Jurema Werneck na Abertura da 14ª Conferencia Nacional de Saúde

por Jurema Werneck para o Portal Geledés

Cumprimento às autoridades, delegad@s, convidad@s, conselheir@s, comissão organizadora

Agradecimento a trabalhador@s de apoio, equipe de som e imagem, limpeza, alimentação, segurança, equipes de saúde.

Foi um largo processo de mobilização até aqui. Ao todo 4.347 conferências municipais e 27 estaduais foram realizadas, além de video conferências, diálogos on line, com envolvimento de mais de 26 mil pessoas na etapa estadual.

Também um longo processo envolvendo as conferencias a partir da primeira, em 1942, até a 8a. Conferencia em 86. De diferentes maneiras, num traçado irregular e por vezes contraditório, a sociedade brasileira foi delineando seu projeto de nação, sua visão de sociedade e de participação social.

A 8a. Conferencia traduz a aspiração da sociedade que se projetava maior, melhor, mais condizente com o projeto das diferentes populações e grupos que lutaram e derrubaram regismes e idéias de colonização, de escravidão, de dominação, de violência, de exclusão. O SUS nasce das vitórias e das derrot5as vividas neste processo.

A 8a. conferencia se apresenta como momento de celebração criativa. Um momento de instaurar um ciclo virtuoso de direitos sociais e politicos que conciliava a nação e seu povo num pacto pela universalidade, pela integralidade e pela equidade, trazendo e afirmando a forte marca da participação social como condição de possibilidade de realização destes desejos;

12133-14-conferencia-nacional-de-saude

O que se seguiu foram os anos de realização pragmatica deste pacto: a Constituição, as leis, as políticas, as normas, o cotidiano de realização destas conquistas;

Ao longo do tempo a celebração, a conquista e os termos deste pacto pela universalidade, integralidade e equidade foram perdendo espaço, substituídos pelo dissenso, pelas disputas de meios e não pelos acordos na direção de fins já estabelecidos. Mas mesmo nestes momentos a sociedade brasileira, com suas pluralidades, multicipliicidades e diferenças permaneceu atuante.

Os conselhos de saúde, em muitos casos atacados, desprestigiados, ainda assim se reuniam, mas sem forças sufiicientes para conduzir o SUS aos seus destinos, ao pacto social democrático e os resultados podem ser vistos todos os dias. Erros inaceitáveis foram cometidos, escolhas esvaziadas do sentido foram feitas. As cenas das ruas, dos meios de comunicação e o desencanto de grande parte da população com a Saúde são resultados bastante conhecidos e lamentados por nós.

+ sobre o tema

Estudos mostram que mais de 30 mil mulheres trabalham sem remuneração

"4º Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça" apresenta...

RJ: concursos terão cota para negros e índios

20% das vagas oferecidas na cidade do Rio de...

Mulheres e negras, todas as formas de violência pelo simples fato de existir

Durante este ano venho observando, muito por conta do...

para lembrar

São Paulo: 7 fogem de hospital de custódia; funcionária cita maus-tratos

Sete pacientes do Hospital de Custódia e Tratamento de...

‘Reservas são confinamentos de índios’, acusa ex-padre fundador do Cimi

"Na área de Dourados, existe em torno de 15...

Orientação sexual não é mais critério para doação de sangue

A orientação sexual deixou de ser um dos critérios...

São Paulo ganha novo Centro de Referência de Promoção da Igualdade Racial

O serviço, localizado no bairro de Vila Maria, oferecerá...
spot_imgspot_img

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...

Nota pública do CONANDA contrária ao Projeto de Lei 1904/2024

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA, instância máxima de formulação, deliberação e controle das polícas públicas para a...

Marcelo Paixão, economista e painelista de Geledés, é entrevistado pelo Valor

Nesta segunda-feira, 10, o jornal Valor Econômico, em seu caderno especial G-20, publicou entrevista com Marcelo Paixão, economista e professor doutor da Universidade do...
-+=