele, a agressão partiu de seguranças do Salvador Shopping, um dos maiores da capital baiana, localizado na Avenida Tancredo Neves.

No desabafo, ele diz por volta das 16h50, carregava um notebook, que seria levado à agência dos Correios do Sumaré, que fechava às 17h – o aparelho, com nota fiscal, iria para a assistência técnica localizada em São Paulo. No local, ele foi abordado por seguranças, já que a pressa dele por conta do horário teria chamado atenção dos funcionários.

O estudante entrou no shopping como atalho achando que teria mais segurança no local. “O funcionário do shopping disse que me parou porque tinha um C3 aberto e poderia ser meu […] O segurança ainda disse que tinha Correios no shopping e teve a cara de pau de me sugerir que usasse a de lá. Tive que explicar que só poderia colocar numa agência própria e não franqueada dos correios. Foram três seguranças armados”, relata.

“Eles me pararam por uns três minutos. Não queriam me deixar sair do shopping por estar com uma ‘atitude suspeita’. Só me liberaram quando liguei para a polícia pedindo viatura”, continua.

racismo2

Ao ser impedido de sair do shopping, o estudante conta que resolveu ligar para a polícia, mas, por causa do ato, acabou liberado pelos seguranças: “Acho que a sorte do shopping foi o meu atraso e o fato de não terem me prendido por mais tempo. Porque se eu perdesse mais tempo, conseguiria testemunhas e esperaria a polícia chegar”.

Ele falou ainda que resolveu fazer uma reclamação formal, além de um Boletim de Ocorrência. “Vou procurar um advogado pra ver o que posso fazer”, pontua. E finaliza: “Situações como esta devem ocorrer todos os dias, mas não queria que a minha passasse em branco e queria que se pelo menos as pessoas soubessem”.

Varela Notícias entrou em contato com a assessoria de comunicação do Salvador Shopping, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem e aguarda um posicionamento oficial do centro de compras.

 

 

Fonte: Varela Notícias

+ sobre o tema

Iza faz show em live para anunciar gravidez: ‘Parece que o mundo já mudou de cor’

A cantora Iza está grávida de seu primeiro filho....

Foi a mobilização intensa da sociedade que manteve Brazão na prisão

Poucos episódios escancararam tanto a política fluminense quanto a...

Selo Sesc lança Relicário: Dona Ivone Lara (ao vivo no Sesc 1999)

No quinto lançamento de Relicário, projeto que resgata áudios...

para lembrar

ILHÉUS: Professor é preso por raciso

Fonte: Pimenta na Muqueca -   O professor Saulo da Cruz...

Noelia sofre racismo e humilhação em loja da PBKids em shopping de São Paulo

Assim que adentrou a loja de brinquedos em um...

Proposta de programação da audiência pública sobre os casos de racismo em Sergipe

DATA: 14 DE DEZEMBRO DE 2009 LOCAL: AUDITÓRIO DA SECRETARIA...

OAB fez ato de desagravo a advogado negro que foi algemado no TRT por seguranças

Manifestação ocorreu na última segunda-feira no local em que...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=