Homem que leu biografia de Hitler em biblioteca no centro de São Paulo é condenado por racismo

O TJ-SP determinou que o réu terá que pagar R$ 50 mil em indenização e estabeleceu medidas protetivas aos funcionários

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou Wilho da Silva Brito, que proferiu falas racistas dentro da Biblioteca Mário de Andrade, no centro de São Paulo, a dois anos e oito meses de prisão em regime semiaberto.

“Não gosto de negros. Se negro prestasse, não era discriminado pela sociedade”, afirmou o homem em 3 de agosto, quando foi preso em flagrante. Brito estava lendo a biografia de Adolf Hitler, líder do partido nazista alemão, momentos antes de cometer o crime.

A sentença foi proferida pela juíza Larissa Gaspar Tunala, da 18ª Vara Criminal, em 6 de dezembro. Na decisão, a magistrada apontou episódios de racismo, misoginia, homofobia, além de agressões verbais e apologia do nazismo praticados por Brito desde 2017, com base nos depoimentos de funcionários da biblioteca.

Segundo a juíza, a prisão preventiva como cautelar é necessária para a garantia da ordem pública. O cumprimento da pena visa colocar um fim na “escalada de violência inerente a esse tipo de crime”.

Também foi concedida medida protetiva em favor das testemunhas, funcionários da biblioteca, e de seus familiares. Portanto, Brito deve manter pelo menos 100 metros de distância e não pode frequentar os mesmos lugares que as vítimas, especialmente a Biblioteca Mário de Andrade.

Larissa Gaspar Tunala também determinou o pagamento de indenização no valor de R$ 50 mil reais em favor da biblioteca.

+ sobre o tema

Primeira mulher trans a liderar bancada no Congresso, Erika Hilton diz que vai negociar ‘de igual para igual’

A deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) foi aclamada nesta quarta-feira como...

Estrela do Carnaval, ex-passista Maria Lata D’Água morre aos 90 anos em Cachoeira Paulista, SP

A ex-passista Maria Mercedes Chaves Roy – a ‘Maria...

Aos ‘parças’, tudo

Daniel Alves da Silva, 40 anos, 126 partidas pela...

Iniquidades raciais e as mudanças do clima

O verão brasileiro, embora conhecido pelas belíssimas praias, férias...

para lembrar

Auto-odio, ignorância? Dupla que pichou suástica na estátua de Zumbi pede desculpas

Dois homens foram identificados após fotos postadas e exibidas...

A vida dos negros na Alemanha nazista

A cineasta britânica-ganense Amma Asante se deparou, por acaso,...

Bancos estão longe de abolir o racismo

Os dados do IBGE de 2010 apontam: pretos e...
spot_imgspot_img

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da Universidade Federal de Santa Catarina, lança nesta quarta-feira (21) o quinto vídeo de sua campanha de divulgação...

Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO), entidade fundada em 1988, com  longa trajetória na luta contra o racismo e suas múltiplas...

Perfeição do racismo brasileiro transforma algoz em vítima

O racismo é um crime perfeito. É com essa frase que o antropólogo Kabanguele Munanga, uma das maiores autoridades do Brasil em estudos raciais, define...
-+=