Homem tortura e mata filho de namorada por achar que ele era gay

De acordo com o promotor do caso, o garoto foi espancado e obrigado a ingerir suas próprias fezes; os episódios de tortura duraram oito meses 

Do iG

Isauro Aguirre, de 32 anos, foi acusado de conspirar com sua namorada para torturar e matar o filho dela, de apenas oito anos de idade. De acordo com o procurador responsável pelo caso, os crimes aconteceram porque Aguirre acreditava que o menino fosse gay. Agora, o homem pode ser condenado à pena de morte.

 

Reprodução/Facebook Gabriel’s Justice

Aos oito anos de idade, Gabriel Fernandez foi torturado e assassinado por seu padrasto com a ajuda da mãe

 

O assassinato aconteceu em meados de 2013, entretanto, o julgamento do caso começou apenas na última segunda-feira (16), na corte de Los Angeles, na Califórnia. O americano é acusado de atacar Gabriel Fernandez com spray de pimenta, obrigá-lo a ingerir as próprias fezes e depois vomitá-las, queimar a pele do garoto com bitucas de cigarro, agredi-lo com um taco e matá-lo com a “permissão” da mãe do menino. Tudo baseado na crença de que o garoto era  gay .

Logo após a morte de Gabriel, o casal ligou para a polícia e reportou o caso como suicídio. Os dois alegaram que a criança “gostava de bater em si mesmo, era homossexual e queria acabar com a própria vida”. Entretanto, as evidências encontradas descartaram essa possibilidade e os dois foram presos.

O julgamento

Agora, Aguirre está sendo representado pelo advogado John Allan, que, diante das acusações, argumentou que o cliente “estava com problemas para lidar com uma situação muito estressante e caótica” durante o período dos ataques. A defesa do réu declarou que o homem admite o assassinato, porém, nega qualquer episódio de tortura .

Entretanto, o paramédico James Cermak, que trabalha no Corpo de Bombeiros do Condado de Los Angeles, afirmou que o corpo de Gabriel estava extremamente machucado quando foi encontrado, já falecido, no apartamento do casal.

Pearl Fernandez, mãe do garoto, também enfrenta acusações no caso de homicídio, mas será julgada em outra sessão. Além disso, quatro assistentes sociais são investigados por causa da morte de Gabriel, assassinado em mais um caso de homofobia após sua mãe e padrasto cometerem o crime por desconfiarem que fosse gay.

+ sobre o tema

O Dia da Mentira nada tem a ver com sociopatas da política

Não são doentes, apenas portam personalidades bandidas Por: Fátima Oliveira   Escrevo...

Procurador-geral de Justiça anuncia troca da equipe que investigava caso Marielle

Letícia Emily, promotora de Justiça recentemente escolhida para apurar...

Levantamento aponta recorde de mortes por homofobia no Brasil em 2017

O dado está em levantamento do Grupo Gay da...

Myrian Rios: Esqueça o que eu não disse

Deputados Jair Bolsonaro e Myrian Rios, um caso de...

para lembrar

Winnie Mandela

Nascida Nomzamo Winifred Zanyiwe Madikizela, ficou mundialmente conhecida como esposa...

Projeto de lei prevê prisão de docente que falar sobre “ideologia de gênero”

Atualmente, tramitam no Congresso Nacional ao menos cinco projetos...

“Desmaiei de dor”, lembra top model da Somália sobre mutilação genital

Waris Dirie tinha 5 anos quando foi circuncidada com...

Nova York passa a reconhecer 31 gêneros diferentes

A Comissão de Direitos Humanos de Nova York (EUA)...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...
-+=