Expulso, francês acusa brasileiro de chamá-lo de ‘macaco’ na Espanha

Expulso e suspenso por quatro jogos após carrinho violento no brasileiro Diego Costa, o francês Geoffrey Kondogbia utilizou o Twitter para mostrar sua irritação com o colega. “Senhor Costa, em breve na próxima vez você vai guardar os seus gritos de macaco…”, escreveu Kondogbia, acusando Costa de racismo.

A polêmica se iniciou na partida de volta da semifinal da Copa do Rei da Espanha, entre Sevilla e Atlético de Madrid, que terminou empatada por 2 a 2 na última quarta-feira. Jogando em casa, no Estádio Ramon Sánchez Pizjuán, o Sevilla, de Kondogbia, foi eliminado pelo Atlético de Madrid, de Diego Costa, que havia vencido o jogo de ida por 2 a 1.

Aos 44min do segundo tempo, o francês foi expulso após carrinho em Diego Costa. Na súmula do jogo, conforme publica o site do diário espanhol Marca, o árbitro José Teixeira Vitienes aponta que o volante ainda “pisou” a virilha do atacante quando este “se encontrava no solo”.

“O primeiro vermelho de toda a minha vida desde que jogo futebol e pego quatro partidas?”, reclamou Kondogbia, ainda no Twitter, citando a punição recebida do Comitê de Competição espanhol, que o suspendeu por quatro jogos devido à expulsão.

Conforme publica o jornal espanhol El País, Diego Costa provocou 14 cartões amarelos e quatro expulsões de jogadores expulsos desde 6 de dezembro. A data, de acordo com o diário, é significativa: na ocasião o brasileiro foi expulso após dar uma cabeçada em um rival na derrota por 1 a 0 do Atlético de Madrid para o Viktoria Plzen, no Struncovy Sady Stadion, pela Liga Europa.

kondogbiasevillaalbiolrealgetty

Costa, que levou quatro jogos de suspensão depois do incidente, foi aconselhado a “se controlar” pelo técnico Diego Simeone, de acordo com o periódico, e vem conseguindo mudar o comportamento e só recebeu três amarelos desde então.

Atacante do Sevilla, o espanhol Álvaro Negredo disse que “caímos nas provocações de Diego Costa” depois da eliminação na Copa do Rei. Defendendo-se, o brasileiro afirmou, à rádio Onda Cero, que “o que acontece no campo deve ficar ali”.

O jogador ainda admitiu que “seria uma honra” se fosse convocado para a seleção espanhola. À Rádio Marca, o técnico da equipe atual campeã da Copa do Mundo, Vicente del Bosque, afirmou que o brasileiro “está jogando muito bem e está na lista de ‘futuríveis’ como potencial jogador da seleção”. Costa ainda não pode ser convocado, mas seu processo para a obtenção da cidadania espanhola vive os trâmites finais.

O sergipano Diego da Silva Costa, 24 anos, nasceu em Largarto, iniciou a carreira no Barcelona Esportivo Capela, de São Paulo, e em 2006 se transferiu ao Peñafiel, da segunda divisão de Portugal. No país, defendeu também o Braga antes de ser contratado, em 2007, pelo Atlético de Madrid. Este clube o emprestou a Celta de Vigo, Albacete, Valladolid e Rayo Vallecano. Na atual temporada do Campeonato Espanhol, soma 19 partidas com Simeone como treinador, sendo 13 de titular, e quatro gols marcados.

 

Fonte: Terra 

+ sobre o tema

Grécia: Apesar de protestos, governo intensifica racismo policial

Cartazes de extrema direita estão sendo pichados; uma...

Polícia britânica ‘atirou apenas três vezes’ em um ano

Os números chamam atenção quando comparados aos de outros...

Neta de Bob Marley é confundida com ladrão por policiais e ameaça processar agentes por racismo

O Departamento de Polícia de Rialto, cidade californiana do...

Exaustão crônica reflete o mal-estar contemporâneo

Em 1974, Herbert Freudenberger usou o termo "burnout" para...

para lembrar

O segredo do Canadá para resistir à onda conservadora ocidental

À medida em que o populismo de direita avançou...

ONU Brasil lança campanha pelo fim da violência contra a juventude negra

A Organização das Nações Unidas no Brasil lança, no...
spot_imgspot_img

Da neutralidade à IA decolonial

A ciência nunca esteve isenta das influências e construções históricas e sociais do colonialismo. Enquanto a Revolução Industrial é frequentemente retratada como o catalisador...

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...
-+=