Feira Black vai abordar questões raciais e reunir moda, música, gastronomia e dança

O sonho de Rayssa Paixão sempre foi de ser modelo. Mas uma coisa a impedia de pisar nas passarelas ou posar para uma lente: o preconceito. Com o tempo, o sonho foi ficando de lado. Há dois anos e meio, começou a trabalhar com penteados africanos, atividade que aprendeu com a irmã mais velha. Ano passado, surgiu o primeiro convite: um desfile no Parque Madureira para uma grife africana. Lá conheceu o coletivo Achantes, organização de mulheres negras que luta pelo empoderamento feminino. No grupo, ela desfila, participa de ensaios fotográficos e eventos:

Por Cíntia Cruz Do Extra

— Todo mundo falava que eu tinha que emagrecer porque ninguém quer modelo gorda, mas com o Achantes foi diferente. Fui aceita pelo meu visual.

O coletivo será uma das atrações da Feira Black, neste domingo, no Espaço João Cândido, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O evento vai reunir 26 afroempreendedores, além de apresentações artísticas, palestras, música, moda e gastronomia.

— É um projeto autosustentável para fortalecer o movimento negro na região — explica o organizador Marcos Paulo da Silva.

O coletivo Achantes, do qual faz parte a Rayssa, vai levar mulheres negras para desfilar a temática africana.

— Nossa ideia é realçar a beleza negra com estereótipos diferentes e quebrar o padrão imposto pela sociedade, através de parceria com afroempreendedores — torce a idealizadora e produtora do Achantes, Danielaine Macedo.

Na mesa de debates, temas como perseguição às religiões de matrizes africanas, racismo institucional e a Comissão da Verdade da Escravidão serão abordados.

— Este evento motiva o povo negro para que ele possa se reencontrar — acredita Leila Regina, assessora de relações de gênero da Casa da Cultura, idealizadora.

O grupo Dandalua de Danças Populares é uma das atrações artísticas. A coordenadora Mônica Ferreira conta que o evento tem a mesma proposta do grupo, de levar cultura de matriz africana à região:

— A ideia é disseminar essa cultura que está se perdendo. A gente ensina e se apresenta ao mesmo tempo.

A feira terá ainda uma homenagem à ialorixá Mãe Beata de Iemanjá, que morreu no último dia 27, aos 86 anos. O evento será das 9h às 17h. O Espaço João Cândido fica na Avenida Comendador Teles s/nº, na Praça da Bandeira.

+ sobre o tema

No Orun: morre o fotógrafo Januário Garcia

Foi o Cais do Valongo receber em 2017 o...

Evento: Representação e Representatividade – O Negro Dentro e Fora dos Contextos Cênicos

Representação e Representatividade – As Artes Dramáticas na Sociedade: O Negro...

Após internação, Nelson Mandela retorna para casa

Após internação, Nelson Mandela retorna para casa. O ex-presidente da...

Prefeito de Boston decreta Seu Jorge Day em homenagem ao cantor brasileiro

Neste dia 12 de fevereiro, o prefeito Martin J.Walsh...

para lembrar

A literatura engajada do Nobel de Literatura Wole Soyinka

Por: Nahima Maciel     Wole Soyinka foi...

Jay-Z se torna o primeiro rapper bilionário, segundo a Forbes

O que poucos sabem sobre o rapper é que,...

Filipe Zau: ‘Os rótulos chateiam-me’

Por Rubio Praia       Destaca-se pela altura, pelo timbre de voz...
spot_imgspot_img

Spcine marca presença no Festival de Cinema de Cannes 2024 com ações especiais

A Spcine participa Marché du Film, evento de mercado do Festival de Cinema de Cannes  2024 e um dos mais renomados e influentes da...

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...

Mostra Competitiva Adélia Sampaio recebe inscrições de filmes de mulheres negras até 16 de junho

A 6ª edição da Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio está com inscrições abertas para filmes dirigidos por mulheres negras de todo o...
-+=