Joel, o menino da capoeira, está morto

 

Salvador – O menino Joel da Conceição Castro, de 10 anos, estrela da campanha de publicidade da Bahiatursa – empresa oficial do turismo na Bahia – e que aparece em vídeo narrado pelo cantor e ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil, foi morto na noite deste domingo (21/11), com um tiro na cabeça, disparado supostamente por policiais que participavam de uma operação na região de Amaralina, final da Avenida Manoel Dias.

O menino foi baleado quando estava na janela de sua casa e se preparava para dormir. As três guarnições envolvidas na operação, de acordo com o Jornal Correio da Bahia, são da 40ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Nordeste). O garoto ainda chegou a ser levado para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas já chegou morto.

Revolta

Revoltados com o ocorrido os moradores protestaram nesta segunda-feira, fechando a Avenida Manoel Dias (foto maior). Mas cedo, os moradores fecharam a rua Visconde de Itaboraí, em Amaralina e queimaram pneus exigindo Justiça.

A Policia Militar anunciou o afastamento dos policiais envolvidos na ação, que passarão a trabalhar em serviços administrativos até a conclusão da investigação.

A corporação anunciou em nota oficial, que está apurando as circunstâncias da morte do garoto. O corpo de Joel já foi liberado pelo Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML) e o sepultamento está marcado para as 10h desta terça-feira, 23/11, no Cemitério do Campo Santo, na Federação.

Há um mês, policiais militares baianos foram acusados de torturar uma Mãe de Santo – a Ialorixá Bernadete Souza Ferreira – enquanto estava incorporada e jogá-la num formigueiro, em Ilhéus. Até o momento ninguém foi punido.

O nome do IML homenageia Raimundo Nina Rodrigues, o médico, autor de obras e defensor de teses racistas consideradas científicas e modernas para a época. Foi influenciado pelas idéias do criminologista italiano Cesare Lombroso. Em 1894, publicou um ensaio no qual defendeu a tese de que deveriam existir códigos penais diferentes para raças diferentes.

Foi um dos introdutores da antropologia criminal. Publicou, em 1.899, “Mestiçagem, Degenerescência e Crime”, procurando provar suas teses sobre a degenerescência e tendências ao crime dos negros e mestiços.

Os demais títulos publicados não deixam dúvidas sobre o que pensava: “Antropologia patológica: os mestiços”, “Degenerescência física e mental entre os mestiços nas terras quentes”. Para Nina Rodrigues o negro e os mestiços se constituíam na causa da inferioridade do Brasil.

Veja o vídeo da campanha da Bahiatursa que tem o menino Joel como estrela.

 

+ sobre o tema

para lembrar

Ator é vítima de racismo durante espetáculo:’Isso não pode ficar impune’

Uma espectadora interrompeu a peça e deu uma banana No...

Racismo filho do fascismo

A luta para acabar com as repetidas manifestações de...

Minas registra um novo caso de racismo a cada 22 horas e 16 minutos

Expressivo, número de crimes raciais levados aos tribunais está...

Estudantes do Congo acusam Brigada Militar de racismo no Rio Grande do Sul

Africanos acusam BM de racismo e constrangimento por Jessica...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=