Jean Wyllys e Laerte participam de ato contra Feliciano em SP

Comissão Extraordinária foi organizada por grupos ativistas em prol dos direitos humanos

Por: Filippo Cecilio

deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) e o cartunista Laerte participaram na noite desta quinta-feira (25) da primeira plenária da Comissão Extraordinária de Direitos Humanos e Minorias – iniciativa de grupos de ativistas em prol dos direitos humanos que se opõem à presença do deputado Marcos Feliciano (PSC-SP) na comissão correlata da Câmara.

Laerte disse que o surgimento da comissão extraordinária vem da “necessidade de combater e rejeitar o radicalismo fundamentalista que tomou conta do espaço da Câmara”.

— Esperamos com isso fazer o avivamento desse debate, tirar a pauta de direitos humanos do gueto em se encontra hoje. Transformar isso num assunto das praças e das pessoas e criar um caldo crítico que vá contra o que estamos aí e com isso alimentar a atuação de parlamentares.

A ideia dos organizadores é que eventos como similares se repitam todas as quintas-feiras. Wyllys já anunciou que pretende realizar plenárias da comissão extraordinária no Rio de Janeiro e em Brasília.

A presença de Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara é contestada devido a declarações públicas suas que foram consideradas racistas e homofóbicas.

Na pauta da plenária estiveram alguns dos “temas proibidos” por Feliciano durante as reuniões da CDHM, como a união civil homoafetiva, regulação das profissionais do sexo e a liberação do aborto, além do próprio impasse em que se encontra a CDHM.

Para o deputado do PSOL, o principal mérito da atividade é o de pressionar as autoridades para que se debrucem sobre as pautas reivindicadas pelos grupos e movimentos que organizaram a plenária.

— Temos de fortificar nossa pressão sobre o Estado e o Judiciário. E precisamos ocupar todos os espaços que pudermos no sentido de nos pronunciarmos sobre acontecimentos que contestam a laicidade do estado e a justiça social. Esse evento é muito significativo por esse motivo.

Também estiveram presentes no evento os vereadores Nabil Bonduki (PT) e Paulo Rossi (PT), o secretário de Direitos Humanos da cidade de São Paulo, Roberto Sottili, e o ex-ministro da Justiça José Gregori, que manifestou apoio às reivindicações dos manifestantes e também criticou Feliciano.

— A Câmara cometeu um erro político ao colocar essa pessoa totalmente desequipada para presidir essa comissão.
Durante a audiência pública ainda foram abordado temas como a situação dos indígenas no Brasil, dos negros, da população carcerária, dos seguidores das religiões afro-brasileiras e da população de rua.

 

Fonte: R7 

 

Leia Também: 

Laerte e Wyllys criam comissão de direitos humanos paralela

“Feliciano é o porta-voz do retrocesso”, diz Jean Wyllys

+ sobre o tema

No Recife, Marina Silva sai em defesa de Marco Feliciano

“Feliciano está sendo mais hostilizado por ser evangélico que...

Condenado por atear fogo em índio Galdino passa em concurso e vira servidor

Depois de quitar dívida com a Justiça, um dos...

Maceió: Movimento negro denuncia ação de policiais à Promotoria de Justiça de Direitos Humanos

Representantes do movimento negro, a professora universitária Franqueline...

I Fórum Direitos Humanos, Diversidade e Preconceito acontece nesta quarta-feira (16), na URCA

Começa nesta quarta-feira, na Universidade Regional do Cariri...

para lembrar

Classe média antipetista irá pagar em breve o preço de apoiar Temer

O colunista Jânio de Freitas, em artigo publicado na...

Campanha #MaisQueImigrante visa desconstruir xenofobia dos brasileiros

Até o fim do mês, projeto reunirá relatos, fotos...

Anistia Internacional e juízes criticam Estado brasileiro por mortes em Manaus

A Associação Juízes para a Democracia (AJD), criticou o...

Nova Política de Drogas com Nathália Oliveira

“Justificando Entrevista” começa neste 2017 com o debate mais...
spot_imgspot_img

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU em Genebra, na Suíça, com três principais missões: avançar nos debates...

Conselho de direitos humanos aciona ONU por aumento de movimentos neonazistas no Brasil

O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), órgão vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, acionou a ONU (Organização das Nações Unidas) para fazer um alerta...

Ministério lança edital para fortalecer casas de acolhimento LGBTQIA+

Edital lançado dia 18 de março pretende fortalecer as casas de acolhimento para pessoas LGBTQIA+ da sociedade civil. O processo seletivo, que segue até...
-+=