Filho da impunidade: Thor Batista é absolvido por morte de ciclista

Desembargadores aceitam recurso e afirmam que condenação tinha provas ‘contaminadas de dúvidas’

Por Paolla Serra Do O Globo

Os desembargadores Paulo de Oliveira Lanzellotti Baldez e Luiz Felipe Haddad, da 5ª Câmara Criminal, aceitaram ontem um recurso e absolveram Thor Batista pelo atropelamento que, em 2012, causou a morte do ciclista Wanderson dos Santos na BR-040, que liga o Rio a Petrópolis. De acordo com a transcrição da sentença, Baldez considerou “contaminadas de dúvidas” as provas anexadas na ação que havia condenado o filho do empresário Eike Batista. Haddad concordou com o magistrado. O único voto a favor da manutenção da condenação de Thor foi o do relator do processo, o também desembargador Cairo Italo Franca David.

Na apelação, os advogados Raphael Mattos e Ary Bergher, pediram a anulação da sentença aplicada contra Thor em junho de 2014. Ele havia sido condenado a prestar dois anos de serviços comunitários e a pagar uma multa de R$ 1 milhão por homicídio culposo. Além disso, teve sua carteira de habilitação suspensa até junho de 2016.

— O processo foi exaustivamente examinado em seu conjunto probatório, não restando dúvida que a Justiça foi, finalmente, feita — disse Bergher.

Porém, ainda cabe recurso à nova decisão da Justiça.

De acordo com a juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza, da 2ª Vara Criminal de Duque de Caxias, a condenação de Thor em primeira instância foi dada a partir de provas técnicas, de depoimentos das testemunhas e do interrogatório do empresário. “Obtém-se a certeza, necessária à condenação de Thor, que, no dia dos fatos, criou riscos proibidos que ensejaram o acidente e a consequente morte da vítima”, afirmou na sentença.

Na época do atropelamento, um primeiro laudo pericial da Polícia Civil apontou que Thor dirigia a 135 km/h. No entanto, uma segunda análise, feita pelo Departamento Geral de Polícia Técnico e Científica (DGPTC), definiu que ele dirigia a, no máximo, 115 km/h. O primeiro laudo foi retirado do processo.

+ sobre o tema

Coalizão de entidades lança campanha por mais negros nos parlamentos

A Coalizão Negra por Direitos, que reúne mais de...

Kenarik Boujikian é nomeada para a Secretaria Nacional de Diálogos Sociais da Presidência

A desembargadora aposentada do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) Kenarik...

Precarização do trabalho rural impacta mais pessoas negras e mulheres

Um relatório da Oxfam Brasil indica que mulheres e pessoas negras...

Em Ceilândia, Anielle Franco anuncia R$ 1,6 milhão para organizações

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, anunciou, nesta...

para lembrar

Cresce denúncia de violência doméstica

Fonte: O Estado de São Paulo - Hoje, a...

Faltava apenas uma faísca: O linchamento e a bomba-relógio do ódio

Faltava apenas uma faísca. por Leonardo Sakamoto no Blog Por certo,...

Plataforma lança petição online em busca de assinaturas pela Reforma Política

A Plataforma pela Reforma do Sistema Político lançou,...

O que mata mais: as drogas ou a tentativa de reprimi-las?

MAURO SANTAYANA   A situação chegou a tal ponto que essa...

OABRJ levará absolvição dos policiais no caso João Pedro ao STF

A Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OABRJ) levará o caso da absolvição dos policiais na morte do jovem João Pedro...

O grande bazar de direitos

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, declarou nesta semana estar "muito entusiasmado com a iniciativa do STF  de, ao invés de simplesmente decidir pela inconstitucionalidade daquilo que...

Mães de vítimas da violência policial em SP, RJ e BA vão à Comissão Interamericana de Direitos Humanos denunciar o Estado brasileiro

Representantes de movimentos de mães de vítimas da violência do Estado e organizações de direitos humanos como Anistia Internacional, Conectas Direitos Humanos, Instituto Vladimir...
-+=