Jamie Foxx fala sobre racismo: ‘Como um negro, pra mim tudo é questão racial’

O ator Jamie Foxx não teve problemas em falar sobre sérias questões raciais na edição de dezembro de 2012 e janeiro de 2013 da revista Vibe, na qual aparece na capa ao lado de Leonardo DiCaprio e Kerry Washington, seus companheiros em Django Livre (2012), dirigido por Quentin Tarantino. A entrevista à publicação foi divulgada nesta sexta-feira (14) pelo site Radar Online, e lá ele falou que sua vida é construída sobre divisão racial.

“Sendo negro, digo que somos mais sensíveis. E eu sendo negro, pra mim é sempre uma questão racial. Venho a este lugar (a entrevista foi feita no evento de nomeação do Globo de Ouro) tirar fotos e eles têm bolachinhas com queijo, e eu penso: ‘Isso é uma porcaria. Vocês não sabiam que negros viriam? O que é essa porcaria de branco?’ Pela mesma razão, se tiver frango frito e melão eu direi: ‘Isso não é uma porcaria?’ Então, não importa o que faremos como pessoas negras, sempre será desse jeito”, disse.

Foxx, que interpreta um escravo no controverso longa de Tarantino, revelou que se sente forçado a comprometer a si próprio quando trabalha.

“Tudo na minha vida é construído em meio à questão racial. Não digo isso sempre porque simplesmente não posso. Mas no minuto em que saio de casa, tenho que colocar minha outra roupa e dizer: ‘Ei, Thomas, Julian e Greg’. E eu tenho que ser outra pessoa”, contou o vencedor do Oscar.

Nem Leo nem Kerry, que estavam próximos a ele, entenderam os nomes que Jamie usou como referência, mas a revista disse que eram nomes de pessoas brancas.

“Não, alguns desses são negros”, corrigiu Foxx. “Mas quando eu chego em casa, meus parceiros perguntam ‘Como foi seu dia?’. ‘Bem, tive que ser branco por oito horas hoje’, ou ‘Só tive que ser branco por quatro horas’. Tudo que nós (negros) fazemos é isso”, completou.

O ator acredita ainda que pessoas negras e brancas reagem de forma diferente quando assistem a algum filme.

“Negros assistem a filmes de forma diferente a dos brancos. Quando você assiste Bastardos Inglórios, um judeu tem uma resposta mais tranquila. (ele cochicha) ‘Não acredito que eles fizeram aquilo’. Mas quando um negro não gosta de algo, ele (e aí ele grita): ‘Ei, mano, porque a Olivia Pope caiu daquele jeito? Essa porcaria tá ferrada'”, falou o artista que completou 55 anos na última quinta-feira (13).

“Têm certas coisas que assistimos como negros e que, se não concordamos, nós não apenas desligamos a televisão como desligamos aquela pessoa (da nossa vida). Isso quando nós sentimos quando o personagem está comprometido com o establishment dos brancos”, opinou.

 

 

Fonte: Virgula

+ sobre o tema

Obras do Rio são segregacionistas, afirma ativista da Maré

Walmyr Júnior, ativista e morador da Maré, critica as...

Retratação pública da CAPES e concessão da bolsa Prof.Visitante ao Profº Kabengele Munanga

Por que isto é importante O Professor Kabengele Munanga foi...

Bloco retira confiança a candidatura em Elvas

Acusações de racismo em blogue, entretanto removido, valeram...

‘O Beto podia ter sido eu’: clientes relatam tensão e agressões em lojas

A divulgação das imagens que mostram João Alberto Silveira Freitas...

para lembrar

Mesmo com debates sobre representatividade, bonecas negras somam apenas 7% de produtos online

A quantidade de bonecas negras disponíveis para compra no...

Portugal: SOS Racismo opõe-se categoricamente à nova lei

A organização não-governamental (ONG) SOS Racismo "opõe-se categoricamente"...

Ser uma criança negra

Quantos lideres negros nós conhecemos? Joaquim Barbosa, Barack Obama,...

The Doctors: anfitrião do talk show acusa a produção de racismo e assédio sexual

O talk show médico dos Estados Unidos, The Doctors foi acusado...
spot_imgspot_img

O destino dos negros

A semana em que o Estatuto da Igualdade Racial (lei 12.288/2010) completou 14 anos foi repleta de notícias que atestam o quanto o Brasil está longe...

Roda de samba no Centro do Rio registra dupla imitando macacos em evento: ‘não será tolerado’

O PedeTeresa, roda de samba que acontece na Praça Tiradentes, no Centro do Rio, compartilhou um vídeo de uma dupla imitando macacos em um...

Portões da universidade

"Nós queremos é que uma filha de uma empregada doméstica possa ser médica, possa ser dentista, possa ser engenheira. Nós não queremos uma sociedade...
-+=