segunda-feira, janeiro 30, 2023
InícioQuestão RacialCasos de RacismoFelipe volta pela 1ª vez ao Barradão, palco de trauma causado por...

Felipe volta pela 1ª vez ao Barradão, palco de trauma causado por racismo

Fonte: UOL –

Quando entrar no vestiário do Barradão nesta quarta-feira para se preparar antes da partida diante do Vitória, o goleiro Felipe irá reencontrar o local onde viveu um triste episódio em 2005. Foi nesse ano que o hoje goleiro do Corinthians denunciou um ato racista e acusações de “corpo mole”.

“Fiquei dez anos no Vitória e será a primeira vez que volto lá desde que saí em 2005. Tenho muitos amigos lá, mas vamos ver como será retornar”, comentou o camisa 1 na manhã desta terça-feira, pouco antes de embarcar rumo a Salvador.

Felipe foi revelado nas categorias de base do clube baiano e lá já era considerado um goleiro promissor. Entre 2004 e 2005, porém, o time rubro-negro passou por momentos difíceis e acumulou dois rebaixamentos seguidos no Brasileiro, indo da elite para a Série C em duas temporadas.

Depois da segunda queda, Felipe disse ter sido vítima de um dos episódios mais tristes de sua carreira. O empate por 3 a 3 com a Portuguesa no Barradão decretou o descenso do Vitória. Logo em seguida, o então presidente do clube, Paulo Carneiro, acusou Felipe de ter entregado o jogo e ainda disparou insultos racistas.

O episódio culminou com a saída do goleiro e um processo que tramita na Justiça até hoje. Pelo Corinthians, Felipe também já foi alvo de racismo pelo menos duas vezes, ambas no ano passado. Durante a Série B do Brasileiro, o camisa 1 foi insultado por torcedores de ABC e Juventude, respectivamente, em Natal e Caxias do Sul.

“Eles tiveram atitudes racistas o jogo inteiro. Mas vou esquecer isso. Estão praticamente eliminados e vão continuar na segunda divisão. Vou torcer para que eles caiam para a Série C”, esbravejou o goleiro ainda no gramado do Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.

Na noite desta quarta-feira, Felipe voltará ao Barradão para tentar recuperar apenas as boas lembranças em sua antiga casa. E também para ajudar o Corinthians a reencontrar as vitórias (a equipe triunfou apenas uma vez nas últimas oito rodadas).

“Jogar no Barradão sempre foi complicado, é difícil ganhar lá”, avisou o camisa 1, que ainda tem ligação forte com Salvador, onde viveu durante muitos anos e onde sua família ainda reside. Na última semana, inclusive, o goleiro passou algumas horas de folga na capital baiana.

Matéria original

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench