Homem que furou olhos da ex-mulher vai a júri popular em Goiânia

Crime aconteceu em agosto de 2013, quando ex-marido também agrediu e torturou a vítima.

 

O homem que furou os olhos da ex-companheira em Goiânia, Goiás, vai a júri popular. O crime aconteceu em agosto do ano passado. Wilson Bicudo da Rocha é acusado de agredir, torturar e perfurar os olhos da operadora de caixa Mara Rúbia Mori Guimarães.

Ele ficará preso até o julgamento, que ainda não tem data marcada, pois de trata de uma tentativa de homicídio triplamente qualificada. Segundo o juiz, o crime teve motivo torpe, porque Mara Rúbia não quis reatar o casamento. Além disso, foi empregado meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima.

Mara Rúbia vai passar por uma nova cirurgia nesta sexta-feira (14) e os médicos acreditam que ela recupere boa parte da visão.

 

O crime

Mara Rúbia foi atacada pelo ex-marido por volta das 12h de 29 de agosto de 2013, em Goiânia. Segundo o Tribunal de Justiça de Goiás, a vítima chegou em casa para o almoço e deixou a porta encostada. Pouco depois, foi surpreendida por Wilson Bicudo, que a agarrou pelo pescoço e a empurrou para cima da cama, momento em que afirmou: “Vim aqui só para isso, para te matar”.

Bicudo agrediu e sufocou Mara Rúbia com as mãos, até que ela desmaiasse. Quando a vítima recobrou a consciência, o acusado amarrou suas mãos e pescoço com um fio de telefone. Em seguida, ele perfurou o olho direito de sua ex-companheira, com uma faca de mesa. A dor foi tanta que ela desmaiou novamente. Não satisfeito, ele também perfurou seu olho esquerdo, momento em que ela desmaiou de dor pela terceira vez.

Bicudo acreditou que ex-companheira havia morrido e deixou o local do crime. Adinda segundo o TJ, para garantir que a vítima não conseguisse pedir socorro, caso não tivesse morrido, trancou o portão e levou as chaves e o celular dela. Mara Rúbia só foi socorrida quando recobrou os sentidos, momento em que conseguiu soltar o fio de telefone que amarrava suas mãos e seu pescoço e começou a gritar. Os vizinhos ouviram os gritos e chamaram o Corpo de Bombeiros.

Versão do réu

Interrogado em 6 de dezembro do ano passado, pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, Bicudo afirmou que não teve intenção de matar a ex-companheira e que só a amarrou para pedir socorro. Alegando arrependimento, Bicudo contou que, quando percebeu a gravidade dos fatos, ficou preocupado e, por isso, avisou a amiga de Mara Rúbia sobre o crime.

— Eu não sei porque isso aconteceu, mas eu não tive a intenção de matar.

Bicudo alegou ainda que o fato de ter se entregado à justiça revela seu arrependimento.

— Eu confio na Justiça do homem e de Deus.

Bicudo negou que teria ameaçado a ex-companheira de morte e também o filho do casal. Ele admitiu ter empurrado Mara Rúbia, mas não tê-la espancado.

— Eu nunca coloquei a mão nela, eu só dei um empurrão e fez um galo.

Versão da Vítima

Na mesma época, Mara Rúbia disse que o ex-marido sempre foi violento e que, durante os seis anos em que foram casados, ela chegou a chamar a polícia para contê-lo. Ela contou detalhes sobre o crime.

— Ele me amarrou toda, pegou uma faca de mesa, achei que ia cortar meu pescoço. Daí, ele veio com muita força e furou o meu olho direito. Doeu muito, eu cheguei a fazer xixi e cocô na roupa de tanta dor. Depois, ele veio e furou o meu outro olho.

Ainda segundo a vítima, no dia do crime, antes do acusado furar os olhos, ele a machucou muito. Mara Rúbia contou que Bicudo a amarrou com pedaços de um vestido de seda, toalhas e o fio de um telefone e apertou seu pescoço.

— Ano passado ele me deu um surra e falou que eu poderia ter certeza que ele iria me matar.

Mara Rúbia revelou ainda que Bicudo ameaçava também o filho.

Cirurgias

Mais de seis meses após o crime, a mulher ainda luta para voltar a enxergar. Ela já passou por várias cirurgias. Os médicos dizem que Mara Rúbia tem entre 40% e 60% de chance de recuperar a visão.

No começo novembro do ano passado, a vítima, que tem 27 anos, recuperou a guarda do filho. A criança estava com a avó paterna, que afirmou á Justiça não ter condições de cuidar dela.

 

 

Fonte: R7

 

 

+ sobre o tema

Casa Marielle é inaugurada no Rio com exposição permanente sobre a história da vereadora

Foi inaugurada, na tarde deste domingo, a "Casa Marielle",...

14º Curso de formação de PLPs da Restinga-RS

Do Flickr Formatura das PLPs da Restinga Encerramento da cerimônia de...

“Era só pra saber que ela era virgem’, diz pastor acusado de abusar da filha

Um líder religioso foi preso nesta quinta-feira (28) suspeito...

O machismo mata. O silêncio também

O machismo mata”. Esta foi uma das várias frases...

para lembrar

4 lições que aprendi como uma garota negra introvertida

A ideia de fazer contatos depois do expediente me...

Os novos crimes sexuais, por Silvia Chakian de Toledo Santos

Nova lei é um avanço, mas há que cuidar...

Feminicídio é fenômeno político, não apenas de gênero, dizem palestrantes

Para senadora, falta de ação do Estado para evitar...

Paulo Gustavo reage a ataque homofóbico: “Vou ser viado até o último dia da minha vida”

Paulo Gustavo reage a ataque homofóbico. O humorista revelou...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=