Insultos a Duvivier expõem entranhas da direita

por Breno Altman

O ator e poeta Gregório Duvivier, integrante do grupo Porta dos Fundos,  está longe de ser petista. No primeiro turno, declarou seu voto em Luciana Genro, do PSOL.

Critica com acidez os governos de Lula e Dilma. Chegou a dizer que, reeleita, a presidente também faria acordo “com os setores mais reacionários da sociedade”.

Especulou sobre a possibilidade de votar nulo, mas o ódio conservador “contra causas humanitárias e direitos civis” determinou seu apoio à candidata do PT na segunda volta das eleições presidenciais.

Sua declaração de voto está lhe custando caro. No início, eram apenas mensagens ofensivas nas redes sociais. Ontem ele foi insultado em um restaurante do Rio de Janeiro, no nobre bairro do Leblon.

Um sujeito começou a xingá-lo. Avisou que saía do recinto para não “acabar metendo a porrada”. Chamando Duvivier de “esquerda caviar”, mandou o comediante comer em um bandejão, “já que gosta tanto de pobre”.

Estes fatos foram contados pelo colunista Ancelmo Gois, do Globo.

Não é acontecimento isolado. Há uma onda reacionária em movimento, que abala e ameaça os fundamentos mais comezinhos da vida civilizada e democrática. Sua encarnação política é o antipetismo. Seu redentor, o candidato tucano Aécio Neves.

Os piores valores animam aqueles que mergulham e surfam nesta onda. Preconceito social, racismo, homofobia, machismo, ódio regional, xenofobia, fundamentalismo religioso. A cruzada da direita para derrotar o PT convocou todos os demônios da sociedade brasileira.

Os conservadores perderam a vergonha na cara. Batem no peito e se enchem de orgulho em ser o que são: um grupo político-social que veste simbolicamente as camisas pardas dos inimigos mais ferrenhos da civilização.

Estes indivíduos abandonaram os porões nos quais vicejavam como ratos gordos e vieram à superfície, atraídos pelas letras, sons e imagens de uma mídia disposta a qualquer coisa para impedir a continuidade da esquerda no poder.

O PT e seus governos têm parcela de responsabilidade. A luta contra a pobreza e a miséria, tão bem sucedida, não foi devidamente acompanhada pelo enfrentamento de ideias e valores que vertebram o comportamento reacionário.

Faltou empenho para enfrentar o monopólio da comunicação e garantir pluralidade de vozes, criando condições legais e materiais para a liberdade de expressão não ser direito censitário de umas poucas famílias.

Não é hora para se lastimar o passado, é verdade. Estamos em plena batalha para que os fascistas do Leblon e seus ídolos não voltem a governar o país.

Oxalá a vitória de Dilma Rousseff abra uma nova etapa na democracia brasileira. Conquistar uma sociedade mais justa não é apenas obra administrativa, por mais avançada que seja.

Também depende de libertar corações e mentes dos entulhos políticos, ideológicos e culturais tão bem representados pelo truculento eleitor de Aécio Neves que insultou Gregório Duvivier.

BRENO

Breno Altman é diretor editorial do site Opera Mundi.

Fonte: Opera Mundi 

+ sobre o tema

Religiões de matriz africana sofrem perseguição em comunidades cariocas

Estudo aponta existência de 847 terreiros no estado, dos...

Cinco empresas que usam símbolos da escravidão como marca

Explorando figuras de escravos, navios negreiros e recorrendo a...

‘Decidi ser linda’: Albina conta como superou preconceito para virar top model

Desfilando as roupas de um conhecido estilista da África...

para lembrar

A enquadrada que Luciana Genro deu em Aécio

por : Paulo Nogueira O melhor momento até agora em...

Cúpula da Rede deixa partido denunciando que ele se tornou mercadoria à venda

Sete coordenadores do Rede Solidariedade em São Paulo saíram...

Atentado de Veja a leva ao trending topic global

Tentativa criminosa de interferir nas eleições presidenciais, com a...

Entre o Vermelho e o Azul, o Brasil elegeu o branco

A mais acirrada disputa presidencial das últimas décadas suscitou...
spot_imgspot_img

Duvivier sobre Sheherazade defender Waack: cérebro corroído

Gregório Duvivier respondeu ao post da apresentadora Rachel Sheherazade defendendo o âncora William Waack após o jornalista da Globo ter feito comentários racistas em...

O sonho de Duvivier para o Brasil: democracia

Contra o golpe, colunista Gregório Duvivier descevre como um sonho o que seria "o povo no poder": “O representante que tivesse mais votos seria o "eleito"...

Duvivier fala da evolução do racismo

Humorista e colunista Gregório Duvivier lembra que antigamente era aceitável ter escravos: “Tudo já foi normal até que algum dia ficou bizarro”; ele questiona...
-+=