Governo boliviano processa três veículos de imprensa por ‘incitar racismo’ ao noticiar discurso do presidente do país

Por Silvia Higuera

Dois jornais e uma agência de notícias da Bolívia enfrentam um processo pela “divulgação e incitação ao racismo ou à discriminação”. A agência que produziu matéria divulgada pelos diários alega que simplesmente noticiou as palavras do presidente Evo Morales em um discurso, explicou o portal La Razón.

O vice-ministro de Governo, Javier Balvidieso, disse ao La Razón que a Agência de Notícias Fides (AF) e os jornais Página Siete e El Diario publicaram uma matéria que “não reflete o verdadeiro discurso” do presidente, no dia 15 de agosto, no sítio arqueológico de Tiwanaku.

A polêmica se iniciou há alguns dias, quando o presidente anunciou a intenção de processar a agência por supostas calúnias. Os dois jornais também estão sendo processados por reproduzirem a matéria da ANF.

O secretário executivo da Confederação Sindical de Trabalhadores da Imprensa da Bolívia (Cstpb), Ramiro Echazú, ofereceu apoio aos veículos processados, segundo o El Diario.

Uma das razões da polêmica é a chamada Lei Contra o Racismo e Toda Forma de Discriminação, promulgada em outubro de 2010. Para a Repórteres Sem Fronteiras, certas cláusulas foram mal formuladas, segundo as quais seriam possível responsabilizar a imprensa por declarações racistas ou discriminatórias. Embora uma regulamentação tenha acabado com a ambiguidade, o processo “nos remete aos defeitos iniciais de uma legislação que, em si, tem toda a razão de ser”, destacou a organização.

 

 

Fonte: Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

+ sobre o tema

Mulher negra recebe carta anônima com ofensas racistas no Paraná

Caso ocorreu em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba....

Atacante francês sofre racismo na Grécia

Fonte: Google.com ATENAS - O atacante francês Djibril Cissé,...

Para que serve o 20 de novembro?

por José Ricardo D'Ameida Para o movimento negro e ativistas...

para lembrar

Segue perseguição às religiões de matriz africana em MG: alguém se importa?

Makota Celinha – coordenadora do Centro nacional de Africanidade...

Funcionário denuncia patrão por racismo após ser chamado de ‘preto’

O rapaz foi chamado de preto após ser questionado...

Prisão de professor negro testa nova mentalidade “pós-racial” americana

Fonte: New York Times - CHICAGO - Ralph Medley, negro,...

Polícia e racismo na USP

Vitor Hugo Soares Mesmo no Alabama da abominável Ku...
spot_imgspot_img

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...

Presos por racismo

A dúvida emergiu da condenação, pela Justiça espanhola, de três torcedores do Valencia por insultos racistas contra Vini Jr., craque do Real Madrid e da seleção brasileira. O trio...

Formação territorial do Brasil continua sendo configurada por desigualdades, diz geógrafo

Ao olhar uma cidade brasileira é possível ver a divisão provocada pela segregação espacial no território, seja urbano, seja rural. A avaliação é fruto...
-+=