Estudantes criam vaquinha para realizar Mostra de Cinema Negro em Curitiba

Protagonizados por mulheres e homens negros, evento propõe uma nova construção de olhares e narrativas

Do Brasil de Fato 

“Espelho do outro” é um filme pensado e dirigido por Kariny Martins, estudante de cinema e uma das organizadoras do evento / Kariny Martins

Nos dias 27, 28 e 29 de julho acontece na Cinemateca de Curitiba a “Mostra de Cinema Negro Brasileiro”. Organizado por estudantes de cinema e audiovisual negros da Faculdade de Artes do Paraná, a mostra reúne filmes dirigidos e protagonizados por mulheres e homens negrxs, propondo uma nova construção de olhares e narrativas. Filmes contemporâneos como Peripatético, da Jéssica Queiróz, Nada, de Gabriel Martins, e Travessia, da Safira Moreira, estão na programação.

“A ideia surgiu quando percebemos que, nos quatro anos de graduação, nenhum dos nossos professores mencionou cineastas negros brasileiros ou cineastas do continente africano. Nós, enquanto realizadores e pesquisadores, já conhecíamos alguns realizadores negros e achamos importante provocar: “ei, diretores negros existem! Vamos olhar pra eles e para seus filmes?”, pontua Bea Gerolin, estudante, pesquisadora e realizadora em cinema e uma das organizadoras.

Como afirma o grupo idealizador, a mostra é importante porque traz pela primeira vez uma reflexão sobre o cinema negro em uma cidade extremamente racista e conservadora onde a população negra chega a 24%. “A mostra foi pensada por e para pessoas negras, pela escassez que temos de filmes que nos comtemplem nas outras mostras e festivais que acontecem na cidade. Porém a presença de pessoas não negras é bem-vinda e, mais do que isso, necessária, porque discutir as questões raciais e pensar o nosso lugar e o do outro no mundo são responsabilidades de todos”, provoca Bea.

Além dos filmes, o evento conta com três mesas temáticas: “O que é Cinema negro?”; “A representação da mulher negra no cinema brasileiro”; e “Como as representações no audiovisual influenciam o imaginário da criança negra”, seguida pela mesa  “(R)existindo: como é ser negro e estudar cinema?”.

Ajude a mostra a existir

A mostra tem caráter independente, ou seja, não há nenhuma espécie de financiamento privado ou público. Por esse motivo, a equipe realizadora está contando com o apoio de professores e da comunidade em geral e organizaram uma vaquinha online para arrecadar fundos para arcar com as despesas de transporte e hospedagem para os convidados das mesas temáticas. Nesse sentido, convidam todos a colaborar na construção prática de novos olhares e narrativas.

Para colaborar clique aqui.

“Mostra de Cinema Negro Brasileiro”

Quando: 27, 28 e 28 de julho

Local: Cinemateca Curitiba-PR

+ sobre o tema

A “estratégia do cobertor” de Mandela

Quando estava na prisão, Mandela percebeu que, se tivesse...

‘O sistema de arte no Brasil é muito colonizado’ diz Rosana Paulino, artista plástica

Paulista com trabalhos voltados à questão do racismo e...

Pelé ganha ação milionária do portal UOL

Fernando Porfírio_247 - O ex-jogador de futebol Pelé virou...

W.E.B. Du Bois

William Edward Burghardt "W. E. B." Du Bois (Great...

para lembrar

Morre no Rio o sambista Almir Guineto, fundador do Fundo de Quintal, aos 70 anos

Morreu nesta sexta-feira o sambista Almir Guineto, aos 70...

Encontro de quarta a sábado divulga a cultura afro-uruguaia em Porto Alegre

A 2ª Llamada Porto Alegre terá oficinas de candombe,...

Hip-Hop: Livro #PoucasPalavras será lançado na próxima terça

Na próxima terça-feira (19), o Sesc São Carlos...
spot_imgspot_img

Nota de pesar: Flávio Jorge

Acabamos de receber a triste notícia do falecimento do nosso amigo e companheiro de militância Flávio Jorge, o Flavinho, uma das mais importantes lideranças...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...
-+=