Januário Garcia

Januário Garcia se fez imprescindível ao apresentar imagens justas da gente negra no Brasil. Ele soube registrar através de suas lentes a força de vida de seu povo e tem ensinado a gerações que o racismo é cruel, mas nossa humanidade é mais forte. Suas fotografias documentam nossa História recente e nos impulsionam a mobilizar memórias e vestígios de outros tempos, dando-nos a dimensão dos nossos passos que vêm de longe.

Graças à generosidade de Januário Garcia e seu compromisso com as lutas negras pelo direito à História, a Rede de Historiadoras Negras e Historiadores Negros teve a honra de contar com um conjunto de suas fotografias na exposição virtual “1970-1980: Nacionalização do Dia da Consciência Negra no Brasil”, construída em parceria com o Geledés e o Acervo Cultne no Google Arts & Culture.

Januário Garcia, aos 77 anos, era um homem, um fotógrafo, um pensador e um ativista cheio de vida e com muitos projetos a realizar. Nosso ressentimento e nosso lamento são profundos e irreparáveis. Perdemos um dos nossos maiores por força do descompromisso genocida do governo brasileiro no enfrentamento à pandemia de Covid-19.

Em respeito ao seu legado, seguiremos apoiadas e apoiados nos mesmos propósitos por meio dos quais Januário Garcia se fez digno de todas as homenagens ao assumir a condição de nosso virtuoso ancestral!

Afinal, como ele mesmo nos ensinou: “Existe uma história do povo negro sem o Brasil; mas não existe uma história do Brasil sem o povo negro” – Januário Garcia (1943-2021)

+ sobre o tema

Ícone do boxe, Muhammad Ali é internado com pneumonia

O ex-boxeador norte-americano Muhammad Ali, de 72 anos, considerado...

Bolsonaro carrega um cemitério nas costas, afirma historiador

“Uma das razões porque estamos entrando nessa tragédia com...

Guga Rocha destaca a importância da cultura quilombola

Guga Rocha é um showman. Faz piada, conta história,...

Conheça o afrofuturismo, movimento presente em ‘Pantera Negra’

No Brasil, artistas adotam estética da cultura africana negra...

para lembrar

‘Eu sou da fronteira entre culturas’, diz Mia Couto

Moçambicano lança seu primeiro romance histórico e reflete sobre...

Morre Maria Paixão De Jesus, Um Dos Maiores Nomes Da Cultura Osasquense

Maria da Paixão de Jesus, é dama da arte...

Barack Obama escolhe música de Kendrick Lamar como favorita do ano

É temporada de listas de melhores do ano, e...

Basquetebol: As rainhas de África

Por Jorge Pessoa e Silva     «Estas jogadoras são verdadeiras samurais»,...
spot_imgspot_img

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=