segunda-feira, agosto 15, 2022
InícioQuestão RacialCasos de Racismo“Os africanos descendem de um ancestral amaldiçoado por Noé” disse pastor evangélico...

“Os africanos descendem de um ancestral amaldiçoado por Noé” disse pastor evangélico novo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados

O pastor e deputado Marco Feliciano (PSC) vai ser o próximo presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

Feliciano é conhecido por suas afirmações homofóbicas e preconceituosas. Em 2011, no Twitter, ele escreveu que os resultados de um relacionamento amoroso entre duas pessoas do mesmo sexo são ódio, crime e rejeição.

A comissão tem sido presidida por um deputado do PT, mas agora o partido cedeu o cargo para o PSC (Partido Social Cristão), que é da base de apoio do governo.

O PSC ainda não anunciou oficialmente a indicação de Feliciano, mas o pastor-deputado confirmou ao Estadão que a escolha do seu nome já foi decidida.

A igreja de Feliciano é a Ministério de Avivamento, de Orlândia (SP). Ele dedica a maior parte do seu tempo, como pastor e deputado, a combater o movimento gay pela igualdade de direitos. Em 2012, por exemplo, ao participar do Congresso dos Gideões Missionários de Última Hora, em Camboriú (SC), disse que a Aids é uma doença gay.

“Amamos os homossexuais, mas abominamos suas práticas promíscuas”, ele costuma dizer.

Em 2011, no Twitter, Feliciano afirmou que “os africanos descendem de um ancestral amaldiçoado por Noé”, e é o que explica, segundo ele, a grande incidência no continente africano de doenças como o ebola.

Ele afirmou ontem que pretender dar “maior equilíbrio” à Comissão de Diretos Humanos, que, no seu entendimento, se tornou em uma instância de “privilégios” aos homossexuais e transexuais.

“Se tem alguém que entende o que é direito das minorias e que já sofreu preconceito e perseguição é o PSC, [porque] o cristianismo foi a religião que mais sofreu até hoje na Terra”, disse.

Uma petição on-line contra a entrega do cargo ao Feliciano já tem mais de mil adesões.

 

 

Fonte: Folha de Maringá

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench