Jorge Aragão lança sambabook e lembra que chorou ao ouvir sua música no rádio

“O samba é minha maneira de sentar, conversar, respirar, falar com as pessoas, me identificar. O samba é minha vida”, declara Jorge Aragão na abertura do DVD do Sambabook dedicado aos seus 40 anos de carreira. O lançamento do projeto — que já homenageou João Nogueira, Martinho da Vila, Zeca Pagodinho e Dona Ivone Lara — acontece amanhã, às 21h30m, no palco do Vivo Rio. Entre os convidados, estão Diogo Nogueira, Jorge Vercillo na noite especial. Quase dez anos sem lançar um álbum, o ex-integrante do Fundo de Quintal prefere fazer a linha modesto com a homenagem.

— Às vezes, penso se não estou tendo mais do que mereço. É tanta gente participando desta festa ao meu lado… Isso é um privilégio — ressalta o compositor, de 67 anos: — Nem acredito que as pessoas estão entoando meus sambas. Eu cantei para os avós e para os pais. Hoje, canto para filhos e netos.

O projeto contempla CD e DVD — que já estão à venda —, além de Blu-Ray, especial de TV ainda sem data para ir ao ar no Canal Brasil, livro com discografia comentada, partituras e aplicativo para os fãs. O repertório do disco inclui seu primeiro sucesso, “Malandro”, reinterpretado por Baby do Brasil e gravado pela primeira vez por Elza Soares, que dá voz desta vez a “Identidade”. O novo trabalho, além de resgatar sucessos, fez com que o compositor recordasse o início da carreira, como a primeira vez que ouviu sua música na rádio:

— Eu era casado, e as crianças já eram nascidas. Estava com uma vassoura na mão e, quando escutei a música tocar, chorei.

No conteúdo extra do DVD, Beth Carvalho, que interpreta “Pedaço de ilusão”, conta não ter apostado no amigo, mas que se surpreendeu ao ouvi-lo pela primeira vez. Já Jorge agradece por esse encontro que deu samba ter acontecido:

— Toda quarta-feira nós nos encontrávamos na quadra do Cacique. Era uma reunião com poucas pessoas, apenas os amigos. Mas foi só a Beth chegar para não caber mais gente ali. Ela é incrível — relembra Aragão, que teve “Vou festejar” e “Coisinha do pai” eternizados na voz da mangueirense: — Todo compositor pega a sua obra e sai correndo atrás de um artista para ele ouvir. As pessoas escutavam e queriam gravar o meu samba. Foi tudo muito natural.

+ sobre o tema

“Eu sabia da desigualdade racial, mas não fazia nada porque não estava ao meu redor”, diz Giovanna Ewbark em vídeo

Atuando há cerca de um ano como youtuber, Giovanna Ewbank comemorou a...

Angola Janga: a resistência de Palmares em quadrinhos

O Quilombo dos Palmares, um dos principais do período...

Dono do melhor disco do ano, Rincon Sapiência lança a sensacional “Afro Rep”; assista

O rapper lançou seu primeiro álbum de estúdio, Galanga...

Novidade no pop nacional: grupo Donas mal chegou e já é viral no Spotify Brasil

Tem novidade na música brasileira! Essas meninas mal chegaram...

para lembrar

Missy Elliott revela que sofreu abuso sexual na infância

A rapper Missy Elliott revelou detalhes de sua infância...

Hoje na História, 1973, nascia Isabel Filardis

Isabel Cristina Teodoro Fillardis mais conhecida como Isabel Fillardis...

Beleza Negra no Miss Universo 2011

A presença de mulheres negras nesse tipo de concurso...

Jennifer López se emociona e chora no palco

Jennifer López chorou durante um show realizado neste domingo...
spot_imgspot_img

Beyoncé revela ter psoríase e fala sobre sua relação com o cabelo ao lançar linha de cosméticos

Beyoncé revelou em uma entrevista ter psoríase no couro cabeludo. Ela falou sobre o assunto em uma entrevista à revista "Essence", publicada no site no...

Por que Bob Marley é um ícone dos direitos humanos

Ao se apresentar em junho de 1980 na cidade alemã de Colônia, Bob Marley já estava abatido pela doença. Ainda assim, seu carisma fascinou...

Saiba quem é o neto de Bob Marley que emplacou sucesso na Billboard; ouça a canção

YG Marley, nome artístico de Joshua Marley, neto do icônico cantor de reggae Bob Marley, estreou no Billboard Hot 100 com o single “Praise Jah...
-+=