Jamaica vence 4×100 m e Bolt iguala recorde de medalhas de ouro em Mundiais

 

Só faltava uma, mas não falta mais. Usain Bolt igualou, neste domingo, o recorde de medalhas de ouro em Mundiais de Atletismo. A Jamaica venceu o revezamento 4×100 m com 37s36 e Bolt chegou ao seu oitavo ouro, igualando os americanos Carl Lewis e Michael Johnson.

Bolt foi o responsável por fechar o revezamento, assim como nas Olimpíadas de Londres, quando a Jamaica bateu o recorde mundial da prova. Ele pegou o bastão em segundo, mas os EUA precisavam de mais que isso para deter o homem mais rápido do mundo. Bolt passou facilmente por Justin Gatlin e levou a Jamaica a mais um ouro.

Ao lado de Bolt, completaram a equipe jamaicana Nesta Carter, Nickel Ashmeade e Kemar Bailey-Cole. Os três tiveram dificuldades antes do bastão chegar a Bolt, com problemas nas duas primeiras trocas. Nada que ele não pudesse consertar. Mas os erros não deixaram o time se aproximar do recorde mundial, de 36s84.

A prata ficou com os EUA, com 37s66, e o Canadá ficou com o bronze, com 37s92. A Grã Bretanha, que havia vencido a Jamaica na eliminatórias, quando Bolt não correu, ficaria com o bronze, ao marcar 37s80, mas a equipe foi eliminada por irregularidade durante a corrida.

Usain Bolt chegou ao seu oitavo ouro, mas essa marca poderia ser maior. Caso não tivesse queimado a largada na decisão dos 100 m no Mundial de Daegu-2011, provavelmente o revezamento 4×100 m deste domingo marcaria a quebra da marca história de maior medalhista em Mundiais para o jamaicano.

Anteriormente, já havia conquistado os seguintes títulos: em Berlim-2009, venceu os 100 m, os 200 m e o revezamento 4×100 m; em Daegu-2011, levou os 200 m e o 4×100 m; por fim, em Moscou, já havia levado os 100m e os 200 m.

“Foi muito bom. Foi maravilhoso e meu time me ajudou muito”, finalizou Bolt, sobre o Mundial, ao SporTV. O Rio de Janeiro espera o mito em 2016.

 

Fonte: UOL

+ sobre o tema

Projeto Memória homenageia ativista do movimento negro Lélia Gonzalez

A historiadora, antropóloga e filósofa, Lélia Gonzalez, foi homenageada...

Taís Araújo conta que desenhou suas curvas com o balé: ‘Transformou tudo’

Taís Araújo conta que desenhou suas curvas com o...

para lembrar

Jovelina Pérola Negra

Jovelina Pérola Negra (Rio de Janeiro, 1944 - -...

Jornalista e ativista angolano Rafael Marques vence prémio Herói da Liberdade de Imprensa

O jornalista Rafael Marques de Morais, que tem “enfrentado...

Barreiras ao comércio em África

Um estudo do Banco Mundial indica que o comércio...
spot_imgspot_img

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Nota de pesar: Flávio Jorge

Acabamos de receber a triste notícia do falecimento do nosso amigo e companheiro de militância Flávio Jorge, o Flavinho, uma das mais importantes lideranças...
-+=