Japoneses ‘gritam’ em público para declarar amor às mulheres em festival anual

Pelo nono ano consecutivo, o Japão comemora no dia 31 de janeiro o Dia de Amar a Esposa, no qual os japoneses são estimulados a expressar em público e aos berros o amor pela mulher.

No BBC

Normalmente, nesta data, os reservados homens japonese se reúnem em um parque para gritar e o evento é transmitido ao vivo pela televisão japonesa em rede nacional.

Um dos participantes no parque Hibiya, em Tóquio, parece sério e nervoso. Ele para em frente a um coração gigante feito de tulipas cor de rosa, se aproxima do microfone e grita sua mensagem para a esposa o mais alto possível.

“Amo você!”

Esta foi apenas uma das doze mensagens românticas gritadas na celebração de 2014. A data foi criada para dar aos homens a chance de expressar a adoração à esposa e também como uma resposta ao Dia dos Namorados que, no Japão, é visto exclusivamente como uma ocasião para as mulheres comprarem presentes para os homens.

japan_hug_mat_224x280_bbc
O ‘tapete do abraço’ foi criado para ensinar homens a abraçar mulheres

 

Os organizadores afirmam que começaram o evento há quase uma década pois os japoneses, considerados modestos, podem achar difícil expressar seus sentimentos.

Na cultura japonesa, a modéstia e a reticência são, tradicionalmente, valorizadas e expressões de sentimentos como amor não são comuns, mesmo entre os casados.

Kiyotaka Yamana, o fundador do evento, diz que está determinado a ensinar aos homens japoneses que a felicidade verdadeira pode ser encontrada ao declarar, alto e bom som, o amor pela esposa.

Para Yamana, os homens japoneses são tímidos demais até para gestos simples como andar de mãos dadas com as esposas ou abraçá-las. Ele acredita que é preciso ensiná-los.

Yamana até criou uma ferramenta chamada “tapete do abraço”, que indica como os casais devem se posicionar para um abraço mais eficaz.

Voltando aos gritos, eis algumas das mensagens dos japoneses.

“Obrigado por fazer meu almoço todo dia, apesar de você estar cansada pela manhã.”

“Obrigado por, todo dia, colocar bolo de ovo no meu lanche.”

“Estamos casados há 40 anos e talvez seja tarde demais, mas eu serei um bom marido de agora em diante, mesmo se eu ficar doente com demência. Por favor, não me jogue fora.”

“Casamos há 25 anos, nós dois engordamos, vamos começar uma dieta juntos.”

O organizador do evento confessa que ele nem sempre foi um modelo de marido afetuoso.

Ele começou a realizar o Dia de Amar a Esposa depois de se divorciar da primeira mulher.

+ sobre o tema

Conselho de Psicologia proíbe profissionais de realizar ‘cura’ de travestis e transexuais

Entidade determina que não sejam feitos pronunciamentos que legitimem...

Rap feminino presente na Baixada Fluminense

Portal Enraizados traz resenha do disco “O Sorriso de Mana...

Ativistas negras da América Latina alertam para avanço do racismo no mundo

Em Salvador para o Fórum Permanente de Mulheres Negras,...

Quer aprender o bê-a-bá do feminismo? A gente ensina

Nós sabemos: você já cansou de ouvir que "não...

para lembrar

Denegrindo Ela

Um dos principais alertas que faço é que hoje...

7 em 10 brasileiros admitem expressão preconceituosa

No entanto, apenas 20% dos entrevistados assumem ser racistas,...

Machismo desde cedo: meninas têm mais medo de serem julgadas do que garotos

Hoje é Dia Internacional da Menina. Ao redor do...
spot_imgspot_img

Mulher tem aborto legal negado em três hospitais e é obrigada a ouvir batimento do feto, diz Defensoria

A Defensoria Pública de São Paulo atendeu ao menos duas mulheres vítimas de violência sexual que tiveram o acesso ao aborto legal negado após o Conselho...

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...
-+=