Guest Post »

Extermínio da juventude negra será tema de jornada de luta no mês da abolição

Entidades que representam a juventude negra capixaba estão se movimentando para realizar uma grande mobilização no próximo mês de maio, quando completam-se 130 anos da abolição. A I Jornada de Luta Contra o Extermínio da Juventude Negra no Espírito Santo terá uma série de eventos, realizados entre os dias 15 e 31 de maio.

Por Jussara Baptista Do Século Diário

O Círculo Palmarino-ES, entidade do movimento negro, está cadastrando instituições que desejem participar das atividades. Estão previstos debates, rodas de conversa, seminários, atos públicos, shows, saraus, batalhas, palestras, grupos de estudo, aulas públicas, cineclubes, audiências públicas, além de intervenções artísticas. O cadastro poderá ser feito até o dia cinco de maio de 2018 pela fanpage da entidade.

“Será uma programação construída coletivamente, que contará com diversas atividades na Grande Vitória e no interior; nas comunidades, morros, praças, ruas, becos, escolas, quilombos, faculdades, parlamentos; enfim, em vários espaços para reafirmar e fortalecer nossa luta pela vida e contra o racismo”, explica o coordenador do Círculo Palmarino-ES, Lula Rocha.

Extermínio

Para os integrantes dos movimentos sociais, passados mais de um século – são 130 anos de decretação da abolição -, a Lei Áurea não significou, na prática, uma verdadeira libertação para o povo negro, que ainda sofre os reflexos da escravização inacabada no cotidiano da sociedade brasileira.

Lula Rocha ressalta que uma das perversidades do racismo nos dias atuais é o extermínio da juventude negra. “A Jornada de Luta vem denunciar que a abolição nunca foi concluída e seu maior reflexo é o extermínio de jovens negros. Milhares são mortos anualmente em nosso país. No Espírito Santo, estimativas indicam que a cada 10 jovens assassinados, sete são negros ou negras”, disse.

13 de maio

Segundo Lula, um dos objetivos é não deixar a data simbólica cair no esquecimento e, ao contrário, por meio da mobilização, dar visibilidade à luta, que não tem tido o apoio necessário dos governos. Um exemplo disso ficou claro durante o protesto realizado em memória dos jovens Damião Reis e Ruan Reis, executados cruelmente no morro da Piedade em 25 março deste ano. Num ato, realizado no dia 28 de março, que tomou as ruas do Centro de Vitória, um documento foi protocolado no Palácio da Fonte Grande, ainda sem reposta.

“No documento, a gente pede abertura de diálogo por meio da realização de audiências públicas com o governador Paulo Hartung e seu secretariado. Isso para construção de políticas públicas e propostas concretas para reduzir o extermínio da juventude negra, que está em curso e não cessa. Até hoje não tivemos nenhum retorno”, disse Lula.

Crescimento

Segundo Lula Rocha, no Espírito Santo, os crimes tipificados como extermínio de jovens negros saltaram de 25 (2015) para 50 (2016), de acordo com o Atlas da Violência.

A previsão é de que, no próximo ano, deverão ser divulgadas novas estatísticas e, ao que tudo indica, o Espírito Santo amargará um aumento nesse tipo de violência. “O Estado não divulga esses dados; ao contrário, são escondidos. Durante a greve da PM em 2017, foram mais de 200 homicídios, a maior parte de jovens e negros. Depois disso, continuamos acompanhando novos casos; alguns até não divulgados pela mídia. “Na segunda-feira (16), por exemplo, mataram um jovem no Romão, crime que nem saiu na mídia. Foram três tiros de escopeta pelas costas. Deram um jeito de acobertar”, explicou Lula.

As entidades querem que seja construída, em diálogo com os movimentos sociais, uma nova política de segurança pública que deixe de ter como foco o confronto com objetivo midiático, que deixam como saldo mortes, incluindo o de policiais, e que criminaliza comunidades de bairros periféricos. “Falta investimentos em políticas voltadas para a juventude, que sejam sérias, com pessoal, orçamento e suporte técnico. O que se faz são projetos com cunho eleitoreiro, sem efetividade. Além disso, quem se propõe a fazer alguma coisa, no caso os movimentos da sociedade organizada, não recebe nenhum apoio”, conclui Lula.

I Jornada de Luta Contra o Extermínio da Juventude Negra no Espírito Santo

Mais informações:

Círculo Palmarino – ES

https://www.facebook.com/circulopalmarinoes

(27) 99793-8060

Artigos relacionados